domingo, 21 de junho de 2009

02x02 - The Host (O Hospedeiro)

Roteiro: Chris Carter
Direção: Daniel Sackheim
Participação Especial: Darin Morgan como o FLUKEMAN!!!

Resumo: A unidade dos Arquivos X está fechada. Mulder é chamado para investigar um caso estranho que ocorre nas unidades de esgoto de New Jersey. Ele está desanimado e pensa até em pedir demissão do FBI, mas Scully lhe oferece ajuda no caso e, com a contribuição de um "amigo" misterioso do FBI, ambos começam a compreender que o caso é mais complexo do que sua superfície deixava transparecer. E eis que temos o prelúdio para a aparição do FLUKEMAN...



Comentários:

[Starbuck] O Hospedeiro está na minha lista dos melhores episódios...

Comentários científicos by Star:

É o momento que peço desculpa a meu professor de ciências do primeiro grau, agora conhecido como ensino fundamental:

Imaginem um verme, mas não qualquer verme, um senhor verme, daqueles que tem a cabeça meio achatada, que parece uma flecha. Pois bem, esse verme cabeça-de-flecha é conhecido no mundo científico como "Turbelária". É hermafrodita. Tem uma capacidade de regeneração surpreendente. E, como todo ser vivo, tem como principal objetivo continuar vivo e manter sua espécie nesse mundo. Em nome desse edificante objetivo, alguns de nós tem filhos, bom... a Turbelária também tem esse desejo... Ela quer continuar... ela quer existir. Nossa, nunca havia pensado numa turbelária assim, de uma forma, sei lá, meio filosófica. Se pensássemos na turbelária como um ser que mereça existir, talvez até comeríamos aquele espetinho de porta de faculdade com uma alegria maior, afinal, estamos contribuindo para manter a espécie do cabeça-de-flecha no nosso exuberante mundo.

Mas, enfim... como nasceu o FLUKEMAN?
Ele nasceu da podridão humana. Não essa que é despejada nas fossas, mas a outra, que faz com que um Governo jogue uma bomba em uma local, mesmo sabendo que tal ação poderia ocasionar resultados horrendos e que deixariam marcas em várias gerações. Segundo o CC, em seu roteiro, o flukeman nasceu dos restos da bomba atômica jogada em Chernobyl na ex-URSS. Ele veio dos destroços humanos e de sua insaciável sede pela destruição.

Mulder, ao final do episódio também banca o filósofo, ele diz: sabemos que três espécies são extintas a cada dia no mundo, mas temos alguma idéia de quantas surgem? yeaahhhh, boy and girl... (boy or girl?? rs rs.. é que lembrei de Alone... ops. FOCUS, STAR.. FOCUS) um flukeman pode estar nascendo ao seu lado... ou pior, DENTRO DE VOCÊ.

ESSA É A PREMISSA DESSE EPISÓDIO. E NÃO É NOVIDADE PARA NINGUÉM QUE ME CONHECE QUE EU O AMO... AMO... MUITO!

Comentários shippers by Star:

Porque não é apenas um verme que habita o interior do ser humano!!! (ah... isso ficou bonito, admitam!)

Lembram do Mulder? Aquele cara boa pinta, que ficava no porão do FBI, totalmente só... E que se gabava de gostar da solidão e até se divertia com a idéia de ser chamado de spooky? Pois bem, esse cara MUDOU...

Entre parênteses, peço licença poética (isso se pede??), para colocar o que se passava na mente deles.

Mulder: "Venho pensando em sair." (será que ela vai sentir minha falta??? ai meu Deus!)
Scully: "Do Bureau? E o que faria?" (Ele está doido?? Ele não sabe que minha única alegria na vida é provar que ele está errado?)
Mulder: "Continuar meu trabalho com o paranormal, de algum jeito." (humm... ela ficou preocupada, vou explorar mais isso)
Scully: "Poderia pedir transferência. Voltar à unidade de ciência comportamental." (nossa... ainda bem que consegui pensar em algo, por um momento achei que minha mente tinha parado como o meu coração...)
Mulder: "Eles não nos querem trabalhando juntos. E esta é a única razão para ficar." (Meu Deus... danou-se! Não acredito que disso isso. O que faço agora? Choro e digo que sem ela não sei viver? afff. Isso é brega demais, nosso amor é intelectual.)

Quando o David diz que o Chris Carter é um romântico, por favor, ACREDITEM... esse diálogo é apenas mais uma das provas disso. Fato.

Então, nesse momento (e em vários outros) percebemos que o Mulder é emocionalmente dependente da Scully. Sem ela, ele perde até o desejo de continuar nos Arquivos X e sabemos que esses arquivos eram, até a entrada da ruiva pela porta do sala do porão do FBI, a razão da vida dele.

O negócio já está num nível que, ao final, ele diz "nós temos um amigo no FBI". E esse "nós" diz muito (já que o cara nem falou no plural quando ligou para ele), muito, muito mais do que posso compreender nessa hora da madrugada ao escrever o resumo de um XF sobre um verme gigante chamado Flukeman.

Shots by Star:

O pessoal da produção até que tentou, mas o barrigão de nove meses da Gillian se mostrou em toda sua exuberância nesse episódio.. rs rs



Momento "fofo" dos dois... quando a Scully fala que não há possibilidade de haver uma Turbelária tamanho extra-grande brincando de morder rapaizinhos pelos esgotos da vida... Daí ela diz: "como nos velhos tempos..."

Uma das cenas clássicas de XF. É impossível lembrar de um episódio MOTW e não vir essa imagem em sua cabeça.




E o meu querido... maravilhoso... cute cute... FLUKEMAN!





Relação desse episódio com IWTB by Star:

O que o CC e o FS quiseram passar ao colocar esse episódio na lista do Revelations, creio eu, foi o fato inegável de que Mulder e Scully são os arquivos X. Ou seja, que reside neles essa forma de investigação, que a própria concepção da forma de desvendar um caso advém da relação dos dois, do ponto de vista que, apesar de diferente, sempre é permeado por uma intersecção, daí o X e, por conseguinte, o primeiro cartaz de divulgação do XF2: IWTB.

Um outro ponto que merece ser ressaltado é como o Mulder pode se sentir derrotado, às vezes, e como a Scully é crucial para seu retorno à vida. É ela que faz com que ele se motive com o caso em O Hospedeiro e ela que fala para ele não desistir e entrar no caso (mesmo se arrependendo depois) em XF2. [/Starbuck]


[Josi] Este episódio mostra muito bem como os dois já estão dependentes um do outro. Primeiro ele diz que a única coisa que o faz continuar no FBI é trabalhar perto dela; depois ela diz que se ele resolver sair mesmo do FBI, para ela a perda seria mais do que profissional.

É aqui que aparece pela primeira vez o Sr. X, apesar de ter sido só a voz dele...

Ah, e a aberração, conhecida como The Flukeman, é citada pela própria Scully mais tarde em 'O campo onde morri' como uma das únicas coisas que ela realmente não gostaria de ter visto nos AX! Mas, apesar de tudo, muitos gostam dele (eu!!!), chegando até a apelidá-lo de flukinho (Yayá).

Os presentes de Mulder são sempre os melhores e mais úteis...





Morro de vergonha alheia na hora... aff!






Ela precisa por a mão na boca? Eca!






Ei, esse corpo não ficou muito tosco não?






Sempre é bom ver os sorrisos da Gillian... Já disse que eu os adoro? Pois é... Adoro!





Mulder com uma bolsa a tiracolo?! :/ Tão estranho como a Scully de bolsa no Piloto... rsrrss




Mulder, parecendo um menino mostrando uma super descoberta pra menina mais bonita da classe... rsrss




Mulder é uma graça, tem nojo de tudo! Podem ver que quando ele entra, cai um pinguinho de água do esgoto no paletó dele e ele fez uma careta horrível pelo cheiro (logo ele que é cheio de frescuras... hauahua).

Se bem que... quem não teria nojo nesta hora?

Depois quando o cara que está com ele cai na água, ele é obrigado a mergulhar e a água ainda entra na boca dele... argh!




Adoro essa cena final...






Scully: Este lugar está vazio?
Mulder: Está. Mas devo avisá-la que eu posso estar cheirando muito mal.
Scully: Eu vou arriscar...

Quem não correria este risco? [/Josi]


[Ariana]
Pobre Dmitri! A vida foi ingrata contigo, hã? Inclusive, esse não é o nome do futuro filho de uma certa Batinha? O mesmo nome que, segundo ela, pertence a caras descolados e bacanas? Pois para mim este nome estará eternamente marcado como o do sujeito escolhido pelo Fluke para servir de barriga de aluguel para seu pimpolho.

Enquanto isso... no fundo mais escuro que o fundo de qualquer porão, o querido continua na escuta de grampos telefônicos... Feliz da vida...



Mulder sofrendo no esgoto - parte 1:
Policial: “Cuidado”.
Mulder: “Sim. Não gostaria de pisar em nada”.

Mas boa mesmo é esta resposta que ele dá quando lhe perguntam o que fazer com o corpo do pobre Dmitri: “Embrulhe e mande para o FBI, aos cuidados do Diretor Assistente Skinner”. Com certeza o Skinner iria adorar!

Adoro essa cena do Mulder tiririca da vida na ante-sala do Skinner, andando pra lá e pra cá, impaciente para falar com ele.




E como o Mulder é o Mulder e não suporta esperar, vai adentrando a sala, reclamando sem parar... quando percebe invadiu uma reunião.
Depois de passar o maior carão, aposto que ele adoraria reconsiderar a possibilidade de esperar lá fora.

É... depois de LGM, finalmente o Mulder percebeu que seria inútil tentar resistir à ruiva. Entregou os pontos e lá foi se encontrar com ela... *Como se ele não quisesse*
Scully: “Este lugar está tomado?” – Ai de quem se atrevesse! Seria Scully-fu na certa!
Mulder: “Não. Mas devo informá-la, estou experimentando impulsos violentos”. -– (Uia... A mulher é forte, manda brasa, Mulder!)
[...]
Scully: “Ouvi dizer que hoje teve uma palavrinha com o Skinner”. – Olha só a Scully, que fofoqueira, querendo saber em primeira mão os detalhes.

Mulder: “Às vezes, é difícil sorrir quando lhe pedem para que se dobre em dois”. – Se você pedisse à Scully, ela sorriria.

É impossível assistir apenas uma vez esta cena. Acabo sempre voltando e voltando e voltando... Eu adoro esse diálogo do início ao fim, mas sobretudo a parte em que ele fala sobre a possibilidade de sair do FBI, ao que ela tenta argumentar dizendo que ele pode solicitar transferência para outra sessão, blá, blá, blá... E então ele confessa: “Eles não nos querem trabalhando juntos. Esta é a única razão para ficar”. - Ohwww... *-*
Dessa vez a Scully é quem engoliu bola, o cara diz na lata que ela é a única razão pra ele ficar e ela nem tchum!

A cena que sempre faz minha mãe gritar e sair correndo da sala. Sou má por me divertir com isso? *.*




A Scully liga para o querido, diz que tem algo para lhe falar, mas apenas pessoalmente... Sei, danadinha! Eu também me recusaria a falar ao Mulder o que quer que fosse pelo telefone. Além de querer falar pessoalmente, quando ele chega, ela ainda o manda fechar a porta?

Scully: “Acredite ou não, quarenta milhões de pessoas estão infectadas no mundo”.
Mulder: “Não é agora que vai me contar alguma história terrível sobre sushi, é?”
Scully: “Não, um belo bife mal-passado”.
Mulder: “Então? O instrumento de assalto foi um filé-mignon?”
Não é por nada, mas só eu imaginei um filé-mignonzão atacando pessoas? Acho que a Ka gostaria disso, seria como uma vingança contra as pessoas comedoras de carne.

Não é a toa que o Fluke não consegue namorada, imagine a hora em que ele fosse dar um beijo na mina! Arrancava a boca, se não, a cara dela inteira! O Fluke ganha batido da Angelina Jolie. Fatão!


Mulder: “E quanto essas coisas crescem?”

Scully: “Mulder, eu... Desculpe. Pareceu como nos velhos tempos por um segundo”.
Eles estão tão fófis (como diria a Josi) neste episódio... Ó as carinhas felizes revivendo os bons tempos...


Ray: “560.000 pessoas por dia me ligam no telefone de porcelana”. Isso sim é um cara popular!

E que carinha é essa, Mulder? Hmmm...






Após capturarem o Fluke, Mulder volta para Washington, entrega o relatório para Skinner, que o aceita e admite que este deveria ser um Arquivo-X. Finalmente Mulder percebe que as ordens não vem de onde se imagina, que a pessoa que deveria dá-las, as recebe.

Afff... ainda bem que nunca usei banheiros químicos! Sempre que vejo um, lembro do Fluke e o imagino lá dentro.

Mulder sofrendo no esgoto – parte 2:
Em vista do que irá acontecer, se preocupar com uma reles gotinha que caiu em seu terno é bobagem.

Taí uma coisa que nunca imaginei ver, o querido nadando no esgoto.





E o final perfeito e fofo...
Os dois conversando no banquinho, juntinhos, à luz do luar, na beira de um rio ou lago, sei lá...



Só sei que este episódio sempre me deixa um pouco ensimesmada em relação a ir ao banheiro. *.* [/Ariana]


[Cleide] "The Host" é fundamental para quem não assistiu Arquivo X entrar no clima do seriado:

- O caso é esquisitíssimo (como muitos que vimos ao longo dos anos), mas a explicação científica é tão bacana que parece possível... isso é muito Arquivo X! Super bem corroborado... mas tem hora que dá um nojinho... verme, esgoto...

- Scully é rápida, eficiente e prestativa, como foi desde o início, tornando-se fundamental para as investigações com Mulder.

- Mostra que a vida deles não foi nada fácil, mesmo sendo agentes do FBI e tendo acesso à tecnologias de ponta, esbarravam na burocracia da instituição, além do quê tiveram vários casos impedidos de ser investigados e a sessão fechada várias vezes.

- É explorada a postura dúbia que Skinner manteve durante muito tempo na série, deixando em dúvida de que lado ele estava, dando aquele clima de desconfiança da autoridade que temos assistindo a série: Não confie em ninguém...

- Mostra que Mulder tinha aliados misteriosos, e os teve durante toda série...

- Apesar de separados de departamento, a sintonia de Mulder e Scully e o elo de confiança entre os dois era tão forte, que mesmo proibindo-os de se encontrarem, um sempre recorria ao outro.

- Gosto também da maneira que eles sentem falta um do outro: o trabalho era tudo na vida de Mulder, tudo que ele fazia... mas afastado dos Arquivos X e de Scully, ele pensava em sair, e ela por sua vez, apesar da personalidade reservada, diz à ele que sua saída do FBI seria para ela mais que uma perda profissional.

Gente, alguém é da área da saúde aqui? Eu não entendo Scully fazer autópsia sem máscara, não podem voar "ecas" em sua boca ou nariz e contaminá-la?



Mulder tem mania de encostar na Scully né?






Sou só eu, ou X-Files cria na gente uma certa fobia de privada? Lembram de Tooms? Agora o fluke... O que tem esses mutantes para gostar tanto de entrar e sair desse lugar? [/Cleide]

Quotes:

Scully: Este lugar está ocupado?
Mulder: Não. Mas eu devo alertá-la... Eu posso estar fedendo a esgoto.




Scully: Eu vou arriscar. Você falou com Skinner ontem.






Mulder: O sucesso no trabalho é imperativo, Scully. reinstaurar os Arquivos X deve ser inegável.




Scully: Isto veio de Skinner?







Mulder: Não. Nós temos um amigo no F.B.I.






Scully: Eu pensei que você estaria interessado nos resultados do laboratório acerca da biologia daquela turbelária. Dissecação e análises indicam reprodução e fisiologia cruzada, resultando em um ser meio vertebrado humano.
Mulder: Humano?
Scully: Sim, mas ainda capaz de regeneração espontânea, como uma turbelária ou uma minhoca.

Mulder: Como isso aconteceu?
Scully: Radiação. Fusão celular anormal. A supressão do processo genético natural. Mulder, a natureza não fez essa coisa. Nós fizemos.


Mulder: Eu conheço estes. São de Chernobyl.
Scully: Aquela criatura veio de um antigo navio de carga russo que era usado para a coleta de material de derretimento. Ele nasceu numa... numa sopa de esgoto radioativo.

Mulder: Sabe, dizem que três espécies desaparecem do planeta todo dia. Eu imagino quantas novas estão sendo criadas.



Outras Imagens de The Host:

Encontro - Parte 1

Scully: Você tem um amigo no FBI

Mulder dividindo o Fluke em dois...

Encontro - Parte 2

10 comentários:

SCULLYSTA disse...

ESSE EPSODIO EH SHOW.FOI UM DOS PRIMEIROS QUE EU ASSISTIR DA SERIE.(EU NEM IMAGINAVA QUE IA VIRAR FÃ DA SERIE AINDA).A CONVERSA FINAL ENTRE M&S EH BEM REVELADORA!!!!!

Yanne Celly disse...

quando vi esse episodio a primeira vez fiquei com tanto nojo que não consegui assimilar tantos momentos shippers, anos deposi ao rever foi lindo. A cena final é demaisssss!!!

Josilene disse...

Scullysta, toda conversa desses dois neste é ep é reveladora! rsrs E CC ainda não queria que fôssemos shippers! Vou te contar! Aff!!! kkkkkkkkkkk

Yanne, dá muito nojo mesmo... Só fã de AX pra entender o pq da gente gostar tanto desse ep! hihihi

Obrigada pelos comentários, meninas! Bjos!

Lívia Ribeiro disse...

Genteimmmmmmm....por causa de vcs revi este episódio ontem!!Ecaaaaaaaa total do Flukeman!! hihihihi
Muito bom mesmo,é um ótimo roteiro sem contar que dá pra perceber (e muito bem) como o relacionamento dos dois é sólido desde o inpicio...que gracinha.....eu adoro o jeitinho dos dois no inpicio do seriado...e realmente....Scully é muito mais terna, mais solta no começo da tmeporada...com o tempo (e tbm não é pra menos né?)ela vai se afundando nela mesma....
Bjusss amei a análise de vcs!!Como sempre!!

Josilene disse...

Lívia! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Tadinho do Fluke... eu acho q dava pra fazer um bichinho de pelúcia dele (MEDO!)! kkkkkkkkkkkkkkk

Mas, sério... esse ep está na minha lista de eps prediletos. É um clássico, gente.

"dá pra perceber (e muito bem) como o relacionamento dos dois é sólido desde o inpicio..." [2] Own...

Kaline Vieira disse...

FLUKINHOOOOOOOOOOO!!!!

FLUKINHOOOOOOOOOOO!!!!

onde eu estava que só vi esse epi agora???

EU AMO FLUKINHOOOOOO!!!!!!!!!!!!!

janaX disse...

Como sempre Darin Morgan arrasando corações!Com fantasia ou sem fantasia ou nem aparecendo e só escrevendo...admitam o cara é um arraso!Eu AMO esse ep!Foi um dos primeiros que eu assisti na Fox(argh!teimosos!)e fiquei hipnotizada do início ao fim!!!Apesar do nojão que eu senti(sou super afetada pra essas coisas de verme,cadáver,sangue...argh a cena tétrica do cara no chuveiro!Quase vomitei junto...sorry!)eu fiquei tão impressionada com os argumentos apresentados pelos autores do ep,cheguei a pensar que isso até podia ser possível...KKKKKKKK(eles sempre me convenciam...será que sou ingênua???)e depois de ler o post de vocês fiquei bastante impressionada com as explicações científicas(como sempre mandadando muito bem hein Josi e cia!!!).Mais me lembro muito bem que no meio de toda a nojeira que senti durante o ep também me prendeu muito a atenção:primeiro como a GA tava redonda(eu não sabia que na época desse ep ela tava muuuuito grávida!),segundo, e principalmente,a maneira com os dois se relacionavam nesse ep.A maneira como se olhavam,como conversavam e o que diziam um ao outro,e como em tão pouco tempo de convívio(sim gente isso é apenas a segunda temporada só fazia,sei lá no máximo um ano que se conheciam e trabalhavam juntos!)sentiam imensamente a falta um do outro,algo que já havia ficado claro em LGM e que novamente permeia o ep todo!Uma falta profissional sim afinal, no caso de Mulder, os AX até então eram sua vida,mais também pessoal pois tinham uma imensa necessidade de estarem juntos,de coversar,de se ver...ai que lindo eu amo esse início da série,tão poético,tão...tão apaixonante...sei lá...eu amo AX mais amo desesperadamente suas primeiras temporadas(Pela milésima vez né Josi?!)!The Host tem que ser um dos tops na vida de todo excer porque ele realmente contém toda a tônica da série inteira em um único ep!Amei o post crianças e a tendência é ficar ainda melhor pois os próximos eps prometem,só luxo!!!Até...

Josilene disse...

Cara... depois de CSI, Bones e SPN, minha tolerência a nojeiras aumentou consideravelmente! kkkkkkkkkkk Mas na época, me impressionou bastante! Mas isso eu tô falando das nojeiras, claro... pq o roteiro e o fluke me impressionam seeeempre! amo amo amo!!!

Elizabeth disse...

Acho que no quesito nojeira Bones ganha. Não sou fã dessa série, vi poucos eps, mas com porcarias suficientes pra perceber que os roteiristas ali queriam chocar. E olhe que eu já era aficcionada por AX.
Gente, o flukeman é muito feio, os caras capricharam na caracterização do Darin. Nos extras do dvd dessa temp, ele diz que a fantasia não permitia muita coisa, então ele urinou naquela água da cena final. DD então deve ter engolido esgoto de verdade, coitado kkkkkk

Josilene disse...

Aquela água tinha uma cara péssima! kkkkkkkkk Nojo blaster!