segunda-feira, 26 de março de 2012

04x15 - Kaddish (Oração para um Morto)

Direção: Kim Manners
Roteiro: Howard Gordon

Resumo: Alguém, ou alguma coisa, está matando os antissemitas. Para descobrir a verdade Mulder e Scully mergulham nos misticismo judaico.



Comentários:

[Josi] Eu gosto muito deste episódio... tão bonito e sensível... Gosto especialmente da forma com que Mulder e Scully se posicionam: sempre a favor da verdade.

Sabe... este é um episódio meio estranho (como todo episódio de AX), mas, como uma boa parte deles também, é motivado pelo amor. Foi o amor desmedido de uma moça por seu noivo que fez com que ela tentasse trazê-lo de volta a vida. No entanto, como a maioria das coisas feitas pelo homem, a tentativa não produz algo perfeito e o que volta não é o noivo dela, mas tão somente a casca que o sustentava neste mundo: o seu corpo. Puro barro. E este barro age apenas por instinto, matando as pessoas que o machucaram em vida ou qualquer um que atravesse o seu caminho.

Como eu já disse antes, gosto muito da forma como Mulder e Scully tratam da coisa, assim... como eles não têm preconceito, eles mostram muito asco diante daqueles que tem. No que eu sou totalmente de acordo com eles. Adooooro quando eles ficam irados ao interrogar esse povinho que se desfaz dos outros apenas por causa da religião deles...

humm... no que será q ruiva estava pensando? Nossa! Mas ela está linda nesta imagem...




A quase-viúva. Tadinha... é de uma crueldade imensa que no meio de uma felicidade tão grande, venha uma tragédia dessas...



Eca! Parece besteira, mas muitas pessoas ingênuas caem numa coisa dessas.





Pra quem gosta de ver a Scully como profissional. OMG! As luvas são só pra não deixar digitais dela né? Que eca!




Ah... é interessante como o pessoal normalmente derruba o Mulder antes. Sabe como é... o "mais forte" vai primeiro... ninguém desconfia que a ruivinha desenvolveu o Scully-fu que é uma evolução do Kung-fu.

A inscrição na mão do carinha que lhe deu vida... e que o matou no final...





Certo. Quem teve a idéia da Scully ficar segurando aquele cara imenso enquanto o Mulder subia pra cortar a corda? oi? Adooooro Mulder sem noção!

E este anel que, com certeza, ela não usaria diariamente... sério, é bonito como enfeite, mas tem um tamanho um pouquinho exagerado não?



Acho muito bonito este final...

Scully: O que ela está fazendo?
Mulder: Se despedindo...



[/Josi]

A 1ª vez que vi algo sobre o golem, da palavra EMET, que dá vida à ele não foi em AX, foi numa historinha da turma da mônica!!! Quando vi esse episódio pela 1ª vez, eu lá toda orgulhosa porque sabia da lenda... auhauhauha [Luciana]

[Dany] Gosto muito deste episódio onde explora os... digamos assim... folclores Judaicos.

Muito legal a cena em que a pessoa está moldando a criatura e depois podemos vê-la começando a respirar...




A cena em que Mulder e Scully vão a casa de Jacob Weiss é bem interessante. Como Mulder sem nunca ter conhecido o Sr. Weiss se mostra totalmente envergonhado já que eles estão representando a Lei que aos olhos de Weiss não faz nada pra amenizar a tenção "racial" que eles sofrem constantemente...

O cúmulo do cinismo... aff...






Existe coisa mais aterrorizante do que você descobrir que o homem que você matou ressuscitou e vai te pegar?




Ele ainda teve coragem de ir ao cemitério se certificar de que o morto está morto! Eu já tinha
dado no pé!



Mulder... se eu fosse você largava este livrinho...!!!!!





Não querendo imitar a Scully mas... "Eu Não Te Disse?"





Adoro a conclusão em que Mulder chega ao afirmar que foi o "amor" que criou a criatura... Às vezes ele é tão fofis... Ai ai ai



[Dany]

Quotes:

Scully: Os detetives da Homicídios do Brooklyn contataram o departamento de direitos civis do FBI com um interessante grupo de digitais que eles retiraram do corpo do garoto.
Mulder: Interessante como?

Scully: Elas pertencem a Isaac Luria.
Mulder: Levantado dos mortos para vingar sua própria morte?
Scully: Algumas pessoas podem assumir isso. É provavelmente algo que alguém quer que nós pensemos.

Mulder: Mas você tem uma outra ideia.
Scully: Eu acho que este é um crime de ódio como aquele que o gerou. Um ódio que vai até 4000 anos atrás mas é mascarado como algo diferente. Uma inexperiente tentativa de retribuição de assassinato disfarçado de justiça espectral.
Mulder: Uma falsa ressurreição.

Scully: E não uma bem feita.







Mulder: Sim, figuras espectrais não costumam deixar digitais. Gasparzinho nunca deixou.






Outras Imagens de Kaddish:

Ariel se despedindo pela primeira vez

O coisa

Ariel se despedindo pela segunda vez

8 comentários:

zechinelao disse...

Adooooro esse blog

Anônimo disse...

Gosto desse episódio,ele faz a gente pensar até onde podemos ir em nome do AMOR e o quanto ele pode nos dominar em certos momentos.

Interessante ver que depois de Lembranças Finais cheios de revelações e medo por parte dos fãs, vem esse epi e nem sequer toca no fato da doença de Scully."Coisas de AX"

Yanne

xcullybrennes disse...

Consegui,Josi agora me juntei ao blog que tanto amo. Jeshy J Barbosa

Josilene disse...

zechinelao... *abração* :)

Yanne... pois é. acho que é um episódio que nos mostra que temos que ter certeza de saber onde termina o amor e começa o egoísmo. vc não pode querer a pessoa do seu lado a qq custo... isso não é amor.

Jeshy! Seja bem-vinda! obg pelo carinho. :)

Carlos disse...

Como disse anteriormente (eu acho,rsrsrs...) estou em uma fase de gostar mais de episódios que não contam com a conspiração governo/aliens, estou preferindo episódios como este, com folclore de diversas culturas e tradições, e.... rsrsrsrs.... A turma da Mônica também é cultura, muito legal, demais!!! Beijos

Fê Monteiro disse...

Gente...acabei de descobrir o blog e já tô carente de vcs! Por favor não sumam! rsrs

Elizabeth disse...

gosto muito desse episódio, que como vários outros de AX, falam de modo elegante e delicado sobre mitos e religião, aqui no caso a judaica. mais bacana ainda é juntar na estória amor e ódio sem pieguice pra nenhum dos lados. O teaser é lindo e Mark Snow manda bem na música incidental dele.

Josilene disse...

Ah, qdo a gente quer relaxar com um episódio de AX (oi?) o bom mesmo é ir para um monstro da semana mesmo, Carlos. Dou apoio. ;)

Sei que faz um tempinho, mas... tks, Fê! Eu fico um tempo fora, mas sempre volto. É a vida real (e outros fandoms) que se intrometem no caminho, mas AX é AX e sempre tem espaço pra ele. E um espaço bem grande.

Sabe, Elizabeth, essa é uma das coisas que eu mais gosto em AX... eles mexem com assuntos extremamente polêmicos com o maior respeito do mundo, mas sem medo. É impressionante. O mesmo com o amor... eles tratam do assunto de forma real e sem pieguices, mas faz a gente ficar "ooownn" assim mesmo. :)