domingo, 8 de novembro de 2009

02x13 - Irresistible (Irresistível)

Roteiro: Chris Carter
Direção: David Nutter

Resumo: Um homem tem o estranho hábito de arrancar unhas e mechas de cabelos de cadáveres. Ao ser descoberto e demitido de uma funerária, Donnie Pfaster passa a produzir os seus próprios cadáveres.



Comentários:

[Starbuck] O que amo em Irresistível: Tudo.

Mas, vou tentar ser mais específica:

- O ator que faz o Donnie Pfaster foi a ESCOLHA PERFEITA. Mesmo que o roteiro não pudesse insinuar o lance da necrofilia, isso ficou óbvio na face dele, na interpretação dele.

A forma como o Pfaster anda, o jogo da câmera para nos dar uma dimensão da monstruosidade dele. Observem as cenas, como eles jogam com a sombra do Pfaster, como as mulheres ficam pequenas diante da sombra dele e como ele sempre aparece gigantesco como se fosse devorar a câmera... E sempre com aquela expressão de demência, aquela expressão que parece não haver salvação, não haver cura, ou seja, o mal na sua mais pura concepção.

- O diretor David Nuter mostrou que é um fã do filme "a primeira noite de um homem", com o Dustin Hoffman, ele recriou a cena clássica desse filme, naquele momento que o Pfaster aparece num ângulo (pela primeira vez ele fica menor que sua presa) abaixo da curvatura da perna da mulher.

- a Scully sente medo e o medo dela geralmente tem relação com os demônios que ela consegue enxergar. Ela via o demônio em D. Pfaster, justo ela... Acredito que o medo dela em acreditar é porque no fundo ela percebe o quanto é sensível a esse mundo de sombras..

Imagina esse episódio com uma desses atrizes.geração.Smalville? hauahauhau... Iria ser, de fato, assombroso (no pior dos sentidos). A Gillian deu um show de interpretação, a cena no consultório da psicóloga é antológica, uma cena que mostra o olhar que mais gosto da Scully... aquele que fica com uma lágrima brilhando, momentos antes de, finalmente, cair...

- O David também está em um dos seus melhores momentos. Eu acho que eles juntos melhoram, juro. Tentei assistir várias coisas deles pós-XF... mas, sempre os prefiro juntos (ok... comentário totalmente movido pelo CHIP xiita).

- o Mulder, apesar de ser acusado de tosco, sentiu desde o início o medo dela e quis ajudar, mas a única ajuda que ela permitiu foi o abraço no final.

Sempre associo a cena final de Irresistível com a cena final de Mulder e Scully em IWTB.... Só que nesse último, o Mulder já podia consolá-la com algo mais que um abraço.

- tem um dos melhores textos finais de XF: "o medo do desconhecido é uma resposta irracional para o excesso de imaginação. Mas o nosso medo das coisas rotineiras, do estranho que observa e do som de passos na escada. O medo da morte violenta e o primitivo impulso de sobrevivência são assustadores como qualquer arquivo X, tão reais que poderiam acontecer... com você."

- Ah.. e nesse episódio também tem uma citação ao Elvis... (já falamos sobre isso aqui.. eu acho que o Elvis poderia ter ganhado um crachá e participado da abertura... se até o xer...e a new.... deixa pra lá)

Com Irresistível, eu fiquei irremediavelmente perdida pela série. Esse episódio me abalou muitooooo... fiquei dias pensando sobre o que se passou nele. Lembro de cada cena, cada movimento do Pfaster, cada nuance do olhar da Scully. Bom, até a idéia do mal foi repensada em minha mente... [/Starbuck]

[Cleide] Gosto de ver o lado mais humano de nossa heroína, aliás, é isso que fascina em X-Files, pessoas normais, com fraquezas, desejos, capazes de atos extraordinários de heroísmo e renúncia.

Gosto do diálogo com a Karen Kossoff (aquela psicóloga do FBI que aparece de novo em "os calusari" e "Elegia") quando Scully diz que confia em Mulder mais do que em qualquer um, confia nele com a própria vida.

Adoro a fala de Mulder sobre Scully: "Pessoas gravam surras de policiais em ruas escuras. Conseguem fotografar Elvis em três diferentes cidades todos os dias, Mas ninguém viu uma linda mulher ser jogada fora da estrada em seu carro alugado".

Gosto também do cuidado e respeito do Mulder, ele quer protegê-la, mas não invade o espaço dela e chega na hora de salvá-la...

E finalmente, adoro quando ela se permite chorar nos braços de Mulder no final do episódio... [/Cleide]

Eu li uma vez q o comitê da Fox encasquetou com esse episódio, porque achou que o Pfaster tinha traços de necrofilia. CC precisou bater muito o pé para o episódio ser liberado (ainda bem), mas teve que dar uma "amenizada" no personagem para retirar qualquer insinuação sexual. [Adriana]


[Josi]
Este é um dos episódios que fazem da segunda temporada uma das minhas prediletas, a que tem os episódios mais sombrios. O que é uma Scully não apenas assustada mas apavorada e sem saber como lidar com isso? Talvez por ter uma sensibilidade maior em perceber o mal, a mulher fica realmente perturbada com o caso.

Eu confesso que eu também me sinto muito perturbada com ele. Engraçado que eu sempre absorvo os sentimentos da Scully durante os episódios. Por isso é sempre tão difícil pra mim rever os que ela sofre. Como este.

Quanto ao Donnie... Putz. Aquela calma dele é de resfriar os ossos. Eu sempre achei que uma alguém calmo dá mais medo do que um alterado... Enfim...

Mas... Não é por nada não, mas ele poderia ter sido mais discreto ao cortar os cabelos da garota morta logo no início do episódio ou não? Se ele cortasse apenas da parte de trás, ninguém jamais notaria. Mas ele fez uma bagunça. o.O

Ao ser obviamente demitido, ele vai atrás de outras formas de alimentar sua psicose. Primeiro, profanando túmulos e enfim... matando.

Ag. Bock: Você está querendo dizer que humanos fizeram isso?
Mulder: Se quiser chamá-los assim...

Ah, que Mulder sem vergonha! Suspeitava desde o princípio (sim, como o Chapolim Colorado!) que o caso não se relacionava com OVNIs, mas foi até lá e arrastou sua parceira num voo de 3 horas apenas para tê-la como companhia para ver um tal de VikingsXRedskins. Tadinha da Scully... acho que ela não gostou muito da ideia.

É interessante como eles colocam o contraste com a reação de Mulder e a de Scully. Ele não está nem aí. Acho que é como ele disse mesmo, ele trabalhou tempo demais na sessão de crimes violentos e outra: ele não é de se surpreender com o que as pessoas são capazes de fazer. Então, em contra-ponto a forma como a Scully se incomoda com o caso, no início, Mulder só pensa em como seria bom voltar ao jogo...

Eu pessoalmente acho essas moças que o Pfaster leva pra casa muito corajosas. Eu mesma que não entraria na casa de seu ninguém sem o conhecer muito bem. Medo blaster.

Outra coisa... Por que danado tinha um monte de gente esperando pra ver a autópsia da moça que a Scully foi fazer? Se eu fosse ela expulsava geral. Quase nunca fica ninguém com ela e, neste, só porque a pobre não estava no seu normal, ficou um monte de gente lá pra encher a paciência. :P

Mulder: "Parece não ser o bastante que as vítimas estejam mortas, ele tem de profaná-las também. Existe uma profunda psicose aqui. É um ódio impenetrável de mulheres, provavelmente originado de sua mãe." - Ok. Está explicado o porque dele não ter simplesmente tirado os cabelos da primeira moça de forma discreta. A calma dele é apenas superficial.

Mulder: "Só não quero que pense que você tem que esconder algo de mim" - own. A carinha que ele faz na hora é mais do que perfa. Amo como ele fala sussurrando com ela... a olhando nos olhos, com aquela voz falhando...

Outro ponto alto é mostrar o quanto que ela respeita seu parceiro e deseja o mesmo respeito dele a ponto de não querer deixar transparecer o seu medo. Acho que não era mesmo só em relação a Mulder, mas de um modo geral, pois quem vive num local dominado por presenças masculinas sabe que qualquer sinal de fraqueza, qualquer falha é motivo pra comparações sexistas...

Este episódio nos faz conhecer um pouco mais a Scully ao mostrá-la buscando ajuda com uma psicóloga. A cena da sessão é muito boa.

Pfaster (para Scully): "Seu cabelo é normal ou seco?" - E ele ainda fica frustrado quando ela nao responde... oi?

Lembrei dos comentários das meninas com relação ao sequestro dela por Duane Barry. Foi meio forçado mesmo quando a gente pensa em tudo que a Scully já passou... Ela sempre dá uma surra nesses caras... Podem notar que quando Mulder chega para salvá-la, ela já tinha dado uns bons sopapos no Pfaster.

E a cena dela finalmente desabando nos braços de Mulder no final? Ela ainda tenta parecer forte, mas não consegue. E olhar atônito de Mulder? Nossa! Este homem merece cada prêmio que recebe! Minha irmã disse que nunca tinha visto a Scully chorar... e eu respondi que antes disso, o Mulder tampouco...

Conselhos para lidar com a Scully:

1. Não confiem um segredo a ela... no mínimo Mulder saberá com certeza e rapidamente.
2. Nunca acreditem no "eu estou bem" dela! [/Josi]

[Nay] Em Irresisitível, vemos um Mulder ainda meio sem jeito abraçando a Scully no final: é como se ele estivesse surpreso com o efeito que a fragilidade de Scully tem sobre ele e ao mesmo tempo se desse cada vez mais conta de que sentia mais que carinho de amigo por ela...

Acho que Donnie Pfaster é assustador porque ele poderia ser qualquer pessoa comum que encontramos diariamente. Ele poderia ser o vizinho, o entregador de pizza ou mesmo o carinha paquerado. Essa ameaça próxima e sem face abala a nossa ilusória sensação de segurança... Além disso, a face sempre serena dele é perturbadora.... me lembra (de leve) aquele cara que fez dragão vermelho (da trilogia O silêncio dos inocentes), mas aquele lá forçou e ficou meio patético...

Scully:"Você precisa da minha ajuda."
Mulder: "Sempre!" - lindoooooooooo! [/Nay]

Quotes:

Scully: Você pensa que você encontrou uma maneira de lidar com essas coisas. Na escola de medicina, você desenvolve uma separação clínica da morte. Em seu treinamento no FBI, você é confrontada com esses casos, os mais terríveis e violentos casos.Você pensa que você pode olhar na cara do mais puro mal. E então você se encontra paralisada diante disto.
Kosseff: Você está ciente de que está falando sobre si mesma na segunda pessoa?

Scully: Não. Estou?
Kosseff: Você sabe o por quê?
Scully: Provavelmente como uma outra maneira de tentar me distanciar disso.



Kosseff: Você é uma pessoa forte. Você provavelmente sempre sentiu que poderia lidar com qualquer problema sozinha. Mas se sente vulnerável agora. Você sabe por que isso?
Scully: Não.
Kosseff: É o seu parceiro? Há algum problema com confiança?

Scully: Não. Eu confio nele tanto quanto em qualquer um. Eu confiaria minha vida a ele.
Kosseff: Você pode falar com ele acerca do modo como você está se sentindo?
Scully: Não. Eu sei que isso parece loucura, mas eu não quero que ele saiba o quanto que isso está me incomodando. Eu não quero que ele ache que tem que me proteger.
Kosseff: Eu sei que você perdeu o seu pai no ano passado. E eu li em seu arquivo que você esteve muito doente recentemente. Que a sua vida foi ameaçada. Exposições como essas podem deixar você extremamente vulnerável.

Scully: Eu sei dessas coisas. Estou consciente delas. Eu sei que o mundo está cheio de predadores, como sempre esteve. E eu sei que é meu trabalho proteger as pessoas deles. E eu contei com este fato para me dar fé na minha habilidade de fazer o que eu faço... Eu quero esta fé de volta... Eu preciso dela de volta...


Outras Imagens de Irresistible:

18 comentários:

♥Isabella♥ disse...

Primeiro de tudo: É simplesmente lindo e ao mesmo tempo sombrio esse epi;Confesso que aquele Pfaster me dava medo O.O!!! Mas a última cenaaa,aiai linda e perfa!!!

É Scully,desta vez não deu pra esconder o medo e a sensibilidade,mas saiba que sempre terá uma "pessoa" ao seu lado!!!♥

Continuem Assim,bjos té+.

Yanne Celly disse...

De fato esse foi o primeiro vilão que me apavorou, de verdade,lembro-me que na época não consegui dormir... pensando em que podemos nos tornar ou se já nascemnos assim?

Mas, como sou uma shipper doente confesso que este epi tem cenas incriveis, a cena final em que ele teme demonstrar a Scuully o quanto está abalado com aproximidade e confiança que ela coloca nele ao chorar...é demais...!

Será que tem outra série romântica como essa sem precisar de palavras para explicar?

bjs!

Josilene disse...

Isah, fia... vc TINHA medo dele? Eu ainda tenho. Fatão!

Own... tão fofinho ver como a Scully foi ficando mais aberta com o Mulder, não é? Aqui ela reluta em se abrir, mas em Milagro, ela já se joga nos braços dele...

"a cena final em que ele teme demonstrar a Scuully o quanto está abalado com a proximidade e confiança que ela coloca nele ao chorar...é demais...!" - by Yanne.

Gente... eu nunca pensei por este lado... a gente sempre foca tanto na Scully que não lembra que Mulder tb poderia ter se abalado muito com aquele desabafo dela...

Tão fofos os nossos queridos, não é? É tanto carinho/amor que eles têm um pelo outro que eles se paralisam no medo de tentar algo a mais e perder o que já conquistaram. *.*

Bjos, pessoas fofas!

Lívia Ribeiro disse...

Gente, Irresistível é para mim simplesmente......irresistível! (afff, trocadilho infame!!rsrsrsrs)
Mas este episódio para mim é um dos meus favoritos, confesso. Não que eu goste de ver Scully sofrer. Mas é que em cada episódio que ela sofre, nós temos um Mulder ultra-hiper-mega-blaster carinhoso com ela! E preocupado!!E isso fa meu coração de conto de fadas saltar de felicidades!!
Pfaster botou medo em muitaaaaa gente!E o brilhantismo dele foi tão grande que ele voltou mais "malzão" ainda na sétima temporda, no episódio "Orison". Medão.
Mennas, enfim, vcs souberam traduzir o que todo excer sentiu ao ver este episódio. Mais um trabalho cumprido com perfeitção pela Liga da Justiça!!! hehehehe
Bjussssssssssssss

Josilene disse...

Lívia, fia... que vibe desenho animado, heim? srrsrs A-M-E-I!

Amo Irresistível, mas... ele me deixa agoniada. Fato. É como Milagro... amo e odeio ao mesmo tempo. Tadinha da bichinha (o.O) da Scully!


Gente! Mais tarde tem post novo... e especial! Mas ele não é recomendado para logo depois de se comer, ok? rsrsrss

Bjin!

Fritas disse...

Cara...EU AMO ESSE EPISÓDIO!!!Esse e Clyde, claro...hihihi...(senão ele fica com ciúmes).
Droga...queria ter comentado nesse, mas esqueci...aff...tb não sou boa nisso...Mas enfim, amo!!!
E adoro Donnie, como minhas amiguinhas devem saber!!!hihihi

Ok...

"Scully: Eu sei dessas coisas. Estou consciente delas. Eu sei que o mundo está cheio de predadores, como sempre esteve. E eu sei que é meu trabalho proteger as pessoas deles. E eu contei com este fato para me dar fé na minha habilidade de fazer o que eu faço... Eu quero esta fé de volta... Eu preciso dela de volta..."

Na primeira vez q vi esse episódio eu lembro q copiei esse pedaço todo em um papel...achei mara demais!!!

Acho q vou até ver esse episódio de novo hoje, cara...muito bom!!!
E mais um show de nossas meninas nos comentários!!!

Fritas disse...

Ah...e é David Nutter, pô!!!Como eu queria q esse cara ficasse até o final!!!

Josilene disse...

"queria ter comentado nesse, mas esqueci...aff...tb não sou boa nisso..." - by Fritas. Aff... PLAH!

Como não é boa? Eu sofro, viu? rsrs

Sim, eu sei q vc ama o Donnie. Medo de tu, doida! Depois, ainda tem coragem de falar da Ka. kkkkkkkkkkk

Thanks e bjin pra tu!

PriEsp disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PriEsp disse...

Olá pessoal!

Este episódio é MARA! Já entrou pra lista de favoritos, pois mistura tudo: suspense, doses de terror (necrofilia!)e claro, momentos shippers altamente reveladores! ;-)

Sei que assisti os minutos finais segurando a mão do meu marido e com medo, por mais que soubesse que a querida Scully não ia ser mais uma vítima do Donnie! Falando nele, o ator deu vida ao tarado de forma perfeita, aquele olhar macabro deixa a gente com frio na espinha - até pensei, ainda bem que ele não gosta de cabelos escuros como os meus ;-)

E o fato de ser alguém aparentemente "normal", que tem um convívio social, remete pra mim aos casos de pedofilia que tanto escutamos atualmente - um cara como o Donnie pode ser um vizinho, um tio, um amigo até, que se aproveita de qualquer proximidade para farejar suas vítimas... afff. Eugene Tooms até ficou bonzinho depois deste epi ;-)

Ow, e tb macabra as sensações da Scully, se vendo na foto e no sonho como uma mulheres violadas pelo Donnie, e pior, tendo flashes da abdução (aliás, só confirmando, aquela hora que a imagem do Donnie se confunde, era com a de um ET, certo?). Coitada da ruiva! Realmente ficou fragilizada depois de tudo que aconteceu - e nem sabia que ainda tomaria bastante porrada ;-(

Mas o melhor de tudo foram as frases - "você precisa da minha ajuda... sempre!", e "confio a ele a minha própria vida"... E, sim, eu confirmei com este epi que meu marido é shipper tb! Na hora que passou a frase do Mulder "mas ninguém viu uma LINDA mulher ser jogada fora da estrada", falei "nossa, será que no original em inglês ele falou isso mesmo?" (pois normalmente assistimos dublado). Imediatamente, meu marido falou "vamos conferir", foi no menu e trocou pra fala original, pra confirmarmos o Mulder falando "pretty woman", e vibrarmos, hehe. Casei com o homem certo ;-)

Bjokas

Cleide disse...

"E o fato de ser alguém aparentemente "normal", que tem um convívio social, remete pra mim aos casos de pedofilia que tanto escutamos atualmente - um cara como o Donnie pode ser um vizinho, um tio, um amigo até, que se aproveita de qualquer proximidade para farejar suas vítimas..."

Pri, esse mês prenderam um maníaco aqui em BH, ele estava aterrorizando todo mundo, pegava mulheres morenas, bem sucedidas de carro e bonitas. Violentava e matava... o mais assustador é que era um homem bonito - branco dos olhos claros, casado, pai de vários filhos... mas era um bandidão, depois que o prenderam descobriram vários crimes que cometeu...
Eu acho esse episódio tão assustador, porque ele fala de um tipo de maldade que existe... e pode ser pior que os seres sobrenaturais que vemos na série.

Ah, eu também acho lindo o Mulder dizer que Scully é linda. A gente nunca o viu admitir isso pra ela né? Porque os homens ficam tímidos para nos elogiar pessoalmente, só elogiam para os outros. A gente nunca sabe se eles nos acham belas...

E não pense que acabou... esse episódio tem uma inusitada continuação na sétima temporada e é arrepiante!!!

Josilene disse...

Oi, Pri! Sim... este ep é fabuloso... mas eu fico com o coração na mão. rsrs

"Sei que assisti os minutos finais segurando a mão do meu marido e com medo, por mais que soubesse que a querida Scully não ia ser mais uma vítima do Donnie!"

Own... eu via com o meu irmão... ele ria da minha cara. kkkkkk

"aliás, só confirmando, aquela hora que a imagem do Donnie se confunde, era com a de um ET, certo?" - Qdo ela tá presa no quartinho? Eu acho que era um demônio, não?

Pois é, fia.. eu gosto da Scully pq ela pode até apanhar, mas ela bate bastante tb. rsrs

Menina... os meninos são todos shippers enrustidos! kkkkkkkkk

Beijos!

Elizabeth disse...

Esse ep é tão aterrorizante que poderia ter sido um ótimo filme de suspense, independente de AX. A idéia de um homem pacato que esconde uma tara por cabelos, unhas e dedos de defundas, já sepultadas ou não, é assustador por não ficar só na ficção. Além de tudo isso, temos o final, em que a muralha de força da Scully desaba momentaneamente e ela se permite chorar nos braços dele. Enfim, um dos melhores de toda a série, cuja continuação, na 7a temporada, não chega aos pés deste, embora seja bacana.

XFILES disse...

Verdade, Elizabeth... a continuação nao chega aos pes deste primeiro... acho que pq este é mais sombrio... e a sétima temp foi muito light. Apesar de ter seus eps epicos tb. :)

E, sim... o fato de que igual a esse carinha há varios por aí faz deste episodio algo ainda mais aterrorizante... o.O

Josi.

janaX disse...

Oi Jooooooosssiiiiii!!!!!Voltei!Cara em primeiro lugar queria me explicar sobre o que comentei à respeito da sexta temporada...tipo aqueles eps que você citou eu gosto,afinal é AX e se é AX eu gosto de tudo!Mais o que eu quis dizer é que em comparacão aos demais das outras temporadas essa temporada me parece assim meio estranha,não parece com as outras...eu não sei bem se consigo explicar,é um sentimento que eu não provoco ele simplesmente está ali comigo cada vez que assisto à um desses eps da sexta.Vou tentar assim,é como se não fosse parte do dia a dia da série,como se tivesse se abrido uma fenda e num universo paralelo assim seria o cotidiano de M&S(Fringe total eu sei mais...)eu também senti isso nos primeiros eps da sétima mais depois de alguns isso se dissipou,talvez ainda volte,não sei só assistindo!Amiga é evidente que não abandonarei o Blog à partir da quinta temporada,talvez ficarei um pouco rabujenta,ácida em relacão às histórias mais a Velha JanaX estará com vc firme e forte até o final!Please só não dê muita bola pra minha amargura em relacão à alguns eps dali por diante,eu vou tentar me controlar...KKKKKKKKKKKKKKKK!Semana passada assisti ao ep da sétima que tras Donnie Pfaster de volta à roda,gostei...até acho que foi à partir desse ep que me senti mais confortável assistindo à continuacão da série!But Irresistible...cara,eu AMO esse ep!Tudo nele é fascinante,penetrante,assustador,possível enfim.É a eterna gama de possibilidades que a série tinha no seu início,toda aquela erupcão de criatividade que os roteristas eo Throll Carter tinham que parecia(parecia!)que não iria se esgotar nunca!A história te prende e tem um ritmo claustrofóbico(isso é o que eu mais amo nas quatro primeiras temporadas!),escuro,sombrio e vertiginoso!Ver a Scully assim tão frágil é de dar um nó no coracão,tadinha também fazia muito pouco tempo que ela havia despistado a morte(sim porque logo ali a diante ela iria ser novamente encontrada por ela!)!E o final é tão fofinho,assim como o jeito que Mulder a trata durante todo o ep,também AMO quando ele fala baixinho e doce com ela,geralmente no escurinho e bem de pertinho olho no olho,e a vozinha falhando...AMO D+!Bem o Donnie no fim era mesmo o capeta,a julgar pela continuacão do ep na sétima.Cara eu tenho um baita medo desse cara,do jeito que ele olha,das poucas palavras que ele fala...tipo ele não é nem de longe uma pessoa normal só está infiltrado no meio delas!Agora enquanto eu escrevia me veio uma coisa na cabeca,acho que o que mais me incomoda na quinta e na sexta e um pouco no início da sétima é a mudanca na maneira como M&S se tratam,se olham,não é mais a mesma do início,é como se todos os problemas de relacionamento entre a turma (DD com GA,DDcom CC,todos com a FOX)fosse um pouco para dentro da tela,é um pouco isso que eu sinto.Não liga pra mim hoje Josi,to muito filosofa,já passa!Ah,chorei um monte com os eps da morte da mãe do Mulder ea revelacão do fim da Samantha!Foi tão triste...Amei o post sobre Irresistible voces como sempre foram fundo e analisaram todos os aspectos da história,não me surpreende nada quando leio que as pessoas vem ler o blog pra ver o que voces falam sobre os eps!Vocês são muito feras!!!Orgulho Blaster!!!Até...

Josilene disse...

Thanks, Jana!!! Eu respondo atrasado, mas tento tento responder sempre, ok? :)

Menina... acho que a gente discorda muito com relação a sexta temporada! kkkkkkkkkkkkkk Pq tá certo que tem coisas malucas ali... episódios meio sei lá... nada a ver... mas... a forma como eles se olham mudou? o_O nope. Não acho. Mudou tipo... evoluiu. Pelo menos pra mim... e eu realmente não acho que bons atores como DD e GA, excelentes atores como eles, deixariam que problemas de fora interferisse no trabalho deles... mas eu tb não acho que a tensão entre os personagens no início se devia a tensão entre os atores... mas... deve ser apenas eu. rs Tipo... eu gosto de acreditar nos atores. Gosto de pensar que alguns são bons o suficiente para se anularem qdo estão dentro da pele do personagem...

E tipo... eu acho a sétima tãaaao mais leve! kkkkkkkkkkkkk

Mas eu te entendo... vc gostava mais do clima bem sombrio e dark da série... Como eu já comecei a série praticamente na quinta, eu não senti muito essa mudança... :)

Vc já deve ter entrado na oitava, né? Não deixe de contar o que vc tá achando!

Jacob disse...

Ótimo blog!

Josi disse...

Obrigada, Jacob!