domingo, 12 de abril de 2015

06x03 - Triangle (Triângulo)

Direção: Chris Carter
Roteiro: Chris Carter

Resumo: Mulder encontra um navio fantasma perdido numa fenda do tempo do Triângulo das Bermudas. Enquanto isso, Scully sai em seu resgate.



Comentários:

[Fê Monteiro] Bom, pra começar quero lembrar o quanto este episódio foi aguardado na época pelos fãs, nem preciso dizer que, principalmente, pelos shippers. Curto muito, muito mesmo, mas ouso dizer que não é meu favorito da sexta temporada, tenho um ou outro na frente, mas mesmo assim Triangle tem seu lugar especial pra mim :)

Este episódio é praticamente todo filmado em tempo real, me lembro o quanto citaram como referência o clássico Festim Diabólico do Hitchcock, pois era um recurso bacana e bem desafiador, diga-se de passagem (pensa só, se os atores erram uma parte você precisa regravar tudo de novo ou improvisar se o cara for bom, pois não há como editar, não há cortes), bem com este episódio é quase assim, uma vez que temos dois planos sequência, um no passado e outro no presente. Se não estiver errada (me corrijam) este seria o 2º episódio que se utilizaria de recursos alternativos de filmagem/formato (1º – Post-Modern Prometheus e 3º – X Cops)...acho legal pra variar um pouco...

Mas, saindo da parte técnica e voltando ao epi, minhas considerações e o que amei:
Mulder tranquilão achando que a tripulação foi parar em 98, tirando um pelo de todo mundo, até descobrir que foi ele quem foi parar em 39 – tóimmm – E daí, não feliz ele passa a soltar todo tipo de spoiler sobre o futuro da guerra, sério, acho que ele não assistiu De Volta Para o Futuro...

** outra pausa reflexiva** A gente vê toda galera lá: Skinman, Cança (fumando desde 1939), Scully bravinha, Krycek, Kersh, Spender...Mas, e o próprio Mulder da época? Tipo, só ele estaria fora do navio, seria um soldado em campo ou algo do tipo? Ou seria um daqueles paradoxos temporais do viajante, no qual Mulder sempre veio do futuro e teve o mesmo papel de salvar a embarcação? Mas a embarcação estava perdida num tipo de limbo ou teria ela voltado para 39 definitivamente? Enfim, sei lá...infinitas teorias...**fim da pausa**

Voltando. Mulder continua dando mil foras e quando se depara com a Scully bravinha, depois de nenhum dos outros sósias o terem reconhecido, espera realmente que ela vai saber quem ele é, só porque ele levanta o cap...tsc tsc...ai ai.




Enquanto isso, fora do barquinho, e dessa realidade, Scully é “surpreendida” (só que não) pela informação dos pistoleiros quanto à encrenca em que Mulder se meteu. Adoro Scully se unindo ao trio e fazendo o diabo para conseguir o que quer. Outra coisa que amo: a ruiva batendo a porta na cara da secretária...rs. Coitadas, ela simplesmente finge que elas não existem, quase fico com dó, mas lembro que esse povinho dos andares superiores do Bureau são uns nojinhos mesmo, então, tô contigo Scully! Alías, nossa ruivinha tá super badass nesse epi, adoro!

Mas o que foi aquele beijo no Skinman?? Só porque ele achou as coordenadas? Nossa, e o que ela fez quando ele desenterrou o Mulder e o trouxe de volta dos mortos então? Nem quero pensar!
Uma das minhas cenas favoritas, gente: a divisão da tela entre as duas realidades quando as 'Scully' se cruzam, formidável! 

E, finalmente, a tão aguardada cena do beijo (decepção define), não pelo beijo que foi até que de tirar o fôlego...mas é  que quando assisti da primeira vez, após ler tanto à respeito, em cada migalha divulgada, gerei tanta expectativa...e daí acontece um beijo que, primeiro não era exatamente na Scully que conhecemos (mas isso é o de menos), e segundo...alô Chris Carter? Você sabe o que é iluminação? Faltou verba pra pagar uma iluminação decente ou o quê? Sério, CC tem sérios problemas com cenas de beijo bem iluminadas...censura issaê heim, só tô dizendo. Mas, apesar de tudo, foi um beijão e é fofo quando você percebe que o Mulder sentia que realmente tudo podia ir pelos ares e que nunca mais teria essa oportunidade...own...mas só assim também heim, afe! - outro detalhe fofo que noto é que é sempre o Mulder quem tem a iniciativa de beijá-la (me chamem de antiquada, acho fofo mesmo :P)

Amo também o quanto eles fazem referência ao Mágico de Oz (obra que particularmente amo de paixão) em diversos episódios de Arquivo X.

E pra fechar Triangle com chave de ouro, a declaração de um Mulder dopado (tava fofo demais nesse episódio, todo galante) e sua frustração com a reação da colega, porém feliz em notar que, não havia sido tudo fruto de sua imaginação. É muito amor nesse episódio! [/Fê Monteiro]


[Marina]
O terceiro episódio da sexta temporada começa do jeito clássico de Arquivo-X: com Mulder se metendo em confusão. Para ele, nada mais adequado do que perseguir um navio de luxo inglês desaparecido na época da segunda guerra e que surge como um milagre no meio do Triângulo das Bermudas. É claro que se existe um Mulder desaparecido, há uma Scully louca para encontrá-lo! Com a indicação dos Pistoleiros, nossa musa sai em busca da informação secreta da marinha para achar o parceiro. [crédito da imagem]





O episódio vai se alternando nos anos de 1939 e 1998... em que vemos um Mulder estarrecido em cenas clássicas da série; afinal, quantas vezes vemos Mulder ser rebocado do mar? Quantas vezes vemos Mulder apanhar? E, claro, não interessa a época, sempre tem alguém pronto a chamar o agente de louco. 

Pois bem, Mulder encontra o navio Queen Anne tomado de nazistas (Canceroso, Spender e o nazista bonzinho, Skinner) que a princípio estão procurando armas, mas Mulder dá uma de X-9 e dedura que o navio tem um cientista que será um dos responsáveis por fabricar a bomba atômica. Advinha quem faz a guarda do cientista?! Scully, toda diva de cabelinho ovelhinha e com um vestido decote generoso nas costas. Mulder dá de cara com a Scully'39 de época e se apaixona (um amor que transcende qualquer tempo).

Nossa Scully atual, faz das tripas coração dentro do FBI, pede ajuda pro Skinman, pro Kersh e pro Spender. E quando está prestes a se dar mal, lá vem o Skinner salvando o gongo! E o careca se deu bem! Scully realizou o sonho dele, dando um beijo-agradecimento-por- salvar-a-vida-do-Mulder-pela-milésima-vez! (foi o modo que encontrei de definir esse beijo).

Agora, falando sério, uma coisa me chama atenção neste episódio é que, de maneiras diferentes,Chris Carter gosta do tema de "vidas passadas" Vimos isso em episódios importantes como O Campo Onde Eu Morri, Libertação, A Paciente X... E, de modo invariável,  os personagens se encontram em diferentes épocas, sugerindo que o laço entre eles é indissolúvel, seja para o bem quanto para o mal.img 

Outra coisa, do ponto de vista cinematográfico... Arquivo-X é precursor em muitos recursos... Birdman ganhou o Oscar este ano principalmente pelo plano sequência das filmagens... Neste episódio vemos isso sendo feito de maneira extraordinária. Frank Spotnitz, Lori Jo Nenhauser vocês são demais!


Okay, voltando para episódio. Para parte mais esperada (já sabem a que me refiro?). Scully e os Pistoleiros acham o navio... fantasma. Mas isso porque eles o acharam na época errada, 1998. Não podemos esquecer que Mulder está em 1939, saindo correndo do salão de festas, engambelando a Scully. Ela salvará a história. Fará com que a humanidade continue seu curso normal... E nada melhor para fechar isso que um... BEIJO!!!!!! Vai que dá tudo errado, não é?! Mulder precisava se garantir. Ao meu ver, um dos beijos mais bonitos entre eles... a sacanagem, é que a filmagem é escura pra dedéu.  Essa foi a declaração de amor de Mulder em 1939. Mas calma o coração, gente! Ele fez outra declaração em 1998. Disse: "Scully, eu te amo". Scully, cética, não acreditou... que dúvida. Eu resalto aqui a mãozinha dele fofa encostando na cintura dela de leve. E, a dor no rosto pelo soco que levou da Scully'39. Adoro essas demonstrações aparentemente descompromissadas, mas que pra nós são o cerne de tudo e fazem todo o sentido.  [/Marina]


[Cleide] É um dos episódios de Arquivo X favorito de muitos fãs, especialmente shippers. Confesso que tendo lido spoilers, vorazmente tenho que dizer, após Fight The Future, estava muito ansiosa para ver Triangle, por que muito se falava de um possível beijo entre Mulder e Scully – sem um contexto muito claro. Digamos que o beijo seja a cereja do bolo, de uma pequena obra de arte muito bem planejada.

A sexta temporada, com sua estética mais inovadora, deu espaço para outras maneiras de contar histórias aos produtores de Arquivo X, e Triangle foi uma destas experiências muito bem sucedidas. O episódio foi todo gravado com o recurso de filmagem sem cortes, em tempo real. Durante todo episódio nos vemos como o câmera, seguindo os personagens em trajetos muito bem desenhados, de forma que o episódio flua com perfeição ao contar a história, parte em 1998, parte em 1939 dentro do “Queen Anne” – um navio invadido por nazistas quando estoura a Segunda Guerra. 

O que chama atenção é que a fluidez do episódio é impecável, e o ritmo é totalmente diferente do que estamos acostumados, sem contar que a trilha sonora com músicas estilo anos 1930/40 combina perfeitamente com a história contada e estética escolhida. E o tom cômico e divertido deixa tudo bem leve.

Mulder está desaparecido, e daí parte a narrativa. Os Pistoleiros Solitários, que sabiam do paradeiro do agente, vão pedir ajuda à Scully, que começa uma busca desesperada por informações caminhando de um lado para outros pelos corredores do FBI (creio que é um dos episódios que nos dá a melhor noção espacial dos “headquarters”). 


Sem as facilidades que estar no projeto Arquivo X lhe dava, com um chefe parceiro como Skinner, Scully se vê sem chão: vai até o ex-chefe, que lhe nega ajuda, vai ao chefe atual e encontra o Canceroso na sua sala... vai até Spender e o ameaça, ele não dá a mínima e a entrega para o Kersh... então ela foge de uns, corre atrás de outros, tenta alcançar Mulder por telefone,  e nós vamos a seguindo (com o olhar da câmera) e compartilhando de sua ansiedade, até que Skinner (é claro) lhe entrega as coordenadas de Mulder e é surpreendido por um “selinho” como agradecimento... na época que assisti, não gostei, afinal ela nunca beijara o Mulder e beijou o chefe, hoje eu acho engraçadíssimo e tão fora do personagem, mostrando o quando o parceiro conseguia tirá-la do sério. 

Em contraponto e simultânea à busca de Scully, vemos a saga de Mulder, no que pra mim é uma alucinação por ter batido o barco e caído no mar, dentro do navio preso em 1939, lutando com nazistas e parecendo doido (o que não é novidade). O divertido, é que por mais que ele saiba que está em outra década, e que aquelas pessoas não são quem parecem, ele acredita que elas são seus conhecidos contemporâneos: Cancerman um general nazista, Spender um soldado nazista, Skinner o cara que salva a sua pele, e é claro, vê no alterego de Scully a própria parceira e a única em que poderia confiar a sua salvação. É como aqueles sonhos que temos que sabemos que são sonhos, que as pessoas não se comportam normalmente, mas achamos que são as pessoas que conhecemos. 

Como em nenhum momento Mulder duvida que a moça de vermelho seja Scully, o episódio parece inteiro uma catarse do sentimento dele por sua parceira, culminando com a conclusão que ele chega no final... “se você não conseguir, talvez eu não chegue a existir, nem você... no caso de nunca nos vermos”, de repente, beijar Scully pareceu crucial, diante da possibilidade de nunca poder fazê-lo realmente: o que o universo de seu sonho parece apontar. O desfecho com o soco é muito engraçado, será que depois do quase beijo no corredor, juntando com a visão que ele tem da parceira, ele imaginaria que dar um beijo em Scully teria aquela consequência?

O final é muito significativo, pois acordando ele continua a acreditar no sonho, validando para nós telespectadores as posturas que ele tomou naquela situação... tanto que Mark Snow até compôs um tema romântico para a cena do hospital.

Para coroar, a declaração de amor é direta “Scully, eu te amo!” (acho que é a única vez que escutamos esta frase na série), e ela, achando que Mulder estava ainda pirado na batatinha, solta um “Oh brother” (que soa bem como “e agora esta!”). Temos que considerar, que o timing de Mulder não é dos melhores, afinal, depois do balde de água fria em “The Beginning”, a presença incômoda de Fowley, e desconhecendo o que aconteceu no navio (ou em sua cabeça), não daria mesmo para acreditar naquela declaração... mas de qualquer forma, pra gente que está assistindo, sempre fica aquele “owwwnnn” no ar, não é mesmo? [/Cleide]


Este episódio é muito interessante, especialmente se olharmos por este ângulo (de ser um sonho)! Acho que em uma das entrevistas dos extras do dvd Duchovny diz que a Scully é uma espécie de credencial social para o Mulder, ou seja, que ela compensa o lado anti social dele, acho que ele quis dizer que ela é a conexão do Mulder com o mundo. Em triângulo, quando ele a vê como a mulher que salva o mundo, acho que se refere também ao mundo dele, metaforicamente... [Nay]


[Adriana] Gente! Eu adoro a sexta temporada! Talvez pelo fato deles terem saído do Canadá, mas me parece que é a temporada mais criativa em matéria de enredos, linguagem visual e efeitos... Vários episódios inesperados.

Triangle: curto qualquer relato sobre o Triângulo das Bermudas e a Segunda Guerra Mundial, então sempre me pareceu um epi sob medida para mim. 

Cenas preferidas: o beijo no Skinner, aquela nos corredores do navio, quando as Scullys se cruzam e parecem sentir a presença uma da outra... e o desfecho, nem preciso comentar. Quase morri com aquele beijo na primeira vez que assisti... e ele passando a mão no rosto, ainda sentindo a direita da onça??? DEMAIS...

Na manhã seguinte em que esse episódio estreou na FOX, eu estava ouvindo rádio e o dj fez esse comentário: "ontem eu assisti um episódio de Arquivo X na TV que para mim foi uma obra prima. To chapado até agora... e ainda me perguntam porque eu sou fã dessa série"... (adorei!!!) [/Adriana]


Triangle realmente é muito bom. O CC usou aquela idéia de fazer cenas sem cortes, tipo um documentário... ficou excelente. As cenas da Scully no prédio do FBI foram "intensas", era como se a gente pudesse acompanhar os passos da Gillian.... Adoro ela fazendo aquelas expressões de "affffff" quando algo saia errado.. ou lascando a beijoca no Skinner... E a música???? um Show!!! O Cabeça de Parafina sabe ser bom quando quer, hein??? (e ainda foi o responsável pela direção do magnífico Prometeu Pós Moderno). [Starbuck]


Realmente, 'Triângulo' é um ótimo episódio. A ideia original do CC era fazer um episódio sem corte algum, praticamente... daí, quando ele falou isso para o pessoal da equipe técnica, eles acharam que CC tinha enlouquecido...uma coisa é fazer isso num filme, como Hitchcock fez em 'Festim Diabólico', que foi a fonte de inspiração de CC para fazer 'Triângulo'... mas, no filme de Hitchcock, toda a trama se desenvolve dentro de um apartamento... daí, ficaria mais fácil, do ponto de vista técnico, fazer um filmagem sem cortes. Mas, no caso de 'Triângulo', nós teríamos várias mudanças de ambiente no qual a história se desenvolve e isso tornava tudo muito mais difícil. Além disso, num longa-metragem se tem muito mais tempo para filmar, cerca de uns 2 a 3 meses, enquanto que nos episódios de Arquivo X tínhamos apenas 8 dias de filmagens. Assim, não foi à toa que CC foi considerado louco quando expôs a sua ideia de como filmar 'Triângulo', sem corte algum praticamente. [Marcos Doniseti]


[Ariana] Tava vendo, pela milionésima vez, Triângulo. Adoro tudo neste episódio, que é um dos meus preferidos, não canso de ver e rever e rever e rever... Eu amo essa cena final, no hospital, não consigo ver só uma vez, sempre volto um montão de vezes, mas só faço isso quando assisto sozinha.

Ahhhh... é tão fofo ele cutucando ela (não sejam maldosas)...

E o olhar mais apaixonado do mundo....







Isso me lembra aquela música do Arnaldo Antunes, que quem viu Bicho de 7 Cabeças, vai reconhecer:
"O seu olhar lá fora, o seu olhar no céu
O seu olhar demora o seu olhar no meu
O seu olhar seu olhar melhora, melhora o meu
Onde a brasa mora e devora o breu
Como a chuva molha o que se escondeu
O seu olhar seu olhar melhora, melhora o meu
O seu olhar agora, o seu olhar nasceu
O seu olhar me olha, o seu olhar é seu
O seu olhar seu olhar melhora, melhora o meu"
[/Ariana]


[Edyene] Aparentemente sem cortes de câmera, edição perfeita, teoria de fenda temporal/lapso de tempo, cenários impecáveis, montagem perfeita feita a partir de planos-sequências e uma direção segura, Triângulo surpreende pela ousadia técnica. Não preciso nem dizer quais as cenas que agradam mais aos fãs, mas me surpreende a atuação de Bill Davis. O cara passou o episódio inteiro falando em alemão. E não podia errar uma linha do texto! 

Mais do que um episódio de Arquivo X, Triângulo é uma obra prima de TV mundial. Quem ousaria imitar a direção de "Festim Diabólico" de Hitchcock? Só CC mesmo. 

A cena final é tão boa que dá vontade de ver um porrilhão de vezes! E não é só pelo "Scully, i love you". Gillian, David, Pileggi e os Pistoleiros juntos numa cena só é um deleite, um presente para os fãs. Os diálogos são ótimos e interpretados numa sintonia única entre os atores. Além do mais nunca vi Mulder apanhar tanto como nesse episódio! Tadinho... 

E Gillian está IM-PE-CÁ-VEL!!! A segunda sequência em que Scully vai atrás de informações sobre Mulder é de tirar o fôlego. Eu duvido se alguém que já viu esse episódio e não se pegou prendendo a respiração ao fim dessa cena. 

E, nota de rodapé, o rosto vermelho de Mitch Pileggi após o beijo de Scully é desconcertante. Ele teve que buscar equilíbrio emocional não sei de onde pra terminar a cena. Mitch, mais do que Skinner, ficou muito desconcertado com o beijo. Deem uma olhada na expressão dele. 
Enfim, Triângulo é um dos episódios mais bem dirigidos e um marco para a série com um todo. [/Edyene]


[Josi] Acho esse episódio simplesmente lindo... é uma das obras-primas de AX... A trilha é estupenda, a fotografia idem... enfim, é um filme envolvente. Acaba e você pensa "já?". Fora que CC ainda nos presenteia (do jeito torto dele, claro...) com um beijo e um I LOVE YOU de Mulder. Quem era da antiga comunidade de AX no Orkut... alguém lembra das maluquices do povo em ver declarações de amor ocultas? kkkk Seus doidos! Que saudades daquela época...

Sempre fico nervosa com esse teaser porque sempre acho que Mulder fica tempo demais dentro d'água desacordado e não daria tempo de Scully chegar e salvá-lo.





E os bocós dos marujos o tiram de dentro da água só para baterem nele e dizer que vão jogá-lo de volta pra água? Estão entediados, meus filhos?

"Eu acho que houve um engano..." - Fala Mulder enquanto é espancado - "E o engano foi meu" - Oh dear...

Para tudo que eu conheço o sotaque do capitão porque eu vejo Outlander! A criatura é escocês! Sim, e isso não tem nada a ver com o episódio. Ops.

Olha essa cara de maluco... Rindo com a boca cheia de sangue... kkkkk

Mulder, seu lindo tolinho... Quem disse que seria o navio a viajar no tempo e não você?



Mulder apanha de novo e solta: "Viu? eu não disse que eu não era nazista?" - Isso é que é ver as coisas pelo lado bom!

Mulder: "Vocês estão muito valentes agora. Esperem pra quando chegarem na Polônia... espero que gostem de frio!" - Fique quieto, homem! Morrerei de rir!

Em 10 minutos, Mulder apanha um bocado. O pobre... E ele sai falando o nome de todo mundo... Até o de Skinner... ele não sabe que pode colocar os outros em perigo?!

E os Pistoleiros entram assim na maior na sede do FBI? Pensei que só meu trabalho fosse uma zorra. rs

Pistoleiros: "As paredes têm ouvidos"
Scully: "Eu tenho ouvidos. Alguém vai me dizer o que está acontecendo?"

Amo como a Scully sai louca pelos corredores em busca da informação que vai salvar a vida do parceiro dela. Mas... fica tão claro como eles são sozinhos e isolados ali dentro... Eles realmente só tem um ao outro. Houve um momento em que eles tinham alguns amigos ali dentro... uma telefonista, alguém no lab, um informante (danny) que sempre tinha essas coisinhas à mão... agora não. Agora há Skinner e olhe lá. Tadinhos... Agora geral acha os dois Mr and Mrs Spooky. (fofo)

Ela desesperada atrás de Mulder. "No que você estava pensando!!!" ownn tadinha...






Scully para Spender: "I don't care what you need to do or who you do..." OMG. Mas sério... ela devia ter procurado a Dianna... Tipo, ok... ela estava também do lado do mal... mas acho que não deixaria Mulder morrer assim por uma tolice, né? Já Spender... Spender tem as costas muitos quentes pra ficar com medinho de ameaças vazias... sniff

Ai, meu Deus... esses telefones sem identificador de chamadas... hihihi E ela sai, dá de cara com fumador e cia e volta correndo pro elevador na maior cara de pau! OMG!





Agora... eu tava pensando numa coisa... o pai da Scully era da marinha... o irmão da Scully é da marinha... ela não podia pedir a informação que ela queria a alguém que ela conhecesse? :/ aff... Esse pessoal nem pra ter conexões! Que gente queimada!

Quieto, Mulder. Spice Girls era muito legal, ok? Vamos listar todas as coisinhas "bacanas" que EUA fez? Tipo bombardear um Japão já quase rendido e deixar sequelas no país por décadas a fio? :P

Mulder e seu bocão. kkkkkkk "Trust no one, man!"... Ele mudou essa para "confie em todo mundo", sabia não? ;-)

E Kersh nem aí pra nada, só querendo voltar pra casa... go go, Kersh! Jamaica!






Mas vamos combinar... que cientista idiota. Ele não quer que ninguém mais morra? Espero que ele também não faça nenhuma bomba para os nazista né? o.O

Mulder: "Você é a única que pode salvar o navio!" ooooooownnnn

Amo Mulder e Scully saindo engatinhando da sala enquanto todos brigam! E melhor ainda é eles saindo correndo pelos corredores de mãos dadas.... <3

Eu tenho sentimentos confusos com relação a esse beijo... primeiro é "owwwnnn... o primeiro pensamento dele quanto a nunca mais ver Scully é aproveitar para ao menos beijá-la uma vez" e o segundo é "wtf mulder! Ela sequer te conhece e você já sabia de antemão que ela não gostaria de ser beijada! Plah em tu!". O segundo sentimento é mais forte... mesmo porque ele demorou um tempão para tentar beijar a Scully real que estava bem a fim de beijá-lo e preferiu ficar dando corda pra Dianna. :P

Mas ele se joga de volta pro mar com tanta confiança de que Scully-do-passado consertaria tudo e conseguiria dobrar todos loucos daquele navio a fazer a coisa certa... <3

Agora a cena final... é perfeita!

Mulder: "I feel................................... like hell"

Daí ele fica chamando a atenção dela como um pirralhinho batendo com os dedinhos nos quadris dela... Muito fofo!

Minha conclusão... 1, 2, 3... Não me matem... mas eu acho que foi um sonho/alucinação mesmo. Por quê???? Bom... pelas pessoas iguais às de agora???!!! Mas poderia ser que Mulder estivesse fazendo alguma associação louca na mente dele e pessoas levemente parecidas ficavam iguaizinhas... O bom é que como AX é linda e perfeita, os dois pontos podem ser verdade e quem bater o pé vai ficar doido tentando se provar correto.

Assumindo que tudo tenha sido um sonho de Mulder mesmo (ou delírio, sei lá), é interessante fazer a análise do que se passa na cabeça de Mulder... a forma com que ele vê cada pessoa da sua vida. Os Spenders, do mal; Skinner, finge estar do lado do mal mas na verdade é do bem; Kersh, não tá nem aí; e Scully... Scully é a pessoa que salva o mundo... ownn Ah, de acordo com esse "sonho", Mulder está louco pra beijar Scully, mas teme que ela não vá reagir muito bem... 

Esse episódio, apesar de maluquinho, é muito gostoso de assistir. Adoro essa iluminação e escolha de cores para essa temporada! E sei que muitos não gostam, mas esses episódios onde eles estão mais leves são pra mim tão importantes como os em que eles estão soturnos. Acho que esse balanceamento faz eles, Mulder e Scully, tão humanos...

"I love you"
"Oh boy"
[/Josi]

Pequena análise da cena final:

“Você salvou o mundo, Scully.” /“Sim, você está certo, eu salvei.” Ela salvou Mulder, que é a mesma coisa.

O jeito que ele toca o quadril dela me dá vida.









“Nos seus sonhos”. Pessoas dizem isto apenas quando a tensão sexual é quase insuportável

A voz dela é tão íntima agora. Ela está feliz de tê-lo de volta, e ela não acha que ele vai lembrar da conversa, de qualquer forma, então ela se deixa ser doce com ele. “Mulder, eu quero que você feche seus olhos, e eu quero que você pense consigo, ‘não há lugar como o lar’."

"Ei, Scully!"
Adoro como ela se aproxima dele. Ela quer que ele veja o quanto ela está sendo fofa.

Ele hesita, só por um segundo, mas assim que começa, ele é todo convicção.

É verdade Scully, ele QUIS DIZER ISTO. Olhe como a expressão dele cai quando ela não responde o que ele esperava.







Isto é IMPORTANTE. Mulder ama Scully. Ela quer que ele a ame, por isto ela não vai se assumir com ele agora. Ela tem esperado um “eu te amo”, e o primeiro que ela recebe é uma confissão ao lado de uma cama de hospital ao fim de um conto como ‘O mágico de Oz’. Mas claro que é. Seria qualquer outra coisa entre estes dois? Ele acabou de ir para uma aventura com ela – mas não era ela de verdade – e ele sabe que eles se encaixam tão bem que as diferentes versões de Scully e Mulder salvam o mundo em qualquer era. Mas ESTA Scully é dele, e seu cabelo ruivo está a centímetros de seu rosto, e como ele não diz a ela como se sente? Ele sabe que a ama. Por quanto tempo ele sabe? Foi com o câncer? O discurso sobre o chaveiro do Apollo 11? Seu primeiro caso, aquela noite no cemitério quando ela ria na chuva por que eles estavam realmente investigando algo que ela não podia explicar, e ela estava empolgada com isto? Não importa muito agora. Mulder ama Scully. 

Fonte dos GIFs no texto original.

Quotes:

Scully: Mulder? Mulder, sou eu. Hum?
Mulder: Onde estou? 
Scully: Está num hospital. 
Mulder: Ooooo. 
Scully: Fique quieto.
Mulder: Eu me sinto péssimo. 
Scully: Não te culpo. Você passou por maus bocados, eu diria.


Mulder: O que aconteceu comigo?
Scully: Você fez algo incrivelmente estúpido.
Mulder: O que eu fiz?
Scully: Você saiu a procura de um navio, Mulder, no Triângulo das Bermudas.
Mulder: Diz isso de novo?

Frohike: Gilligan acordou. 
Mulder: Você estava lá.
Scully: Hmm? 
Mulder: Você estava lá, Scully. 
Langly: Ele está delirante.
Mulder: E ele estava lá também.
Skinner: Certo, eu e meu cachorro, Totó. 
Mulder: Não, você estava lá com os Nazistas.
Scully: Mulder, se acalma? É uma ordem.
Skinner: Como se ele obedecesse a ordens...
Mulder: Você salvou o mundo, Scully.

Scully: Sim, você está certo... eu salvei.
Frohike: Que tipo de drogas ele tomou?
Langly: Eu quero um pouco.
Mulder: Não, não, não... O Queen Anne—eu o encontrei. Você estava lá com o Martelo de Thor. Eu disse pra você virar o curso do navio e então eu pulei pra fora.
Scully: Sim, eu tenho certeza que você disse. O navio em que você estava foi feito em mil pedaços. E assim como o Queen Anne, não passava de um navio fantasma.
Mulder: Não, não, não. Você e eu estávamos naquele navio Scully. Em 1939.
Skinner: Descanse Mulder, por que quando você sair daqui vou chutar seu traseiro com força.

Mulder: Eu nunca te veria de novo, mas você acreditou em mim.
Scully: Em seus sonhos, Mulder.  Eu quero que você feche seus olhos e quero que pense “não há lugar comoo lar”.
Mulder: Mmm. 

Mulder: Hey, Scully.  
Scully: Sim? 
Mulder: Eu te amo.
Scully: Agora essa....








Outras Imagens de Triangle:

O poster desse episódio... Olha que piada!

Scully de cabelo cacheadinho... <3

Mulder, CSM e Skinner no passado

Que situação desconfortável...

Prontos para morrerem juntos...

O beijo...

A cutucada... 

I love you... 

Fontes GIFs: x x x x x
Obs: Alguns comentários aqui colocados foram retirados de tópicos de nossa antiga comunidade do Orkut. Quem se sentir desconfortável e quiser que o seu seja retirado, basta mandar mensagem.

7 comentários:

Rita Azevedo disse...

Descobri o blog hoje e já tô amando! Tô revendo os episódios de AX depois que soube da notícia de que a série voltaria, e vi esse episódio há pouco tempo, nem me lembrava dele. Quando eu vi o beijo fiquei em choque hahahaha

Cleide disse...

Oi Rita, bem vinda!
Curte a nossa página no Facebook, a gente dialoga bastante por lá... https://www.facebook.com/axepisodeguide postamos todas as novidades.
A sexta e sétima temporada são muito shippers... muitas surpresas boas.
Continua com a gente, quem sabe na sua maratona, não nos envia comentários sobre os próximos episódios para compor nosso post? Abração!

Regiane disse...

Adoro esse episódio! Ficou sensacional, tanto relacionado à história quanto a parte técnica. Deram um show. A única coisinha que não gostei foi o beijo da ruiva no Skinner. O que foi aquilo, gente?!! Com uma careca e duas bochechas disponíveis ela beija ele logo na boca?!! Foi demais pra mim rs. Mulder se declarando pra Scully no hospital foi lindo, pena que deu fail. Fora isso, só tenho a dizer uma coisa: que pegada boa essa do Mulder na Scully, não?!

Paula disse...

Adoro esse episódio, rico em detalhes, muito show, questões históricas referentes e tão shipper quanto amo.
Demais o seu post!!!!!!

Anônimo disse...

O que falta dizer depois de todos esse comentários maravilhosos faz tempo que vi,mas hoje vou arrumar um tempinho pra rever,pois a saudade bateu. Mulder fofo, fofo demais e na minha opinião ele sempre é fofo. rsrsrsrs. Scully tentando esconder como ficou feliz com a volta do querido,mas quem conhece a cara dela, dá pra ver na hora.Cenário, música,fotografia tudo perfeito.
Yanne

Josi disse...

Oi, Regiane! A mulher quis expressar seus sentimentos de uma forma mais profunda, oras! Viva o amor! kkkkkk

Obrigada, Paula e Yanne! <3

Wagner Bueno disse...

Bom, fiquei sem entender se os personagens que estavam no navio tinham viajado no tempo ou se eram reencarnações das pessoas que o Mulder conhecia