domingo, 17 de agosto de 2014

05x19 - Folie a Deux (Loucura Coletiva)

Direção: Kim Manners
Roteiro: Vince Gilligan

Resumo: Mulder e Scully investigam uma ameaça a uma companhia de telemarketing que estaria sendo comandada por um monstro sugador de vidas.


Comentários:

[Josi] Amo esse episódio. Podem falar o que quiser, que eu não ligo. Ele é lindo do início ao fim. Adoro esses episódios em que os roteiristas desbancam a ideia dos Arquivos X da forma como todos os vêem, até mesmo Mulder dessa vez, como uma coisa idiota e de gente doida e no meio da história mostra que a ignorância vem de que quem não acredita e que há muito mais em nosso mundo do que a gente pode ver com nossos olhos e nossa tecnologia.

Nesse episódio temos Mulder chato, Mulder profissional policial e psicólogo, Mulder fofo, Mulder desesperado... temos Scully brincalhona, Scully dando apoio, Scully fazendo autópsia, Scully não resistindo aos olhos de cachorro que caiu da mudança de Mulder, Scully sem ter o que dizer diante do inacreditável, Scully salvando o traseiro de Mulder... temos Skinner completamente exausto de ter a "sorte" de ser o superior desses dois malucos... e temos um verdadeiro monstro da semana. Ah, temos também David e Gillian belíssimos nos distraindo em cada close...

O episódio começa em uma companhia de telemarketing. E você já fica desconfortável e levemente irritada ao lembrar das vezes que atendeu o telefone e era essa chatice do outro lado da linha...

"Se você não sorrir, eles podem ouvir" - Isso é realmente coisa de babaca. Mas imagina, Gary tirou uma pausa de menos de um minuto e o supervisor notou imediatamente. O cara é bom.

Mas é de se esperar que alguém que trabalhe em algo tão repetitivo, entediante e que requer tão pouco de pensamento acabe um dia vendo monstros mesmo...

Não sei o que me diverte mais na cena de Skinner dando a tarefa para Mulder e Scully. Se Skinner estar visivelmente desconfortável ou Mulder ficar tão ofendido. Mulder... você enganou a Scully de forma a levá-la para investigar um monstro num lago, lembra? E nem deu tempo dela arrumar alguém que tomasse conta de Queequeg... Acho que ele estava ainda irritado porque foi usado em outra tramóia governamental... e ainda machucaram o dedo dele no processo.

Mulder: "Eu devo ter feito algo para irritá-lo. Ou talvez eu tenha chegado àquele ponto mágico da minha carreira em que alguém vê a Virgem Maria em uma tortilla e me chamam de meu porão para dar meu parecer profissional." - Quanto drama, heim? E ainda recusa a companhia de Scully.



Oh, de repente pensei que esse caso não seria recusado por Dean e Sam. *.* Quer dizer... agora mesmo, seria, porque eles têm outros problemas... mas... deixa pra lá. Voltemos a Mulder e Scully pois nessa época os meninos ainda eram muito meninos. :P

Oooownnn... Nesse momento, Mulder questiona sua vida e suas escolhas... "Por que eu?"






No entanto, ele fica um pouco mais interessado no caso depois de ouvir a fita. Ele tem bons instintos e sabe quando tem coisa quente em mãos...

Centenas de arquivos e Mulder pede que Scully procure uma frase perdida no meio deles. Fuck you, Mulder. Hoje em dia, eu espero que, se estes arquivos tenham sido recuperados, eles tenham investido na digitalização deles. E que esteja de forma tal que uma busca simples possa achar esse tipo de coisa.

Tadinha da Nancy... tão fofa e já era.

Amo ver Mulder realmente trabalhando... fazendo pesquisas, análises psicológicas. É nisso o que ele é realmente bom. As pessoas às vezes esquecem o quanto que ele é inteligente e perspicaz, que ele não é feito de lances de sorte, mas de análises, pesquisas e muito estudo...

Mulder: "Scully, correndo o risco de você dizer "eu não te disse?", eu acho que é hora de você vir até aqui e me ajudar."
Scully: "Eu não te disse?"





Esses dois não são uns fofos? Nasceram um para o outro.

Se você não aprecia Mulder mostrando todas as suas qualidades como agente treinado nesse episódio, eu não sei o que dizer. A cena em que ele está misturado com os reféns é perfeita. Ele dirige e mantém Gary ocupado e distraído, enquanto cuida de se preparar para poder pegar sua arma disfarçadamente e então tomar controle completo da situação.

Enquanto, Scully, sabiamente, tentava manter Mulder incógnito dentro do prédio, mas os policiais sempre estragam tudo...

Lembro que antigamente eu costumava voltar essa cena várias vezes porque eu amava aquele momento de intensa frustração de Mulder quando Gary descobre seu distintivo.





Detetive: "Ele atirou em um refém!"
Scully: "Quem?" - Muito bem, Scully! O importante é saber se Mulder está bem.

Gente! Percebam o olhar ansioso de Scully com toda a situação que as câmeras mostram! Ela fica tão angustiada ao ver Mulder na mira da arma!

Agora... quase melhor do que isso é o olhar arregalado de Mulder quando ele passa a ver o monstro também. Aliás, que monstrinho sem futuro. Feio demais! kkkkkkkk





Gary antes de morrer para Mulder: "Agora você sabe". - Sim, Gary, seu inútil... nem pra matar o monstro! Você tinha o cara na minha de uma arma, já estava com sua reputação perdida mesmo, que atirasse logo! Mas não... tinha que querer tv também!

Mulder está no escritório mergulhado nas suas descobertas dos Arquivos X, Scully está certa que ele está fora de si porque não descansou, como se ele fizesse isso... ok ok. Tudo normal. Agora, todos falam o quanto Scully é estranha porque mesmo depois de anos dentro dos AX, ela ainda não acredita em situações paranormais. Beleza. No entanto, como explicar o ceticismo de Mulder neste caso até que ele mesmo viu? E a total estranheza de Skinner e Scully quando Mulder passa a acreditar que o monstro exista também?

Scully: "Mulder, ele estava perturbado..."
Mulder: "Sim, mas ele via porque estava perturbado ou ele estava perturbado porque ele via?"

É lindo ver Skinner chamar Scully para que ela dê conta do comportamento do parceiro e ela cobrir o traseiro dele perfeitamente...

Mas vou te dizer... é muito bizarro ver essa coisa correndo pelo teto e pelas paredes como se fosse uma barata gigante! 






E no depoimento... "e ele era bem pior do que Gary!"... Fia, essas coisas doem, viu?

Mas o que Skinner esperava dando um caso desses pra Mulder? Quando foi que Mulder atuou em casos assim com cautela? Você pediu por isso, skinman!





Ah... a cena do hospital... ai ai... é demais. Todo o diálogo é maravilhoso! "Você tem que acreditar em mim, Scully! Ninguém neste maldito planeta acredita ou acreditará!" Fofo.

Eu sempre vou ter um quê contra os métodos de Scully numa autópsia... cara... tenha mais cuidado! Eca!

E Scully salva Mulder mais uma vez. :) Ela ainda acerta no bicho várias vezes! E Mulder fica olhando pra ela como quem diz "agora você viu, né? te falei!".





Então, ao final, ela vai dar o relatório para Skinner e ele fica insistindo por descrições e detalhes e fica claro que ela está a um fio de dar na cara dele. "Você quer me trancafiar dentro de um hospital psiquiátrico também????!!!!"

Na verdade, acho que Skinner sorria aliviado quando o caso acabava dessa forma. Afinal, apesar do cara-monstro ter sumido junto com seus zumbis, pelo menos isso corroborava o caso comprovando que o gerente tinha alguma coisa podre e Scully tinha lhe dado uma resposta científica válida para que ele não passasse como bobo nas instâncias superiores do FBI.

Mas dá pena de ver a carinha esperançosa de Mulder achando que Scully ia mergulhar junto com ele em teorias sobrenaturais e ela mais uma vez cobre o que viu com uma "confortável" resposta científica...

"Folie a deux. Uma loucura compartilhada por dois ou mais indivíduos..."






[/Josi]

x

[Starbuck] Folie a Deux - como todos os epis dessa temporada - MUITO MUITO MUITO BOM.

- Gosto do lance de zumbis, lembra-me sempre um livro do Dost (Demônios), que o personagem principal é uma espécie de Zumbi, ou seja, uma coisa sem alma, sem vontade própria, sem ideal, sem alegria nem tristeza, sem nada ("sem nada" é tudo? hummm). Fiquei com medo daquele homem que tirava a "alma" das pessoas.. sério... olhem a cara da pessoa:


- Mulder todo enfadado achando que ia investigar uma bobagem diz a scully que ela não precisa ir junto, ela insiste, mas ele afirma que o caso é muito bobo para irem os dois.... DEPOIS...
Mulder: "Scully, correndo o risco de você dizer "eu te avisei", você pode vir para cá, preciso de você."
Scully: "Eu te avisei."

- Gente... quantas vezes a Scully já acompanhou o Mulder por um monitor??? (vejam a cara de assustada.... tadinha da ruiva)

- Bom.. nesse momento, abrirei espaço para o Mulder "fofo".. olhem esse biquinho (rs rs):






- Adoro quando a Scully descreve o cara que vê zumbis como um louco, que tem alucinações e bla bla bla ... e o Mulder pergunta a ela se ela acha o mesmo dele, já que ele também viu.. A cara que ela faz nessa hora é ótima...

- O monstro é uma mistura da "mosca" (porque é um inseto) e do monstro da fúria de titãs (aquele filme tosco no último rs rs )... eles tiram alguns frames da imagem, daí o monstro fica daquele jeito meio engessadão.. COOL.

- Tem o momento "mãos".







-E mais um momento Mulder "fofo"... em que ele diz: "Você é a única em cinco bilhões"

- Ah.. momento biquinho II.

E... o final... sempre que eles ficam em elevadores, eu lembro daquela "brincadeira"da Gillian... daí meu chip shipper muda de voltagem e fica "perv" como diria a Lu..





[/Starbuck]



[Cleide] Este episódio me causa uma certa nostalgia. Quando a quinta temporada de Arquivo X passou aqui no Brasil na TV aberta, entre 1997/98, era também o início da chegada do acesso popular à internet. E devem lembrar que a informação demorava muito mais a chegar até nós, e passava pelo filtro das revistas, afinal, cada jornalista tem seu prisma para contar uma história, dar uma notícia.

Eu era uma entusiasta da internet, já havia lido sobre a rede mundial de computadores nas revistas e queria muito experimentar. A maioria do conteúdo era em inglês, e naquela época eu já estava no curso avançado.

Assim que o primeiro provedor surgiu em MG, eu dei um jeito de assinar. Me lembro de esperar até meia noite para não ter pulsos cobrados, e a dificuldade que era uma conexão. Mas eu curtia tanto essa "viagem" que quando entrei na faculdade, apesar de ser uma das únicas alunas de periferia, era a única que dominava muito bem internet e suas ferramentas.

Minha navegação pela rede adentro se resumia em um assunto: Arquivo X, que era minha obsessão... e eu amava spoilers! Aprendi muita gíria em inglês na marra! Hoje em dia é uma frescura, as pessoas faltam se matar se alguém solta um spoiler, vira até inimizade... vai ler o Crônicas do Gelo e do Fogo e comentar alguma coisa com quem assiste Games of Thrones... perigo!

Fiz este rodeio todo para introduzir meus comentários de Folie a Deux, porque se uma frase pudesse ser dita sobre este episódio seria: "You're my one in five billions". Putz, foi este o primeiro spoiler que soltaram sobre o episódio... vocês não conseguem imaginar o quanto esperei para assistir o final da quinta temporada, como assim o Mulder vai dizer isto pra Scully? Que coisa mais linda!

Bom, hoje em dia, na minha avaliação, não é um dos meus "monstros da semana" preferidos, mas não é ruim. A construção do episódio é interessante, pois inicialmente Mulder não acha que o caso seria um Arquivo X, Scully estranha, quer ir junto investigar, ele acha desnecessário, e quando chega, começa a farejar (eita faro bom!) que algo realmente estava estranho naquela empresa.

O que é interessante é que a construção ambígua do episódio dá abertura para a interpretação da loucura compartilhada ou para a real existência de um monstro sugador de pessoas disfarçado. Em grande parte do tempo, enxergamos com os olhos do empregado que parece estar enlouquecendo e agindo como um terrorista, mas então, Mulder sob pressão, também vê a face do monstro. Ficamos muito tempo pensando: será que é por que ele estava querendo ver? Será por que ele era tão propenso com sua mente aberta? Ou esse homem é mesmo um monstro?

Mulder com aquela mania de enciclopédia ambulante, lembra-se de insetos que nublam a consciência de suas vítimas (chega a ser chato ter tanto conhecimento né?), Scully, pra variar, não acredita em "nadinha", mas neste caso, ficou meio difícil acreditar mesmo, porque o tal do Greg Pincus age com tanta gentileza, que não dá pra acreditar em toda a história que o Gary contava, e que Mulder insiste em repetir.

Pra variar um pouco #SQN, o que o agente faz quando desconfia de alguém... começa a seguir a pessoa sem mandato judicial para isto e etc... e não dá em outra, ele presencia um ataque, e acaba se envolvendo, dando margem a uma reclamação de Pincus  (super ofendido) para Skinner. Neste momento entendemos qual versão da história está certa, quando o monstro se mostra para Mulder, sabendo que ele ia parecer realmente louco, e dá um sorrisinho quando logra sucesso em seu plano. Por que Mulder nunca erra quando fareja um monstro?

Então, entramos na cena tão esperada... Mulder amarrado na cama de um hospital psiquiátrico, "Cinco anos juntos Scully, você não previa algo assim?" rsrsrsrs ela está resistente à versão que ele conta, não a condeno, acho que eu também ia acreditar mais num surto psicótico, mas aí ele se lembrando da forma de ataque da criatura, pede para ela conferir em uma das vítimas se haveria alguma marca na nuca... "Você tem que acreditar em mim, Scully, ninguém acredita, você é minha única em 5 bilhões" *.*

Claro que Scully cede, quem (a não ser ela) escutaria uma fofice destas? E então, não é que Mulder tinha alguma razão. Então ela corre para chegar a tempo de salvar o donzelo...

Uma palavrinha sobre a cena de Mulder no quarto escuro observando a janela... não sei vocês, mas me lembrou demais os meus medos da infância, quando eu escutava todo tipo de barulho do lado de fora e achava que era algo sobrenatural... é muito legal Scully de repente vendo que a enfermeira virou zumbi, e depois entrar no quarto ver Mulder sendo atacado, e salvá-lo, e em seguida, perceber seu constrangimento ao prestar contas para Skinner... a maneira como ela racionaliza a situação, como para ela é importante não parecer irracional ou "estranha". Então, ela realmente acredita que também foi acometida do mesmo surto de Mulder, e os outros detalhes, não tinham nada de sobrenatural.

O legal é que isto é tanto do psicológico da personagem, que nunca fica forçado como se tivessem que fazê-la negar por ela ser céptica. No universo da série, sabemos que é simplesmente como a mente dela funciona, como ela liga os pontos e os interpreta, e isto é muito legal!




[/Cleide]

Quotes:

Mulder: Cinco anos juntos, Scully. Deve ter notado alguma coisa. Examinou o corpo de Backus? O que descobriu?
Scully: Mais ou menos o que pensávamos.
Mulder: Mais ou menos? O que quer dizer?

Scully: Havia sinais de decomposição mais avançados do que esperávamos. O que, de fato, não significa nada. Sabe-se que a hora da morte é difícil de calcular.
Mulder: Ou Lambert dizia a verdade. O homem estava morto antes de ser baleado.
Scully: Não. Mulder...

Mulder: Quando aquele monstro... Pincus, seja qual for seu nome, quando atacou a mulher ontem à noite, ele fez alguma coisa no seu pescoço. Ele a mordeu ou a injetou. Deve ter alguma evidência.
Scully: O caso acabou. Não há mais evidências a serem coletadas. Apenas a minha esperança que seus delírios passem.
Mulder: Você precisa querer ver.

Scully: Gostaria que fosse assim tão simples.
Mulder: Você precisa acreditar em mim. Ninguém neste planeta acredita ou acreditará. Você é a única em cinco bilhões.





Outras Imagens de Folie a Deux:

"It's here!" Ok ok... Acalme-se, Father Joe.

Olha esse monstro!

"Monstro? É comigo mesmo!"

Ownn... o dedinho ainda tá machucado...

Pincus... o monstro com disfarce.

"Agora, você precisa de minha ajuda, né? humm..."

Um dos zumbis

Tadinho... tantos machucados...

"Ah, Mulder... as coisas que eu faço por você..."

Ambos meio assim assim...

4 comentários:

Fê Monteiro disse...

Gente, esse epi tem um lugar especial no meu coração...rs
Amo muito, porque foi o 2° epi que assisti de AX na vida (o primeiro foi 'Ice' quando era muito criança ainda), mas este foi o primeiro como fã realmente. Assisti na Record, depois de ver "Fight to the Future" no cine (um verdadeiro rito de passagem no qual me transformei em fã imediata), após o filme me lembro de ter ficado obcecada em descobrir quando e onde passava, como não tinha tv por assinatura na época, e a Record era mestra em jogar AX de lá pra cá nos horários e dias da semana, não foi tarefa fácil, mas consegui começar a acompanhar e foi 'Loucura Coletiva' o primeiro que assisti (♥)...fora toda essa história de vida...rs...amo monstros da semana e o "1 in a billion" não tenho nem palavras né. Ah...e assim como a Josi eu voltava várias vezes a gravação para rever a reação do Mulder de 'droga, fui pêgo'...nostalgia pura!
Amei gente! Já aguardando pelo próximo ♥♥♥

Cleide disse...

Fê, que depoimento legal! Dá uma nostalgia danada, nem fala. Eu também não tinha TV paga, meus colegas "ricos" de faculdade gravavam os inéditos pra mim as vezes, mas assisti tudo praticamente na Record, com toda aquela loucura. Mas valeu a pena, pra mim a TV ainda não produziu nada que se aproxime de Arquivo X.
Aqui, você animaria a escrever um depoimento sobre como você foi parar no cinema para ver Fight the Future? E como ele impactou na sua vida? Eu e Josita estamos preparando um especial sobre o filme assim que acabar a temporada!
Abraço!

Fê Monteiro disse...

Opa! Tô dentro!
Faço o depoimento sim, com certeza!
Vou escrevendo e mantenho comigo, quando precisarem dele me dêem um toque!
Abraços!

Cleide disse...

Você curte nossa página no Facebook, Fê? Por lá é mais fácil nos comunicarmos!Abs!