terça-feira, 4 de março de 2014

05x15 - Travellers (Simpatizantes)

Direção: William A. Graham
Roteiro: John Shiban & Frank Spotnitz

Resumo: Em 1990, Mulder procura um antigo agente do FBI Arthur Dales para saber detalhes de um caso investigado por ele a 38 anos atrás sobre um homem chamado Edward Skull, que morreu falando o seu nome.



Curiosidades:

  • O nome do episódio faz referência a americanos que eram simpatizantes do comunismo na época. Em inglês, são chamados de "Fellow Travellers".
  • O sermão de J. Edgar Hoover para Dales ao final do episódio sobre o comunismo foi tirado quase que literalmente de um discurso dado pelo Senador McCarthy.


Comentários:

[Cleide] Confesso que Travellers não é um dos meus episódios favoritos. Não gosto muito de episódios que Mulder e Scully não aparecem, ou aparecem pouco. O episódio parte do princípio que o pai de Fox estava envolvido nos primórdios dos Arquivos X.

Mulder vai atrás do agente do FBI responsável pelo relatório do caso - Arthur Dales - e convence-o a contar a história querendo saber o envolvimento de seu pai neste caso específico. O senhor é uma figura interessante, e acaba cedendo à insistência de Fox Mulder, que não podia perguntar diretamente ao seu pai, pois segundo ele, eles não conversavam nesta época, jogando uma pequena pista da relação conturbada do agente com William Mulder.

O episódio tange assuntos da política estadunidense de caça às bruxas, e a paranoia em relação aos comunistas. O Arquivo X, caso estilo monstro da semana, envolve experiências monstruosas com consequências, para variar, que fogem do controle, tornando-se a cobaia, um assassino.

É digno de nota o momento em que a secretária do FBI diz ter aberto os Arquivos não solucionados na letra X, pois era onde havia mais espaço (uma solução tão pragmática, para casos tão misteriosos). A fala de Arthur logo de início, dizendo a Fox que os Arquivo X não são casos sem solução, mas casos que foram determinados para serem sem solução é interessante, bem como a fala da mesma secretária que diz que quem decidia quais eram os Arquivos X era o próprio diretor.

Dois fatos controversos sobre Mulder são o fato do agente aparecer fumando e usando uma aliança grossa de casamento. Há quem diga que foi uma homenagem de David Duchovny ao recente casamento, há quem levante várias teorias conspiratórias sobre o passado do agente... se alguém souber de alguma coisa, me conta...


[/Cleide]

[Josi] Esse é um bom episódio. Ele é bem diferente do que estamos acostumados a ver na série, principalmente por quase não ter os protagonistas, com somente Mulder aparecendo bem pouco. No entanto, ele contém uma história que nos faz entender muita coisa dentro dos Arquivos X e da conspiração, nos coloca a par de como a muito tempo que o governo atua de forma manipuladora e mentirosa e mostra como a tempos que há pessoas honestas que tentam da forma que podem impedir que esse reino de mentiras se instaure e que pessoas inocentes sejam feridas e usadas.

Voltamos a 1990, onde vemos um policial ajudando num processo de despejo. Ao que ele entra na casa, ele encontra um local extremamente nojento e um corpo humano completamente dissecado. Antes de ser atacado também, o policial consegue atirar no assassino, que morre chamando pelo nome "Mulder".

DD com cabelinho diferente para dizer que é mais jovem falando com Arthur Dales (ownn) de um caso de 1952. E, lógico, ele não quer falar sobre isso. Ninguém que sai dos Arquivos X quer voltar a falar sobre os Arquivos X... rs
Gente... Esse toc de mulder com o cabelo é muito irritante...



Dales, então, dispensa Mulder como quem diz "Ah, me poupe... não tempo tenho pra crianças inocentes".

E Mulder, em casa cavucando vídeos antigos, segue com seu destino de encontrar seu pai no meio de investigações em situações comprometedoras...

Depois, voltando ao apartamento de Arthur, ele faz uma ameaçazinha e quando o cara abre a porta, possesso, ele vê essa carinha inocente. kkkkkkkk

Sempre que eu vejo Arthur, eu penso que esse seria o destino de Mulder sem Scully...






Tadinho de Mulder e seus problemas com o pai. E nem poderia ser diferente com o passado que o pai de Mulder carregava nas costas... e toda a culpa...

Então, Dales começa a contar sua história e vemos o jovem Edward Skur. Casa e família adoráveis... um grande contraste com o que vimos dele até então naquela casa imunda...

Lá vai Arthur ir contar a esposa que o marido morreu... cheio de remorsos porque ele aparentemente não comprava muito essa ideia de comunistas traidores. Mas eu realmente não acho que ele fazia nada melhor indo contar sobre a morte do cara com cheiro de bebida...



Enfim, ele não iria precisa de coragem alguma nesse campo pois de repente "o morto" me aparece calmamente andando pela rua. Aposto que Arthur pensava que aquela seria a coisa mais estranha que lhe aconteceria aquela noite. ops...

Será que ele colocou no tal relatório que algo tentou sair da boca de Skur para devorá-lo? Enfim, mas o pobre Arthur vê seu mundo cair, assim como os pistoleiros viram a um tempo atrás, quando seu querido governo o pede para mentir descaradamente... por um bem maior.

O pai de Mulder todo misterioso... hihihi

Ouvir o pai de Mulder falando dar uma dor na gente... tudo o que ele queria era que pessoas inocentes não fossem machucadas, que os criminosos fossem punidos e que a verdade fosse conhecida. Tal qual nosso Fox Mulder. Infelizmente para ele, as coisas não correram como ele queria e ele foi obrigado a ajudar para que o contrário acontecesse... e ainda falhou na tentativa de proteger sua família. OK... estou tendo Bill Mulder feelings. Vou parar. o.O

Dales: "Eu não sou um comunista"
Político chato: "Você é se eu disser que você é"

Acho que os últimos resquícios de fé na política americana que Arthur ainda poderia ter escorrem pelo ralo nesse momento...


Amo que finalmente descobrimos o porquê do nome arquivo x e a coisa é totalmente arbitrária... "ah.. não tinha mais espaço no arquivo 'u' de 'unsolved', então eu passei a colocar no x... tem muito espaço lá". kkkkkkk

Eu acho que a mocinha do arquivo era fã desses casos. Aposto que ela lia tudo o que podia...






De alguma forma Arthur sabe que esse tipo de experimento era feito por nazistas e que eles estão continuando seu trabalho aqui com o respaldo do governo americano (o mesmo mulder viu novamente alguns anos depois em Paper Clip)...

O bom de ver esses episódios que você sequer pensa em reassistir normalmente é que você realmente não lembra de muita coisa. Assim... eu não lembrava que Skur matava a própria esposa. Quer dizer, que a coisa o fazia matá-la...

Arthur Dales é então levado a uma sala de onde até mesmo o chatinho que se achava foi botado pra fora... E ele ouve o seguinte: "Nós temos que fazer coisas que até os nossos inimigos teriam vergonha de fazer. Só através da força que nossos inimigos nos temerão. E assim asseguraremos nossa sobrevivência"

Isso é atemorizador mas é exatamente o que o governo segue fazendo ao longo do tempo segundo o que nos conta CC. Pois eles não faziam experiências com o seu próprio povo, seus próprios soldados? Eles não usaram seus próprios parentes como moeda de troca com os aliens para assim tentarem uma sobrevivência torpe?

"Fui arruinado pela minha própria insubordinação. Continue cavando os Arquivos X que enterram você também" - palavras proféticas.

E o final pinta o pai de Mulder de uma forma até então bem diferente da que a gente costumava ver. Sabe... havia um tempo em que eu tinha um certo desprezo pelo pai de Mulder, mas agora eu meio que o entendo. Ele viveu numa época muito complicada... e trabalhou para o governo num momento chave em que papéis foram atribuídos e ele não poderia escapar daquilo sem destruir tudo o que ele tinha na vida e isso incluía sua família. Ele pensou ter feito a escolha certa e creio que toda a sua diferença com Fox é que ele não queria que o filho caísse dentro daquela rede de mentiras e acabasse sendo obrigado a fazer as mesmas escolhas que ele fez. Talvez ele não tivesse a inteira dimensão da força de Mulder, do apoio que ele teve e das circunstâncias que de uma forma ou de outra acabaram por dar uma sorte diferente a seu filho. Não que Mulder não tenha escapado de sair chamuscado daquele fogo... afinal, sua própria família (William e Scully) foi atingida de uma certa forma. Mas ao menos ele saiu com a consciência quase que sem manchas.

Quanto à tal aliança... Eu fico encucada com isso... Eu acho que eles queriam colocar a Diana como um relacionamento sério do Mulder mesmo... Eles não ficariam esfregando tanto aquela aliança na nossa cara de não fosse algo assim. Fora que ele estava descobrindo os AX e os Pistoleiros disseram que ela era namorada dele na época... Recentemente, eu descobri que os americanos usam aliança na mão esquerda quando estão noivos também, então, acho que é isso. Acho que o romance deles estava sério este nível, mas acabou com Diana preferindo ir sei pra onde pra levar a carreira dela pra frente... O fato é que, além de que, em Suspeitos Incomuns, que se passa em 1989, ele também aparece de aliança, isso não foi mencionado novamente na série. [/Josi]

Quotes:

Mulder: Eu não acredito que meu pai fez o jogo desses homens. Ele deixou que eles ditassem sua consciência.
Dales: Ah, não se engane. Nenhum de nós tinha liberdade de escolha. Eu fui arruinado pela minha insubordinação. Você continue cavando nos Arquivos X e eles vão te enterrar também.
Mulder: Skur morreu dizendo meu nome. Por quê?

Dales: Eu não tenho a mínima ideia.
Mulder: Bom, há uma coisa que você não explicou. Foi... Como Skur conseguiu escapar... Como ele foi capaz de viver na obscuridade pelos últimos 38 anos.
Dales: 38 anos? Meu Deus. Bem, eu ouvia coisas pelos anos, sabe. Pessoas me diziam coisas. Eu ouvi que ele estava morto, que ele tinha sido mantido em algum laboratório secreto enquanto eles terminavam o experimento. Eu até mesmo ouvi que talvez... talvez algum pobre coitado... alguém com alguma consciência... tenha deixado ele fugir.

Mulder: Por que alguém faria isso? Por que deixar um assassino livre?
Dales: Na esperança de que ao deixá-lo livre, a verdade dos crimes cometidos contra ele e os outros algum dia... poderiam ser expostas.





Outras Imagens de Travellers:

O cartaz do episódio... o.O

E Mulder fumava... ugh. Que bom que parou.

Jovem Arthur Dales

O pai de Mulder era até bonitão também... apesar
de um pouco estranho. Que olhos são esses, meu querido?

Eles não estavam brincando na hora de censurar esses documentos...

Eca

Mulder e Dales

2 comentários:

Wagner Bueno disse...

Nossa!! Nenhum comentário??
O pessoal passou reto por esse episódio.
Lembro do episódio O Medo, que eu não quis ver porque achei que seria muito excêntrico mas acabei vendo quando a fox reprisou antes da 10° temporada, era um episódio estranho ao estilo câmera na mão mas é melhor que esse pois tem a dupla dinâmica nele, já esse tem o olho-amarelo, que tá bom, já que é um ator carismático.
É um episódio legal mas achei meio sem graça o lance com o Skur, quer dizer, botaram uma aranha esquisita dentro do cara ? Talvez se tivessem apimentado ou botado mais tempero o episódio ficaria melhor.... ahh, lembrei, já teve alguns episódios com histórias sem graça mas o que melhorava muito eles era a presença de Mulder e Sculy. Na real teve uma trama boa envolvendo a Caça às Bruxas, teve Noel Rosa, digo, Bill Mulder.. Enfim, tava legalzinho.

Josilene disse...

Oi, Wagner! Então... acho que eu comentei no post, mas eu acho esse episódio bem legal. Gosto muito de Dales e acho a história de pessoas sofrendo com experiências do governo bem interessante. Fora que contar a origem dos AX vale td. kkkkkk

Mas sim... não ter os protagonistas é um balde de água fria sempre rs

Beijos!