domingo, 17 de agosto de 2014

05x19 - Folie a Deux (Loucura Coletiva)

Direção: Kim Manners
Roteiro: Vince Gilligan

Resumo: Mulder e Scully investigam uma ameaça a uma companhia de telemarketing que estaria sendo comandada por um monstro sugador de vidas.


Comentários:

[Josi] Amo esse episódio. Podem falar o que quiser, que eu não ligo. Ele é lindo do início ao fim. Adoro esses episódios em que os roteiristas desbancam a ideia dos Arquivos X da forma como todos os vêem, até mesmo Mulder dessa vez, como uma coisa idiota e de gente doida e no meio da história mostra que a ignorância vem de que quem não acredita e que há muito mais em nosso mundo do que a gente pode ver com nossos olhos e nossa tecnologia.

Nesse episódio temos Mulder chato, Mulder profissional policial e psicólogo, Mulder fofo, Mulder desesperado... temos Scully brincalhona, Scully dando apoio, Scully fazendo autópsia, Scully não resistindo aos olhos de cachorro que caiu da mudança de Mulder, Scully sem ter o que dizer diante do inacreditável, Scully salvando o traseiro de Mulder... temos Skinner completamente exausto de ter a "sorte" de ser o superior desses dois malucos... e temos um verdadeiro monstro da semana. Ah, temos também David e Gillian belíssimos nos distraindo em cada close...

O episódio começa em uma companhia de telemarketing. E você já fica desconfortável e levemente irritada ao lembrar das vezes que atendeu o telefone e era essa chatice do outro lado da linha...

"Se você não sorrir, eles podem ouvir" - Isso é realmente coisa de babaca. Mas imagina, Gary tirou uma pausa de menos de um minuto e o supervisor notou imediatamente. O cara é bom.

Mas é de se esperar que alguém que trabalhe em algo tão repetitivo, entediante e que requer tão pouco de pensamento acabe um dia vendo monstros mesmo...

Não sei o que me diverte mais na cena de Skinner dando a tarefa para Mulder e Scully. Se Skinner estar visivelmente desconfortável ou Mulder ficar tão ofendido. Mulder... você enganou a Scully de forma a levá-la para investigar um monstro num lago, lembra? E nem deu tempo dela arrumar alguém que tomasse conta de Queequeg... Acho que ele estava ainda irritado porque foi usado em outra tramóia governamental... e ainda machucaram o dedo dele no processo.

Mulder: "Eu devo ter feito algo para irritá-lo. Ou talvez eu tenha chegado àquele ponto mágico da minha carreira em que alguém vê a Virgem Maria em uma tortilla e me chamam de meu porão para dar meu parecer profissional." - Quanto drama, heim? E ainda recusa a companhia de Scully.



Oh, de repente pensei que esse caso não seria recusado por Dean e Sam. *.* Quer dizer... agora mesmo, seria, porque eles têm outros problemas... mas... deixa pra lá. Voltemos a Mulder e Scully pois nessa época os meninos ainda eram muito meninos. :P

Oooownnn... Nesse momento, Mulder questiona sua vida e suas escolhas... "Por que eu?"






No entanto, ele fica um pouco mais interessado no caso depois de ouvir a fita. Ele tem bons instintos e sabe quando tem coisa quente em mãos...

Centenas de arquivos e Mulder pede que Scully procure uma frase perdida no meio deles. Fuck you, Mulder. Hoje em dia, eu espero que, se estes arquivos tenham sido recuperados, eles tenham investido na digitalização deles. E que esteja de forma tal que uma busca simples possa achar esse tipo de coisa.

Tadinha da Nancy... tão fofa e já era.

Amo ver Mulder realmente trabalhando... fazendo pesquisas, análises psicológicas. É nisso o que ele é realmente bom. As pessoas às vezes esquecem o quanto que ele é inteligente e perspicaz, que ele não é feito de lances de sorte, mas de análises, pesquisas e muito estudo...

Mulder: "Scully, correndo o risco de você dizer "eu não te disse?", eu acho que é hora de você vir até aqui e me ajudar."
Scully: "Eu não te disse?"





Esses dois não são uns fofos? Nasceram um para o outro.

Se você não aprecia Mulder mostrando todas as suas qualidades como agente treinado nesse episódio, eu não sei o que dizer. A cena em que ele está misturado com os reféns é perfeita. Ele dirige e mantém Gary ocupado e distraído, enquanto cuida de se preparar para poder pegar sua arma disfarçadamente e então tomar controle completo da situação.

Enquanto, Scully, sabiamente, tentava manter Mulder incógnito dentro do prédio, mas os policiais sempre estragam tudo...

Lembro que antigamente eu costumava voltar essa cena várias vezes porque eu amava aquele momento de intensa frustração de Mulder quando Gary descobre seu distintivo.





Detetive: "Ele atirou em um refém!"
Scully: "Quem?" - Muito bem, Scully! O importante é saber se Mulder está bem.

Gente! Percebam o olhar ansioso de Scully com toda a situação que as câmeras mostram! Ela fica tão angustiada ao ver Mulder na mira da arma!

Agora... quase melhor do que isso é o olhar arregalado de Mulder quando ele passa a ver o monstro também. Aliás, que monstrinho sem futuro. Feio demais! kkkkkkkk





Gary antes de morrer para Mulder: "Agora você sabe". - Sim, Gary, seu inútil... nem pra matar o monstro! Você tinha o cara na minha de uma arma, já estava com sua reputação perdida mesmo, que atirasse logo! Mas não... tinha que querer tv também!

Mulder está no escritório mergulhado nas suas descobertas dos Arquivos X, Scully está certa que ele está fora de si porque não descansou, como se ele fizesse isso... ok ok. Tudo normal. Agora, todos falam o quanto Scully é estranha porque mesmo depois de anos dentro dos AX, ela ainda não acredita em situações paranormais. Beleza. No entanto, como explicar o ceticismo de Mulder neste caso até que ele mesmo viu? E a total estranheza de Skinner e Scully quando Mulder passa a acreditar que o monstro exista também?

Scully: "Mulder, ele estava perturbado..."
Mulder: "Sim, mas ele via porque estava perturbado ou ele estava perturbado porque ele via?"

É lindo ver Skinner chamar Scully para que ela dê conta do comportamento do parceiro e ela cobrir o traseiro dele perfeitamente...

Mas vou te dizer... é muito bizarro ver essa coisa correndo pelo teto e pelas paredes como se fosse uma barata gigante! 






E no depoimento... "e ele era bem pior do que Gary!"... Fia, essas coisas doem, viu?

Mas o que Skinner esperava dando um caso desses pra Mulder? Quando foi que Mulder atuou em casos assim com cautela? Você pediu por isso, skinman!





Ah... a cena do hospital... ai ai... é demais. Todo o diálogo é maravilhoso! "Você tem que acreditar em mim, Scully! Ninguém neste maldito planeta acredita ou acreditará!" Fofo.

Eu sempre vou ter um quê contra os métodos de Scully numa autópsia... cara... tenha mais cuidado! Eca!

E Scully salva Mulder mais uma vez. :) Ela ainda acerta no bicho várias vezes! E Mulder fica olhando pra ela como quem diz "agora você viu, né? te falei!".





Então, ao final, ela vai dar o relatório para Skinner e ele fica insistindo por descrições e detalhes e fica claro que ela está a um fio de dar na cara dele. "Você quer me trancafiar dentro de um hospital psiquiátrico também????!!!!"

Na verdade, acho que Skinner sorria aliviado quando o caso acabava dessa forma. Afinal, apesar do cara-monstro ter sumido junto com seus zumbis, pelo menos isso corroborava o caso comprovando que o gerente tinha alguma coisa podre e Scully tinha lhe dado uma resposta científica válida para que ele não passasse como bobo nas instâncias superiores do FBI.

Mas dá pena de ver a carinha esperançosa de Mulder achando que Scully ia mergulhar junto com ele em teorias sobrenaturais e ela mais uma vez cobre o que viu com uma "confortável" resposta científica...

"Folie a deux. Uma loucura compartilhada por dois ou mais indivíduos..."






[/Josi]

x

[Starbuck] Folie a Deux - como todos os epis dessa temporada - MUITO MUITO MUITO BOM.

- Gosto do lance de zumbis, lembra-me sempre um livro do Dost (Demônios), que o personagem principal é uma espécie de Zumbi, ou seja, uma coisa sem alma, sem vontade própria, sem ideal, sem alegria nem tristeza, sem nada ("sem nada" é tudo? hummm). Fiquei com medo daquele homem que tirava a "alma" das pessoas.. sério... olhem a cara da pessoa:


- Mulder todo enfadado achando que ia investigar uma bobagem diz a scully que ela não precisa ir junto, ela insiste, mas ele afirma que o caso é muito bobo para irem os dois.... DEPOIS...
Mulder: "Scully, correndo o risco de você dizer "eu te avisei", você pode vir para cá, preciso de você."
Scully: "Eu te avisei."

- Gente... quantas vezes a Scully já acompanhou o Mulder por um monitor??? (vejam a cara de assustada.... tadinha da ruiva)

- Bom.. nesse momento, abrirei espaço para o Mulder "fofo".. olhem esse biquinho (rs rs):






- Adoro quando a Scully descreve o cara que vê zumbis como um louco, que tem alucinações e bla bla bla ... e o Mulder pergunta a ela se ela acha o mesmo dele, já que ele também viu.. A cara que ela faz nessa hora é ótima...

- O monstro é uma mistura da "mosca" (porque é um inseto) e do monstro da fúria de titãs (aquele filme tosco no último rs rs )... eles tiram alguns frames da imagem, daí o monstro fica daquele jeito meio engessadão.. COOL.

- Tem o momento "mãos".







-E mais um momento Mulder "fofo"... em que ele diz: "Você é a única em cinco bilhões"

- Ah.. momento biquinho II.

E... o final... sempre que eles ficam em elevadores, eu lembro daquela "brincadeira"da Gillian... daí meu chip shipper muda de voltagem e fica "perv" como diria a Lu..





[/Starbuck]



[Cleide] Este episódio me causa uma certa nostalgia. Quando a quinta temporada de Arquivo X passou aqui no Brasil na TV aberta, entre 1997/98, era também o início da chegada do acesso popular à internet. E devem lembrar que a informação demorava muito mais a chegar até nós, e passava pelo filtro das revistas, afinal, cada jornalista tem seu prisma para contar uma história, dar uma notícia.

Eu era uma entusiasta da internet, já havia lido sobre a rede mundial de computadores nas revistas e queria muito experimentar. A maioria do conteúdo era em inglês, e naquela época eu já estava no curso avançado.

Assim que o primeiro provedor surgiu em MG, eu dei um jeito de assinar. Me lembro de esperar até meia noite para não ter pulsos cobrados, e a dificuldade que era uma conexão. Mas eu curtia tanto essa "viagem" que quando entrei na faculdade, apesar de ser uma das únicas alunas de periferia, era a única que dominava muito bem internet e suas ferramentas.

Minha navegação pela rede adentro se resumia em um assunto: Arquivo X, que era minha obsessão... e eu amava spoilers! Aprendi muita gíria em inglês na marra! Hoje em dia é uma frescura, as pessoas faltam se matar se alguém solta um spoiler, vira até inimizade... vai ler o Crônicas do Gelo e do Fogo e comentar alguma coisa com quem assiste Games of Thrones... perigo!

Fiz este rodeio todo para introduzir meus comentários de Folie a Deux, porque se uma frase pudesse ser dita sobre este episódio seria: "You're my one in five billions". Putz, foi este o primeiro spoiler que soltaram sobre o episódio... vocês não conseguem imaginar o quanto esperei para assistir o final da quinta temporada, como assim o Mulder vai dizer isto pra Scully? Que coisa mais linda!

Bom, hoje em dia, na minha avaliação, não é um dos meus "monstros da semana" preferidos, mas não é ruim. A construção do episódio é interessante, pois inicialmente Mulder não acha que o caso seria um Arquivo X, Scully estranha, quer ir junto investigar, ele acha desnecessário, e quando chega, começa a farejar (eita faro bom!) que algo realmente estava estranho naquela empresa.

O que é interessante é que a construção ambígua do episódio dá abertura para a interpretação da loucura compartilhada ou para a real existência de um monstro sugador de pessoas disfarçado. Em grande parte do tempo, enxergamos com os olhos do empregado que parece estar enlouquecendo e agindo como um terrorista, mas então, Mulder sob pressão, também vê a face do monstro. Ficamos muito tempo pensando: será que é por que ele estava querendo ver? Será por que ele era tão propenso com sua mente aberta? Ou esse homem é mesmo um monstro?

Mulder com aquela mania de enciclopédia ambulante, lembra-se de insetos que nublam a consciência de suas vítimas (chega a ser chato ter tanto conhecimento né?), Scully, pra variar, não acredita em "nadinha", mas neste caso, ficou meio difícil acreditar mesmo, porque o tal do Greg Pincus age com tanta gentileza, que não dá pra acreditar em toda a história que o Gary contava, e que Mulder insiste em repetir.

Pra variar um pouco #SQN, o que o agente faz quando desconfia de alguém... começa a seguir a pessoa sem mandato judicial para isto e etc... e não dá em outra, ele presencia um ataque, e acaba se envolvendo, dando margem a uma reclamação de Pincus  (super ofendido) para Skinner. Neste momento entendemos qual versão da história está certa, quando o monstro se mostra para Mulder, sabendo que ele ia parecer realmente louco, e dá um sorrisinho quando logra sucesso em seu plano. Por que Mulder nunca erra quando fareja um monstro?

Então, entramos na cena tão esperada... Mulder amarrado na cama de um hospital psiquiátrico, "Cinco anos juntos Scully, você não previa algo assim?" rsrsrsrs ela está resistente à versão que ele conta, não a condeno, acho que eu também ia acreditar mais num surto psicótico, mas aí ele se lembrando da forma de ataque da criatura, pede para ela conferir em uma das vítimas se haveria alguma marca na nuca... "Você tem que acreditar em mim, Scully, ninguém acredita, você é minha única em 5 bilhões" *.*

Claro que Scully cede, quem (a não ser ela) escutaria uma fofice destas? E então, não é que Mulder tinha alguma razão. Então ela corre para chegar a tempo de salvar o donzelo...

Uma palavrinha sobre a cena de Mulder no quarto escuro observando a janela... não sei vocês, mas me lembrou demais os meus medos da infância, quando eu escutava todo tipo de barulho do lado de fora e achava que era algo sobrenatural... é muito legal Scully de repente vendo que a enfermeira virou zumbi, e depois entrar no quarto ver Mulder sendo atacado, e salvá-lo, e em seguida, perceber seu constrangimento ao prestar contas para Skinner... a maneira como ela racionaliza a situação, como para ela é importante não parecer irracional ou "estranha". Então, ela realmente acredita que também foi acometida do mesmo surto de Mulder, e os outros detalhes, não tinham nada de sobrenatural.

O legal é que isto é tanto do psicológico da personagem, que nunca fica forçado como se tivessem que fazê-la negar por ela ser céptica. No universo da série, sabemos que é simplesmente como a mente dela funciona, como ela liga os pontos e os interpreta, e isto é muito legal!




[/Cleide]

Quotes:

Mulder: Cinco anos juntos, Scully. Deve ter notado alguma coisa. Examinou o corpo de Backus? O que descobriu?
Scully: Mais ou menos o que pensávamos.
Mulder: Mais ou menos? O que quer dizer?

Scully: Havia sinais de decomposição mais avançados do que esperávamos. O que, de fato, não significa nada. Sabe-se que a hora da morte é difícil de calcular.
Mulder: Ou Lambert dizia a verdade. O homem estava morto antes de ser baleado.
Scully: Não. Mulder...

Mulder: Quando aquele monstro... Pincus, seja qual for seu nome, quando atacou a mulher ontem à noite, ele fez alguma coisa no seu pescoço. Ele a mordeu ou a injetou. Deve ter alguma evidência.
Scully: O caso acabou. Não há mais evidências a serem coletadas. Apenas a minha esperança que seus delírios passem.
Mulder: Você precisa querer ver.

Scully: Gostaria que fosse assim tão simples.
Mulder: Você precisa acreditar em mim. Ninguém neste planeta acredita ou acreditará. Você é a única em cinco bilhões.





Outras Imagens de Folie a Deux:

"It's here!" Ok ok... Acalme-se, Father Joe.

Olha esse monstro!

"Monstro? É comigo mesmo!"

Ownn... o dedinho ainda tá machucado...

Pincus... o monstro com disfarce.

"Agora, você precisa de minha ajuda, né? humm..."

Um dos zumbis

Tadinho... tantos machucados...

"Ah, Mulder... as coisas que eu faço por você..."

Ambos meio assim assim...

domingo, 27 de julho de 2014

05x18 - The Pine Bluff Variant (A Biotoxina)

Direção: Rob Bowman
Roteiro: John Shiban

Resumo: Mulder trabalha sob disfarce para tentar descortinar uma rede de terrorismo.




Comentários:

[Josi] A Biotoxina não é um dos episódios mais brilhantes de Arquivo X, mas é legal de se assistir.

Logo no começo vemos Mulder, Scully, Skinner e mais um bando de agentes envolvidos numa missão num parque para aparentemente prender um terrorista. É muito legal que quando Scully perde Mulder de vista no meio da confusão, ela nem pensa duas vezes antes de sair correndo para ir atrás dele. Ela tem experiência e sabe que muito provavelmente ele deve estar precisando de ajuda.

O que ela não imaginava era que veria seu parceiro ajudando o cara a fugir. claro que a bichinha deve ter ficado toda desorientada e foi checar os vídeos de segurança que apenas a devem ter deixando ainda mais confusa. Mulder estaria mesmo traindo o seu país? Tanto ela não acredita nisso que ela não o denuncia, apenas o questiona e quando fica sem resposta, o segue. Ela iria até o fim para salvar Mulder dele mesmo.

Adoro quando eles vão para reunião e Scully fica encarando Mulder e ele olhando para todos os lados menos para ela. Daí no final, ele sai correndo e a ignora. 

Diretor: "Como vocês sabem que o agente químico não se espalhou pelo parque?"
Mulder: "Estamos todos vivos" - Ele fala isso com um sorrisinho tipo 'como sou esperto'. Mulder e suas piadinhas infames...

Não entendi exatamente o porquê deles não terem estendido a missão para a Scully também. Claro que ela notaria em algum momento o comportamento estranho de Mulder e vamos combinar que sempre que ele se mete em alguma confusão, Skinner vai diretamente pra ela pedir explicações.

Daí pra frente, enquanto Scully se desdobra pra espionar Mulder e saber o que ele ta aprontando, Mulder se esforça para ganhar a confiança dos terroristas.

Pobre Mulder... eu honestamente não sei até onde ele aguentaria uma sessão de tortura séria... acho que ele faria quantas piadas fossem necessárias para os caras se irritarem logo e o matarem de uma vez. Eu fico aqui rindo porque lá no galpão, o careca aperta o dedo dele, Mulder se acaba... deve doer mesmo. A razão das minhas risadas é porque eu lembro de Helena de Orphan Black (não conhece??? Vá assistir! Melhor série da atualidade!) torcendo um dedo de um cara num bar quando ele foi importuná-la e ela o manda deixar de ser bobo que aquilo não era nada. "Don't be a baby" kkkkkkkkk Oh, Mulder...

Mas é lindo Mulder batendo no careca... depois quando ele aparece de novo, ele parece muito mais ferrado do que Mulder!

Enquanto isso, os agentes do governo, ao invés de fazer algo simples como ligar pra Scully, preferem fechá-la na estrada e a obrigar a segui-los para um lugar desconhecido e só ali revelar a verdade a ela. Como se uma movimentação daquelas atrás do carro que ela estava seguindo não fosse chamar atenção. Ok.

O bom é que Scully desconfia na hora que a coisa não cheira bem. E Skinner entra para o clube logo depois, mas eles não têm nada concreto para abortar a operação... e Mulder continua correndo perigo.

Dá pra entender que eles não tenham contado pra Scully quando você vê que assim que ela sabe, alguém imediatamente descobre. Esse tempo todo, eles ainda não entenderam que o ap de Mulder não é nem um pouco seguro? Não é a toa que o careca de lost sabia de tudo. ;-)



Eu não peguei muito bem o esquema da cena do cinema. Primeiro, interessante que todas as pessoas tenham sido contaminadas e tenham demorado tanto para descobrirem. Tá que colocaram a toxina no dinheiro... mas nem todos tocariam no dinheiro... algumas pessoas dariam o dinheiro contado não? Depois eles desconfiam do ticket, mas não do dinheiro? aff

Outra cena mal feita foi aquela do assalto em que mandam Mulder matar o carinha que ia acionar o alarme. Não precisava meeeesmo matá-lo, bastava uma lapada bem dada e pronto. E Mulder poderia se negar mesmo. Tudo isso foi só pelo drama. "Será que ele vai matar ou não? oh oh!" :P Aliás, esse episódio foi depois daquele filme com Keanu Reeves e Patrick Swayze? A trama de assaltos com o pessoal mascarado de forma temática é bem parecida.

Agora, vamos combinar... Mulder tava muito lindo nesse episódio... naquela cena em que ele seria assassinado... uau!

Mulder prestes a morrer, mas sem poder perder uma piada:
O chefe diz que vai levar os prisioneiros para matá-los em outro lugar porque presenciar o assassinato de um agente federam tornaria o resto do bando cúmplice. Mulder vira pro carecão e diz: "Você ouviu isso?". E o cara: "Não perderia isso por nada desse mundo". A cara que Mulder faz na hora é ótima...

E ao final, o de sempre... Mulder sendo usado para alguma ação suja do governo e no final eles não conseguem provar nada de concreto.

Só uma pequena nota: falar assim que eles não conseguem as provas e foram usados é ruim, mas temos que lembrar que, apesar disso, eles geralmente conseguem frustrar os planos ou diminuir os danos... e isso conta. O trabalho de Mulder e Scully dentro dos Arquivos X nunca foi irrelevante ou infrutífero. [/Josi]

"Mulder, responda!"

[Starbuck] "A Biotoxina".. DEMAIS DEMAIS DEMAIS...

Adoro esse episódio. PERFEITO!!!

- A idéia principal de "não confie em ninguém", especialmente no GOVERNO... é muito boa e bem fundamentada!!

- teaser diferente... os agentes numa operação secreta.. Mulder correndo (de agasalho), Scully mandando na situação (claro!!) e correndo para socorrer o Mulder no menor sinal de complicação... daí temos aquela cena em que ela o avista em atitude suspeita...

- Uma pergunta: como o Mulder não entende que NUNCA pode deixar a ruiva de fora?? (depois ela se vingou em "libertação da humanidade")....

Até quando vocês acham que o Mulder encararia esse olhar...

Olhem a cara dele rs rs ...tadinho!!!







- A cena do cinema é MARAVILHOSA.... os corpos aparecendo à medida que a luz da tela incidia nas poltronas.. COOL..

- Depois de torrar a paciência de meio mundo, Scully finalmente descobre o que se passa com Mulder... (o careca, claro, é obrigado a dizer a ela) .. e, então, temos a clássica cena da Scully revivendo seus talentos da medicina (pobre Mulder).

Scully: "Você deve estar sentindo muita dor!"
Mulder: "Com você puxando desse jeito (o dedo), é claro!"





- Ah.. ainda temos a piadinha "pepsi" do Mulder e o pedido dele para deixarem-no com capuz, se eles não quiserem ver um homem chorando como um bebê.... ADORO ESSE CARA

- E Mulder de preto... com uma arma apontada na cabeça... ainda assim é lindo de viver..






- E ele fazendo o gesto sobre o rosto, ao indagar a Scully como ela o reconheceu no tape... "Não Mulder, dessa vez não foi o lance do amor"... foi o dedo!!!

DEMAIS.. DEMAIS.. (já digitei isso, né??? mas, é DEMAIS mesmo). [/Starbuck]

"MULDER! Droga!"

[Tessa]
A sequência do parque é D+, quando o mulder some da tela e não responde os chamados a scully entra em desespero e sai correndo da van deixando o skinner falando sozinho.

Scully explica sua preocupação ao mulder, querendo saber por que ele deixou Haley escapar. Mas Mulder se desvia do assunto. Mesmo sabendo que ele fez algo errado ela não o entrega, e o mulder foge, se finge de bobo para não mentir pra ela.
Scully: "Tenho de apresentar um relatório hoje. Espero uma resposta. Espero que me diga a verdade."
Mulder: "Estamos atrasados para o inquérito."

Na reunião a scully fuzila o mulder com os olhos o tempo todo, e ele sem coragem de olhar pra ela.






Com sua curiosidade abalada, Scully começa a vigiar de longe os passos de seu parceiro. Mulder aluga o quarto de um motel.

A cena mais engraçada:

Tiozinho: "Quem é você?"
Scully: "Quem sou eu? Quem é ele?"
Tiozinho: "Sr. Kaplan."
Scully: "Sr. Kaplan?"
Tiozinho: "Sim."
Scully: "Obrigada."
Tiozinho: "Você é a esposa?"
Scully: "Nem de perto."

Skinner: "Suspeita que o mulder tenha traído seu país..."
Scully: "Não sei o que quer dizer."
Ela só mente por ele.

Scully: "O que aconteceu com a sua mão?"
Tão juntinhos e tão escuro, mulder não deve pagar quase nada de taxa de luz.

A cena que mais gosto...
Mulder fica lindo até antes de morrer, nunca vi em alguém ficar tão calmo antes de ser executado.





[/Tessa]

"SCULLY!!!"

[Paulo] 10 mais 1 razões pra se pensar sobre esse episódio.

Caro colega fã de x-files, espero não te entediar com minha abordagem deste episódio, qualquer coisa, culpem a Scully e sua chata visão pragmática do mundo, pois é sobre este escopo que vou delinear algumas humildes observações sobre este fascinante fascículo: the pine bluff variant, mal traduzido em, a biotoxina.

1. A forma como se transmite a toxina é a meu ver a chave do episódio. O primeiro infectado deixa no ar a maneira de transmissão, dado que apenas o vendedor é afetado, não havendo problemas nem pro comprador, nem pros transeuntes que se aproximaram. Em um segundo momento, o infiltrado a retransmite no cinema, detalhe, ele pede pipoca quente e fresca, faz questão de frisar isso. E causa uma hecatombe de 14 vítimas, seria a toxina ativada pelo calor? Uma coisa parece certa, se ingerida ela é letal, mas não transmite facilmente pelo ar, outra fica dúbia, se ela pode ser transmitida pelo contado com pele.

2. Expandindo ainda o segundo parágrafo vem os comentários sobre o infiltrado. A meu ver ele é claramente agente de um dos tentáculos sujos que crescem dentro do governo americano, em sua incansável busca pelo poder.

3. O atentado dentro do cinema me parece claramente um teste da eficácia de transmissão em ambiente fechado e da mortalidade da toxina.





4. O governo facilitou o roubo da toxina pelo grupo do infiltrado, fazendo com que este tivesse as oportunidades que teve, de testá-la e logo após entregá-la ao grupo de poder governamental, o qual agora tem mais uma arma em mãos. Eliminando o máximo de provas e testemunhas possíveis. 

5.  Ele salva o Mulder exatamente por isso. Pra que o caso não vire assassinato de agente federal, despertando excessiva atenção pra sua identidade coberta e sua missão tenebrosa.

6. A Scully fica muito P... da vida com Mulder no começo do episódio, por pouco ela não o pega pelo pescoço após vê-lo dando cobertura ao terrorista no parque.

7. Mulder me parece muito perdido neste episódio, e o careca nazista ferra demais com ele.

8. A catarse final da execução do Mulder, a meu ver foi mal feita, não gostei da cena, devido a espera do infiltrado para salvá-lo. Isso põe em risco a lógica de salvá-lo em si, para evitar exposição. Logo que o nazista deu as costas e ficaram sós, ele devia ter atirado no careca, e não esperado até o último momento, a meu ver o roteirista pecou nessa.

9. Achei meio furado os 27 assaltos a bancos federais. Na mesma região, no mesmo horário. A não ser que vazassem a informação.

10. A sacada do dedo quebrado do Mulder, feita pela Scully foi magnânima, como sempre...






e pra fechar...

11 Sempre é bom ver x files, pois é lá que estão as verdades. [/Paulo]

"Um homem me disse que você deu a ele as chaves de meu quarto... quarto 130"
"Quem é você?"
"Quem sou eu? Quem é ele?"
"Sr... uh... Kaplan"

[Cleide] O episódio de John Shiban, partiu inicialmente de uma premissa: Mulder em uma missão disfarçado. O escritor revelou posteriormente que era um interesse dele há tempos, mas não conseguia imaginar em que cenário colocaria o agente.

Começa o teaser com Mulder no plano, correndo num parque, a câmera o mostra de costas e temos a sensação de o estarmos perseguindo. Cortam para um grupo de agentes acompanhando por câmeras tudo que se passava... mostrando o que parecia uma força tarefa do FBI para uma prisão importante.


Scully, sendo tão preocupada com Mulder, coloca sua perspicácia fora do comum para garantir a segurança do parceiro, por causa disto ela percebe que o suspeito observava Mulder, ficando ao ponto do desespero, e quando a situação sai do controle, este desespero chega a impulsividade e ela vai correndo para tentar encontrar o parceiro, e o vê suspeitamente deixando o homem fugir.

Como eles eram totalmente confidentes um do outro já neste momento, Scully confronta o parceiro, que age de maneira estranha e lacônica (Mulder é péssimo para mentir). Na reunião da força tarefa para avaliação, entre CIA e FBI, nos é revelada a natureza da arma: agente biológico letal, e também que se tratava de uma milícia terrorista chefiada por Jacob Steven Haley, o homem que tentavam pegar. Então, Scully e nós ficamos totalmente incrédulos vendo Mulder ajudando um terrorista, e o pior é que não apenas um terrorista, mas terrorismo envolvendo armas biológicas.

Scully é danada! Acho maior graça dela seguindo Mulder, e dando uma dura no confuso recepcionista do hotel, que pergunta: “Você é a esposa?” “Nem de perto!” Muito espirituosa... aliás, a piadinha estilo Mulder, quando ela é parada na estrada e levada por uma enorme escolta (mulher perigosa), e pergunta qual agência que eles pertenciam, não recebendo resposta diz “da informação que não é”... já estava convivendo demais com o querido né?

Quando Skinner conta o real teor da missão, Scully, que já tinha sido picada pelo bichinho da desconfiança há muito tempo, não acha nada bom, e desconfiada como é, vai investigar o contágio e também ver como está Mulder...

O que não tem graça nenhuma é a situação de Mulder, sendo levado encapuzado para um lugar não identificado, e torturado. As vezes fazem piada com a habilidade de Mulder com armas, e coisa e tal, mas eu acho um personagem extremamente corajoso, uma coragem genuína, às vezes quase suicida. Acho esta cena mais aflitiva do episódio, até mesmo uma das que mais me deixou nervosa da série. Que aflição daquele careca quebrando o dedo de Mulder indefeso, todo amarrado. E imaginem que medo responder perguntas com aquele spray na cara? Mulder tem um conhecimento muito bom do psicológico humano, ao plantar a sementinha da discórdia, ele acaba se salvando... ah, só pra registrar, adoro ele ter dado aquela cabeçada no careca!

A cena fofa do episódio, quando Scully está no apê do Mulder o aguardando e cuida da fratura dele... agora, uma pergunta “capciosa” (como se diz aqui em Minas) Mulder foi grampeado milhares de vezes na série, como ele conversa um assunto do qual dependia sua vida, neste mesmo apê que todo mundo conhece, inocentemente com Scully???

Scully pra variar mata toda a charada, não eram, como a primeira reunião levantou, terroristas russos que inventaram a arma biológica, no caso um estreptococos com invólucros sintéticos que só se dissolviam em contato com a pele. A arma era produzida domesticamente, um projeto chamado Pine Bluff, que se acreditava encerrado em 1959, teve prosseguimento em segredo em 1960. Quem deu a missão para Mulder sabia que o estava enviando para uma missão suicida. E assim se provam os fatos, no último encontro com os terroristas, pegam Mulder como refém e o obrigam a participar de um assalto... que era apenas uma encenação para que o dinheiro fosse contaminado com a toxina. As cenas do assalto me remetem a um filme que eu amava nos anos 1990: Os Caçadores de Emoção, lembram, um dos primeiros filmes de Keanu Reeves, que faz exatamente o papel de um jovem agente do FBI infiltrado numa quadrilha de roubos a bancos. Eles usavam máscaras dos presidentes, e como no episódio, a gente reconhece o agente pela humanidade dele nos olhos que aparecem na máscara, em contraponto aos olhares frios dos bandidos de verdade.

Outro momento extremamente tenso, é quando o August Brammer entrega Mulder para a milícia... dá um frio na barriga... a gente pensa: “agora não tem jeito!”. Aquele cenário por onde passam com o agente, parece desolada e longa, como se fosse mesmo um corredor da morte... o desfecho nos assusta, reparem que quando o cara atira, Mulder vai pra frente como se tivesse sido atingido.  

Finalmente livre da “cilada”, Mulder corre para o banco, mas Scully se antecipou em identificar a agência e tomar todas as previdências, e finalmente, o cara de pau do agente da CIA confessa que sabia de tudo desde o início e que o trabalho do governo muitas vezes é garantir que as pessoas não conheçam a verdade... pra variar né?

Tenho que destacar a cenografia interessante deste episódio, o parque, no início com cerejeiras em flor simulando uma paisagem de Washington é belíssimo, e as locações onde Mulder e os terroristas se encontram, inóspitas, misteriosas. Tudo muito bem pensado. Não é meu episódio favorito, mas é muito bom! [/Cleide]

"Sr Kaplan?"
"Sim"
"Obrigada"
"Você é a esposa?"
"Nem de perto"

Quotes:

Mulder: August Bremmer, ou seja lá qual for seu nome, está do nosso lado.
Scully: Mulder, antes de qualquer coisa você deve saber que a biotoxina usada talvez tenha vindo de laboratórios do nosso governo.
Mulder: Foi uma armação?
Skinner: Não temos informação para corroborar essa hipótese.
Mulder: Fui usado? A operação toda? As pessoas que morreram no cinema?

Ag da CIA: Não é costume do nosso governo matar civis inocentes.
Mulder: O diabo que não. Testaram em nós para usarem em outros povos.
Ag da CIA: As notas foram analisadas. O dinheiro no cofre não indicou nada. Não há evidência de biotoxina. Então, antes de soltar os cachorros...

Scully: Você sempre soube. Sabia o tempo todo.
Mulder: Chequem o dinheiro de novo.
Ag da CIA: Já foi liberado. Está sendo usado como evidência em um crime federal.
Mulder: O dinheiro é tão sujo quanto você, não é? Não é?

Ag da CIA: E se for verdade? O que espera atingir ao revelá-lo? Instigar uma ação de direitos civis? Derrubar o governo federal? Levar adiante o trabalho daquele grupo? O que quer? Leis contra esses homens ou a favor deles?
Mulder: Quero que as pessoas saibam a verdade.
Ag da CIA: Às vezes nosso trabalho é evitar que elas saibam.


Outras Imagens de The Pine Bluff Variant:

Scully e Skinner durante a operação no parque

Uma das vítimas da toxina

Mulder evitando Scully

Ai!

Mulder também não estava pra brincadeiras

Essa mãozinha na frente da máscara fez a diferença, heim?

"Quais são as chances de Scully estar vindo me salvar?"

Sim, vocês foram usados... de novo
Fonte dos GIFs: x x