domingo, 13 de março de 2011

03x22 - Quagmire (O Monstro do Lago)

Direção: Kim Manners
Roteiro: Kim Newton

Resumo: Mulder e Scully vão até a Georgia investigar o desaparecimento de várias pessoas nas margens de um lago. Mulder acredita que eles estão diante de um monstro pré-histórico e Scully pela primeira vez confronta os motivos que levam Mulder na sua eterna busca pela "baleia branca".



Comentários:

[Josi] Como nunca é o suficiente, direi novamente: Eu amo Arquivo X. Poucas séries conseguem ser tão brilhantes! E Quagmire é mais um episódio fascinante desta terceira temporada.

Começamos então com um biólogo parecendo ser tão empolgado com o seu trabalho quanto Mulder... e aparentemente também não o levam muito à sério. Mas... ninguém liga nem para os animais foforuchos... nem mesmo para crianças famintas e doentes... imagina se iam ligar pra rãs asquerosas? (Asquerosas para algumas pessoas! Eu as acho muito lindas! kkkkkk)

Adoro como uma justiça estranha é imposta ao policial quando ele é morto pelo monstro. Eu ri. Sou má?

Mulder, então, arrasta Scully para investigar os crimes dali. Ele não diz (como sempre) o que vão investigar (seria difícil de tirar a Scully num sábado de casa se ele contasse a verdade. :P) e ainda reclama por ela trazer A coisa com ela. Sei não, viu? E notem como ele não estava nem aí para o chamado da natureza do cãozinho (era um cão? sério?) e só concordou em parar quando Scully o lembrou que ele teria que ele teria prejuízo.

Adoro como Mulder não diz a Scully o que eles vão investigar, daí, quando é tarde demais pra ela desistir, ele se diverte com a surpresa dela. Gente... eles atravessaram o país num avião e ainda estavam enfrentando duas horas de estrada...

Scully: "Por favor, diga que não é a sério!"






Dr. Faraday: "Só servem como desculpa para pseudocientistas que não tem mais nada o que fazer a não ser caçar contos de fadas." - Poxa... olha ele xingando Mulder! Fanfarrão!

E, claro, Mulder desconta em quem o ouve...

Mulder: "Quantas lendas você conhece que podem comer um escoteiro e um biologista?"

Adoro como a Scully diz na cara o que pensa: "Estórias como essa vendem um monte de camisas" - Ah... fala sério! Aquele cara não tinha credibilidade alguma! Viram o tamanho do "dino" que ele tinha no teto de seu estabelecimento? :P

E quem ele usa como álibe de sua estória? Outro doido! O fotógrafo não era legal o suficiente para ter aquelas câmeras que detectam movimento ou a tecnologia não existia na época? E... outra: o que ele fazia pra viver e sustentar essa obsessão?

Poxa, Scully! Essa desculpa do afogamento foi fraquíssima! Você pode fazer melhor, garota!
Obs: Eles precisavam ficar assim pertinho porque estavam compartilhando o guarda-chuva, né? Ok. :D

Está havendo várias mortes próximas ao lago... então, é lógico que o cara tem que ir a noite para lá para forjar provas de seu embuste (amo essa palavra! Redux feelings!), não é? o.O

Scully: "Uma criatura do tamanho que você sugere deixaria impressões muito mais profundas." - Exatamente o que eu tava pensando! Scully é minha rainha! \o/

Mas porque a minha rainha dá corda infinita praquela criaturinha horrenda? Animaizinhos domésticos não podem sair andando pela floresta assim não, fia!

Lembram desses dois??? Não???






Eles estavam lá quando o amiguinho se cortou todo em "War of the coprophages". E cá estão eles de novo procurando alucinógenos que não são contra lei e vendo outro amigo morrer de forma estranha... Será que se reabilitam ou pioram?

Foi engraçado! Vamos... Eu não tenho culpa! kkkkkkkkk Mas o deslocamento de água e a velocidade em que o cara era levado não condiz com um jacaré...



Adoro que o Xerife tenha mudado de ideia tão rapidamente e que o que antes era muito complicado foi resolvido em umas poucas ordens!

Eles vendo as fotos... Scully obviamente mais preocupada com o cachorro ganindo... e ela sendo má com Mulder... Adoro.

Eu notei uma coisinha... Na hora em que eles estão lá presos naquela pedra e se assustam com o pato, Mulder fala: "Eu ainda estou com vontade de atirar" e nesse instante, a Scully dá um empurrãozinho nele muito fofo... rsrrss

MULDER: "Você perdeu peso recentemente, não?"
SCULLY: "Bem, realmente eu perdi, obrigada por..." - Ela dá uma olhada fatal nele quando percebe a maldade...

Que humilhação quando o Dr Faraday chegou com a água pelo tornozelo mostrando onde estava a praia, hã? Mas como eles poderiam saber? Estava com um nevoeiro danado antes!

Mulder discutindo sobre o suposto monstro pré-histórico com o Dr e a Scully do lado como "onde eu me escondo?".




Pobre Mulder... depois de tudo aquilo, descobrir que todos os danos tinham sido causados por um fucking jacaré! Fala sério!




Mas... O tal Big Blue (que nome é esse???) deve se divertir muito enquanto os humanos fazem toda essa confusão em torno da existencia ou não dele... [/Josi]

[Livia] Tinha até me esquecido o quanto esse episódio é divertido!

Primeiro pela presença medonha de Queequeg (nem lembro se é assim que escreve)... a explicação da Scully para o nome dele (em referência ao arpoador de Moby Dick) é ate bonitinha, mas o cachorro... afffffffff... nem eu e nem Mulder tínhamos paciência com ele... tanto que quando o cachorro desapareceu (foi comido hehehe), Mulder soltou apenas um "eu lamento" e já trocou de assunto...rsrsrs

Segundo, aquele Dr. Faraday era um tanto metido né? Dono da verdade, cheio de razão... mas assim são os cientistas às vezes... Aliás, Faraday era o nome de um físico e químico inglês que, como o biólogo de AX, teve muita dificuldade em mostrar a relevância de seu trabalho. Foi ele quem introduziu termos como "íon", "elétron", essas coisas que as aulas de física e química do colegial insistem em nos fazer decorar para depois chegarmos na faculdade e descobrir que num era bem assim... Enfim, Faraday só foi dar razão ao nosso querido depois de quase ceder sua própria perna para experimentos biológicos...

Scully é especialmente irritante às vezes, mas o diálogo conduzido por ela quando ela e Mulder estão "perdidos" naquele fim de mundo no meio (oi?) do lago é lindo... Ed Jerse já daria (bem mais pra frente, claro) uma deixa à ruiva de que ela tem atração por homens dominadores... E lá vai a lindinha comparando Mulder a Ahab... de certa forma aproximando-o de seu pai. Dá-lhe Scully!

"Scully, vc está dando em cima de mim?" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Mulder me mata com a faca da cozinha. FATÃO.

Ok. Vou eleger um novo sobrenome para Scully. Scully Bombril. Além de saber medicina forense, física com o paradoxo dos gêmeos de Einstein, alemão, grego, hebraico etc, a ruiva ainda sabe pilotar um barco! Tà, ela é filha de um capitão da Marinha. Mas nem sempre filha de peixe, peixinho é. Mas ela é Scully. E Scully sabe tudo. ;) [/Livia]


O que mais me chamou atenção na cena da pedra é como podemos ver a insegurança dele...a visão que tem de si mesmo...muitas vezes nos encontramos fazendo a mesma pergunta que ele...será que tivessemos alguma limitação fisica seria mais fácil encarar a vida aceitando as nossa limitações emocionais... No início, percebemos que ela não acredita no que ele diz...porque a visão que ela tem dele é outra...ela o vê como um cara inteligente, determinado e (desculpe) fofo... [Yanne]

No 'O Monstro do Lago' é quando ficamos sabendo que Scully chamava o seu pai e Mulder de Ahab e que o pai dela referia-se à ela como Starbuck (que eram referências ao livro 'Moby Dick', de Melville). E foi neste episódio também que o Queequeg morreu, devorado pelo Monstro do Lago ou por alguma jacaré faminto... tadinho dele. Esses roteiristas de Arquivo X sempre gostaram de matar 'meio mundo' no seriado... tanto que não perdoaram nem um pobre cãozinho. [Marcos Doniseti]


Interessante a comparação que Scully faz do capitão Ahab com o Mulder, o primeiro caçava a grande baleia branca, que seria comparado ao Santo Grall; Mulder por sua vez buscava a verdade, a sua grande busca ao longo de toda a série. Fizeram destes ícones, o baluarte de suas vidas... a busca, a peregrinação em busca daquilo que acreditavam ser o seu objetivo maior. Muito bonito. Scully tem razão em dizer que Mulder é o capitão Ahab. Poderíamos dizer que este episódio é cômico, mas ele representa a busca de cada um de nós por aquilo que acreditamos. Mulder e Ahab representam a persistência pelo que acreditam. [Maria Cristiana]

Não gostei do Queequeg ter morrido... Ele era feio mas era legal... E também achei muita falta de sensibilidade do Mulder (Ahab obcecado e sem coração!) nem ligar pra morte do bichinho enquanto a Scully tava quase chorando. Hunf. [Drayfine]


[Pri] Curiosidades sobre "O monstro do lago" que li em outro blog:

— Outro momento marcante do epi, além da conversa sincera de M&S, foi o desaparecimento do cachorrinho de estimação de Scully, Queequeg, que havia sido batizado em homenagem a um personagem de "Moby Dick" e que, talvez por isso, também encontra o seu fim sendo devorado por um monstro das águas. O episódio na época tomou o cuidado de não mostrar o corpo dilacerado do cão – pois conforme os roteiristas, o público aceita bem a morte humana na ficção, mas tem repulsa por abusos contra animais de estimação.

— Além de Moby Dick, outro livro clássico em que se baseou O Monstro do Lago foi a bíblia popular de psicologia de Berne, da década de 1970, chamada “Games People Play”. A fala de Mulder a respeito de sua vontade de ter uma perna de pau para não ter de trabalhar e dar tanto exemplo na vida, foi diretamente extraída desse livro. [/Pri]

[Starbuck] Com licença a todos... mas.... esse É O MEU EPISÓDIO!!!!

Minha vida se divide entre antes e depois de Quagmire. Por causa desse episódio, Mobydick veio a ser o nome de todos os computadores que eu tive (inclusive do atual), é com um trecho dele que iniciei minha dissertação de mestrado, é por causa dele que me tornei uma dessas pessoas que coleciona coisas (coleciono versões desse livro... ilustradas, sem ilustrações, de bolso e simples, todo cheio de frescura e com capa-dura, com trechos explicativos sobre baleias, barcos e materiais de pesca... enfim... sem análises, por favor). Em suma, mobydick se tornou "literalmente" minha própria baleia branca. E, por mais que me iluda achando que sou Starbuck, no fundo sempre soube que meu fim evidente era ser Ahab.

Mas...vamos ao episódio:

Nele temos a honra de ver o coisa.feia Queequeg se sentindo o dono da situação, entre papai e mamãe, no banco de trás do carro... aff... vai ser feio assim lá....

<-- O coisa






E... vimos que o Mulder realmente é uma figura, o cara arrasta a Scully num fim de semana para correr atrás de um monstro azul. Sim, não eram os smurffs em tamanho Extra-Grande. Estamos falando de um animal pré-histórico, azul, imenso. Enfim, o Mulder queria brincar de andar de barquinho com a ruiva e ficou com vergonha de admitir... (em XF2 veremos do que aqueles músculos são capazes... e a ilha de Lost fica pequena demais para eles... aff... que comentário tosco! credo!!) Eu já falei que adoro chuva? Pois bem, adoro chuva. Adoro Vancouver e adoro quando nada faz a chuva parar e Mulder e Scully ficam pra lá e pra cá de guarda-chuva. Tadinha da mulher que cuidava do cabelo da Gillian.

Várias cenas me divertem nesse episódio, mas a cara da scully quando puxa o troço que o coisa estava amarrado e vê que o coisa se foi para o céu dos coisas é o máximo. Sorry, mas eu não resisto... eu morro de rir...

Ah... e adoro a cena em que o cara que sonha em tirar a foto do Monstro finalmente é tragado por ele... huahauauhua.. Coitado, depois de anos e anos na luta pela imagem ideal, tira a foto do dente do bicho, com direito a uma certa zoação da Scully com relação a isso. Porque ela é má, às vezes (Molly, a cobra, o gato, o william e o mulder que o digam).

Temos também o momento mulder fofo "fingindo" uma preocupação com a morte prematura do coisa.




Olhem a carinha da Scully...
Chora não fia, esse não vai ser o primeiro, nem o último ser vivo que sumirá ou morrerá em suas mãos.



Mas, claro... Mulder é Mulder. E mesmo com a outra lá dilacerada pela "grande" perda, ele vem falar sobre a investigação. O cara ainda quer brincar de barquinho com a ruiva (mas, ele pode).

E, finalmente, a cena da pedra, que marca o início da minha inevitável e irreversível obsessão. Esse diálogo é genial, perfeito, digno.. sei lá de que.. mas, é digno, ou melhor, edificante. A Gillian também (segundo o que está naquele livro dos Bastidores da série) ficou impressionada com esse diálogo (aff... somos tão parecidas, isso até me assombra *cara de bolinho* (sei lá o que isso significa, peguei a frase da Ariana... gostei e resolvi que esse era o momento certo de usá-la)).

Mulder e Scully: "O inferno é uma idéia nascida de uma indigesta maçã." (a legenda do DVD fez um massacre à essa frase, mas, enfim, é assim... assim tem sentido... então, se assistirem com legenda, lembrem-se sempre que a frase é assim).

Bom, queria falar mais sobre esse episódio, mas creio que esse diálogo torna qualquer explicação desnecessária.

Vou finalizar com o trecho que iniciei minha dissertação, que talvez não representa nem Mulder e nem Scully, mas a intersecção entre eles:

"E assim, através de todas as espessas neblinas das dúvidas confusas da minha imaginação, surgem de vez em quando intuições divinas que iluminam minha perplexidade como um raio celestial e por isso dou graças a Deus, porque todos duvidam e muitos negam, porém, duvidando ou negando, são poucos os que delas têm intuições. Dúvidas de todas as coisas terrestres e intuições de algumas coisas celestiais, eis uma combinação que não faz ninguém crente ou descrente e sim uma criatura que observa tudo isso com um olhar imparcial." (Mobydick, de Herman Melville) [/Starbuck]



Quotes:

Mulder: Por que você deu o nome Queequeg?
Scully: Era o nome do arpoador em MobyDick. Meu pai costumava ler para mim MobyDick quando era garota. Ele era o Ahab e eu Starbuck. Por isso chamei meu cachorro de Queequeg. Engraçado. Acabei de me dar conta de uma coisa.
Mulder: É um nome estranho para um cachorro, hum?

Scully: Não. O quanto você se parece com o Ahab. Você é tão obcecado com sua vingança contra a vida, seja por suas crueldades ou mistérios, que tudo vira um ziguezague para se encaixar na sua cosmologia megalomaníaca.
Mulder: Você está dando em cima de mim, Scully?
Scully: Seja a verdade ou uma baleia branca, que diferença faz? As duas obsessões são impossíveis de se capturar, e a tentativa o mataria, e mataria a todos que viessem com você. Sabe, Mulder, você é Ahab.

Mulder: Interessante que diga isso, eu sempre quis uma perna de pau. É uma coisa da infância de que nunca abri mão. Não estou brincando. Pensei bastante a respeito. Com uma perna de pau, ou ganchos feito mãos, talvez seja o suficiente para ir vivendo, enfrentando a vida com uma deficiência. Sobreviver apenas já seria heroico. Mas sem isso, as pessoas esperam que faça alguma coisa da sua vida - ganhar um aumento, usar uma gravata. Então, por isso, sou a antítese do Ahab porque se tivesse uma perna de pau, eu provavelmente seria mais feliz e não sentiria a necessidade de caçar criaturas do desconhecido.
Scully: E isso não é brincadeira?
Mulder: Não. Brincadeira é minha passagem preferida de MobyDick.

Mulder e Scully: O inferno é uma idéia nascida de uma indigesta maçã.






Outras Imagens de Quagmire:

A Coisa... que a Scully insistia em chamar de cachorro...

Scully está horrorizada, mas Mulder parece... maravilhado? hahahaha

As expressões da Scully são as melhores

Na pedra

Big Blue

17 comentários:

janaX disse...

Muuuiiitoooo bom esse episodio!Se é que se pode dizer que algum episodio da terceira nao o é!A carinha do Mulder olhando para o lago no final é de dar dó,se sentindo mais uma vez desmoralizado e,principalmente,desacreditado diante de todos,inclusive da Scully.Posso parecer meio bobinha mas na verdade até hoje nao sei se quem matava as pessoas era realmente o crocodilo criado a toddy ou o big blue que aparece depois da relutante saida do Mulder...No momento shipper da pedra tambem ficou meio no ar aquela perguntinha do Mulder "Scully voce esta dando em cima de mim?"afinal nao tinha nada a ver com o que ela tava falando pra ele...Acho que ele é que tava querendo dar em cima dela ja que q vida deles podia terminar ali a qualquer momento por que nao...?
Sei que estou viajando d+ na maionese me desculpem gurias mais é que os comentarios de vcs me inspiram a querer falar também...Sorry!Enfim quero dizer que este blog é o melhor que eu já li sobre AX,e olha que eu ja li alguns desde que estou me aventurando por esse mundo virtual que reune pessoas do Brasil e até do mundo todo. Cada post é único e por si só uma pequena obra literária,parabéns e don't give up please!Beijos e até semana que vem!

Minha Terra disse...

Adoro este episódio, ele consegue arrastar a ruiva num fim de semana para ir a procura de um afigura pré-histórica, claro que a princípio ele não falou o motivo da investigação...heheheh aquele cusco...bem, ele era realmente diferente...O diálogo dos dois naquela pedra é imperdível, Scully você esta mais magrinha...ou...Scully você esta dando encima de mim... os dois molhados do jeito que estavam, bem que podiam terem se chegado mais, acho que era essa a intenção do Mulder... será? Bem, e no final o tal de monstro existia mesmo... Caçadores de baleia branca, caçadores de verdades, resumindo...é a procura pelas coisas que acreditamos, e no final, pelo que entendi, os dois conheciam muito bem o romance de Melville. Não importa o que buscamos, procuramos, o que realmente importa é...don't give up....

Yanne disse...

Aqui em casa esse é o episódia das meninas, que nem sabia falar direito e pedia"monstro do lago" -mãe.

Josi se vc é má, descobri que Star tb é má, mas Scully é bem mais do que vcs duas, e nesse epi ela está terrível.
Adoro animais mais aquele cachorro era medonho, agora a cara do Mulder fingindo interesse na morte do pobrezinho é cruel.
E por fim, ficou perfeito..como sempre...

SofiaV disse...

Sério eu adoro esse episódio, por causa dele li o livro Moby Dick, sou apaixonada pela historia. O meu sonho é ter um cachorro só para chamar de Quequeeg (hahahhaha)...mas ele vai ser bem mais bonito que O coisa (hahahahaha).
É com certeza esse é o episódio que eu vi mais( +++...)vezes.
concordo MUITO com a janaX eu conheço muito site por ai, mas esse aqui é o melhor.FATO
Adorei o post com sempre!
:)

Priscila disse...

Own... epi fófis por tudo o que foi dito e mais um pouco. Adorei especialmente a parte da Star, sobre como este epi marcou a vida dela, ótima frase usada na dissertação...

Como já comentei na comu, os escritores e atores nem sonham o qto suas obras podem influenciar e mudar a vida de alguém do outro lado do mundo...

Ah, e achei tão lindinha o desenho dos dois no barco com aquela lua gigante no céu, que até coloquei na minha área de trabalho.

Bjos

Josilene disse...

Jana... Mulder é mau... não se deixe enganar por alguns momentos de fofura do Mulder... Qdo ele pergunta se ela tá dando em cima dele ou fala que ela tá mais magra é pura e unicamente para fazer piadinha. rsrs Daí a cara que a Scully faz no segundo caso.

Bom, eu tenho uma teoria de que o crocodilo era quem fazia o trabalho sujo. Big Blue era muito inteligente pra ser pego assim tão facilmente. hahaha Então, os que ele pegava não aparecia simplesmente. ;)

"Sei que estou viajando d+ na maionese me desculpem gurias mais é que os comentarios de vcs me inspiram a querer falar também...Sorry!" - By JanaX. Que "sorry" q nada! Viajar na maionese é conosco mesmo! kkkkkkkk

Own... fiquei imensamente emocionada com seus elogios! Vc é muito fofa! Obg!

"agora a cara do Mulder fingindo interesse na morte do pobrezinho é cruel." [2]

Não sou má, aff... só denigrem minha imagem... rssrsrs

Eu tô com esse livro em casa... mas ainda não li. :P Shame on me.

Meninas... muito obrigada pela visita e pelos comentários de vcs.

ah... Quem quiser contribuir com o blog... com comentários dos eps seguintes, sugestões de posts etc podem entrar na comu, nos seguir no twitter ou mandar email: xfepisodes@gmail.com

Beijos!

Yanne disse...

As vezes me pergunto se devo parar....se essa paixão é demasioado longa.

E quando tento...fracasso e quando conheço mais gente apaixonada como eu, me sinto realizada.

Esse blog é um "Home" pra nossa paixão e a comu é uma extensão dessa loucura sã.

val disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
val disse...

adoro esse episódio é ótimo e adoro as caras e bocas da Scully quando o Mulder solta suas loucas teórias.


adorooooooo
esse blog
bjim Val Matos.
meu tumblr sempre visito o seu vai aí no meu.
http://danabelieve.tumblr.com/

Juliana disse...

Eu gostava do pobre cachorrinho! =p

mariana disse...

Oiie,deixei um selo pra você lá no meu blog.

Josilene disse...

Gente! A doida aqui colocou o email errado! ahahhahaha O correto é xfilesepisodes@gmail.com. :P

Enfim... Val... tô te seguindo já no tumblr. :)

Mariana! Vi teu selo lá no teu blog... (Visitem pessoal: http://nothing-importanthappenedtoday.blogspot.com/) Obrigada! :D

Bjos, lindas!

Anônimo disse...

É um episódio legal, a melhor parte é aquele em que mulder e scully
ficam naquela pedra, e a conversa sobre moby dick.

JotaPêAh! disse...

Não é nesse episódio que a gente ouve falar nos apelidos da Scully e do pai pela primeira vez. Foi no episódio que o pai dela morre. E depois disso também teve o episódio da abdução, quando o pai dela aparece, e ela está deitada.

Josilene disse...

Eu to lendo moby dick..... cara... o pai dela lia pra ela qdo criança? o.O

Elizabeth disse...

O Mulder é muito sem noção: arrasta a ruiva para um fim de mundo só pra ver uma cobra d'agua e ainda reclama do pet dela...Adooooro!!! E o cara nem respeita o luto da Scully pela morte do bicho e a arrasta de novo pra navegar no tal lago altas horas da noite. E ela não gosta? Esse ep é muito legal, com M&S numa verdadeira maratona pra flagrar o monstro assassino, tem o casal de adolescentes chapados (imagina eles bebendo o yaje de Teso dos Bichos...) e o xerife que só topa fechar o lago rapidinho qdo ele é atacado rsrs. E pra completar, a referência (e reverência) a Moby Dick, uma baita aventura tb. Post perfeito, como sempre!!!

PS: Outro dia li aqui um coment de alguém que achava esse blog tb um blog literário. Concordo plenamente, pois, se não bastasse a qualidade dos textos da Josi e cia, com tantas informações, tiradas espertas e humor, ainda tem referências a obras literárias, citadas ou não nos eps, como as de Dostoiévski, Melville e outros, além de trechos de músicas (Arnaldo Antunes, por exemplos). Difícil ver essa erudição em outros blogs sobre livros, quiça sobre uma série de tv. Parabéns!!! Espero aprender ainda mais com esse blog! Bj.

Josilene disse...

Obrigada, Elizabeth!

Achei muito uo mulder nao dá a minima pro pobre do caozinho! kkkkkkkkk mas a scully é fogo, viu? levar o cachorro junto! kkkkkkkkkk ok