sábado, 22 de janeiro de 2011

03x19 - Hell Money (Dinheiro Infernal)

Direção: Tucker Gates
Roteiro: Jeff Vlaming

Resumo: Mulder e Scully são chamados quando um homem é queimado vivo e fantasmas são vistos no local para logo em seguida desaparecem completamente. Estes fantasmas parecem estar ligados a um jogo onde o final é sempre é a morte.



Comentários:

[Josi] Hell Money é outro episódio meio esquisitinho. Mas eu acho que eu tenho essa sensação porque eu fico me lembrando daqueles filmes todos de kung-fu/caratê...

Arquivo X, no entanto, como é de costume, foge destes chichês ao abordar de forma franca a condição de imigrantes orientais nos EUA e a sua cultura.

Eu sempre acho interessante como Arquivo X consegue abordar a realidade tão certeiramente mesmo tendo uma premissa baseada firmemente em Ficção Científica e situações paranormais. Paradoxal, não? Pois é... brilhante!

Começando o episódio, o que diabos aquele policial/segurança tinha em mente? Então ele chega numa sala suspeita e tira... a lanterna??? Achando pouco, ele vê um monte de gente esquisita de máscara, que parecem guardar uma porta mais esquisita ainda, se escondendo atrás de plateleiras no escuro. O que ele faz logo em seguida? Se mantém alerta e em posição de defesa mandando os manés sairem do esconderijo e chama reforço? Nãaaaaaaaaaaao. Ele vai em frente e se agacha para "brechar" o que está acontecendo atrás da porta por um buraquinho. =/

E ele escapou, né? Sortudo! :P

Olha aí! Mais um caso em que Mulder não conta todos os detalhes a Scully. Viram como ela não mente em Bad Blood? Quando ele fala das outras mortes para o detetive, ela se mostra surpresa... poxa, Mulder? Custa atualizar a parceira?

Scully: Então espíritos ancestrais empurraram o Johnny Lo no forno e ligaram o gás?
Mulder: Isso certamente te ensina a respeitar os mais velhos, não?

hahahahhahahha

E olha quem aparece! A hoje muito famosa Lucy Liu.





E eu não culpo o pai dela pela tolice. Quem aqui tem filhos e não fariam qualquer loucura para salvá-los? Minha gente, ele tem uma filha que pode ser salva, mas o procedimento é muito caro. E daí que todos parecem amar tanto a tal ciência, mas no fim é tudo sobre o dinheiro. As pessoas não parecem buscar a cura e o bem estar do outro, mas a fama e o dinheiro. Pensando nisso, você vê que o título deste episódio vem bem a calhar mesmo: dinheiro infernal.

Mas, rapaz... as chances ali eram pequenas demais! Melhor vender o órgão diretamente! Claro, né? Se é pra fazer besteira, por que fazer uma moderada? :P

Sabe todas aquelas coisas citadas como medicamentos? Raízes, folhas, animais secos... pois é... eu não sei não... mas creio que minha tia, mais conhecida como a maníaca do chá, tomaria isso tudo sim. É... eu também tenho medo!

E quando o detetive menciona a casa assombrada??? Scully certamente deve ter pensado "agora lascou foi tudo (que é? é uma Scully com sotaque nordestino. Não pode? lalalala)! Mulder só vai falar nisso agora!", enquanto isso Mulder fica logo animadinho.

"... acredita-se que as portas do inferno se abrem e os fantasmas das almas indesejáveis vaguem pela Terra." - Taí um bando de almas indesejáveis que não têm nada melhor do que fazer a não ser atormentar os pobres vivos... e vocês aí se achando forever alone... tsc tsc tsc

Scully: "Eu fico pensando o que alguém ia querer com uma sepultura vazia" - Po, Scully! Mas, rapaz, o pessoal só colocaram 1cm de terra por cima do cadáver que eles pretendiam esconder... era melhor deixá-lo descoberto mesmo. Pouparia o trabalho. :P

Mulder: "Você acha que este cara estava trocando seus órgãos por dinheiro?" - Não, Mulder! Esses caras são manés! Eles estavam jogando os órgãos na loteria mesmo! Imaginem se vocês perdessem um pedaço do corpo sempre que arriscassem uma fézinha? :P

Só em Arquivo X se vê algo assim sem ser tosco! Sem mais meritíssimo.

Agora... alguém ganha aquilo? Sim, porque eu só vejo o povo perdendo partes do corpo. Notaram como alguns riem? Que medo dessa gente!

Uma pausa para uma perguntinha básica... Por que eles balançam o potinho quando lhes dão? Eles não estão vendo que o coisinha fica em cima pois é jogado por último? Arre!

Tá... continuemos. :P

Ei... não é ótimo como Mulder deixa a Scully detonar no interrogatório enquanto ele fica tranquilamente recostado contra uma parede?



Own... Mulder não gosta de fogos! Não é fofo? Ele se incomodou mesmo quando veio aqui na época de São João. Tadinho... #Sonha



Minha geeeeeeeeeeeeeeente!!!!!!! O cara ainda paga pra participar daquilo!!! Estou pas-sa-da!!!!!!! "Ainda não recebi o seu pagamento" WTF??? Eu responderia: "E o que fizeram com o meu olho? Não serve de pagamento, não?" Minha nossa!

Ok... como é que aquele cara saiu ileso do meio daquele povo enfurecido? Putz!

E a tradução do Chao? Parece legenda oficial (sabe quando o pessoal faz aquelas "traduções livres"? hahahha).

Então, ao final, tudo termina como estamos acostumados aqui no Brasil: em pizza.

Tive peninha do Chao... :(






[/Josi]

[Nay] Hell money ou Dinheiro Infernal foi o primeiro episodio que vi de Arquivo X. Até hoje lembro nitidamente da sensação de estranhamento e fascinação diante daquele programa que eu nem sabia o que era, mas que não me deixava mudar de canal, nem mesmo nos intervalos, com medo de perder as cenas seguintes. Muitos episódios depois eu me perguntei por que Hell Money tinha me prendido tanto... e até hoje não tenho uma resposta precisa... sinceramente, não acho que seja um dos melhores episódios... na verdade, acho-o bem mediano, mas certamente há coisas que me chamaram a atenção.

Pra começar, se alguém ainda tinha dúvidas quanto à importância e eficácia das escovas progressivas e selagens capilares... este episódio as joga por terra: a escova tradicional não pegava bem em Scully, sempre sobrando frizz na parte da frente e muitas vezes culminando no penteado capacete...rs.

Ok, vamos à parte séria....o início. Acho extremamente atraente a riqueza de cores das culturas orientais... o vermelho dançando com o dourado dá uma beleza, mas ao mesmo tempo uma imagem de imponência e ameaça nas festas, como se aqueles dragões fossem ganhar vida à qualquer momento. A ruidosa celebração contrasta com a silenciosa e desesperada fuga do chinês, que diante dos fantasmas, sucumbe.

“Festival Chinês dos fantasmas famintos”. Vocês acreditariam se eu dissesse que é a primeira vez que me dou conta de que este é o nome da festa que aparece no começo? E que daí vem o nome do episódio... o dinheiro infernal era uma oferenda aos espíritos maléficos e fantasmas. Ah, os humanos, sempre nessa relação de amor e ódio aos que se foram, aos que caminham sem ser vistos, sempre a temer que eles voltem e nos assombrem... seriam mesmo os fantasmas a nos assombrar ou o eco de nossas consciências?

Neste episódio, vemos uma Lucy Liu bem jovem, como centro das preocupações de seu pai... As cenas deles me emocionaram várias vezes e me fizeram pensar que a premissa do episodio é: até onde as pessoas podem ir diante da necessidade de ajudar quem amam...... e até onde outras pessoas usam tal necessidade para lucrar.

A primeira visão que temos do clube é impactante: uma panorâmica do salão cheio de chineses falando numa língua incompreensível para nós é bem dramática, bem como o passo a passo que antecede o “sorteio”. Não entendemos o que dizem, nem reconhecemos os caracteres, mas é fabuloso como a linguagem não se limita ao verbal que nos é familiar... mesmo sem partilhar aquele código lingüístico e cultural, sentimos a angústia dos presentes, a tensão e finalmente o desfecho. Qual foi a pedra sorteada? Não sabemos ao certo, mas sua cor vermelha, a decepção do homem sorteado e dos presentes, bem como o tema dos sorteios (que descobrimos adiante) levam a crer que o veredicto havia sido dado. Ele deveria entregar seu coração. Como eu disse, comunicar-se é muito mais do que falar... e Chris Carter nos diz isso episódio após episódio, inclusive quando aqui não traduz as falas... intencionalmente.

Acho notável a naturalidade com que Mulder pula nas covas... mais notável ainda foi a rã saindo do peito do homem morto... cara! Ela merecia um Oscar, foi perfeita! Mas eu morri de pena dela no vidro! Scully má... não sabe mesmo cuidar de animais.

Apesar da cena ser super séria... e quase doer ver a frieza daquele chinês falando com o pobre pai submisso e desesperado... morri de rir quando ele disse: “Ninguém fala sobre o jogo. Ninguém sai do jogo”. Clube da Luta feelings! Kkkkkkkkkkkkkkkkk

Assim como teve um inicio impactante, Hell Money teve um final com chave de ouro: Chao sendo incinerado. Ele havia se aliado aos demônios... e uma vez feito isso, não há volta. [/Nay]

Quotes:

Scully: Você sabe quanto vale um corpo humano, Mulder?
Mulder: Depende do corpo. ... Eu não sei. Alguns dólares. Quanto?
Scully: Vale uma fortuna.
Mulder: Você está dizendo que esse cara estava vendendo partes de seu corpo por dinheiro?
Scully: Um rim, uma parte do fígado, a medula óssea, córnea ... Uma pessoa pode perder essas coisas e viver para receber em dinheiro os cheques da segurança social.
Mulder: Ele não estará descontando os cheques de segurança social muito em breve...

Scully: Não, mas se estou certa este é um homem que deixou seu coração em São Francisco.
Mulder: Scully, mesmo se você estiver certa, não faz sentido. Não é um bom negócio a longo prazo morrer. Que relação tem isto com a morte no crematório?
Scully: Eu só vi um corpo, mas a única coisa que não foi queimada foi um olho de vidro do Johnny Lo.

Scully: Oh, Deus.







Outras Imagens de Hell Money:

Os "fantasmas"

Det. Chao

A rã

Mulder e Scully descobrindo o "armazém" de partes do corpo humano

8 comentários:

Minha Terra disse...

Esse episódio é, para mim, diferente dos outros, foge um pouco a regra, mas eu o considero muito bom. É interessante ver como funciona o esquema de tráfico de órgãos e a maneira como eles encontraram de manter as pessoas presas a esse tipo de sindicato. Um falso sorteio! Fichas marcadas. Mulder e Scully estão perfeitos, como sempre. É interessante ver como eles resolveram o caso. Ótimo!

Giovana disse...

Meu nome é Giovana, e tenho 11 anos. Adoro o q vc escreve! Tbm sou fã do Arquivo X e já assisti todos os episódios até a quinta temporada. Seu guia é mto completo e sempre consulto seu blog quando tenho alguma dúvida. Adoro os Quotes. Vc gosta das mesmas frases e cenas q eu.

Vc está de parabéns. Seu Blog sobre a série é o mais atualizado. Leio toda semana.

Gisele disse...

Como foi dito, não é "aquele" episódio de XF, mas é legal a forma como o tema (tráfico de órgãos) é abordado.

Scully: Você sabe quanto vale um corpo humano, Mulder?
Mulder: Depende do corpo. ...

Adoro essa parte, é hilária!!!

E realmente, a rã merecia o Golden Globe!

Aquela disse...

eu não gosto muito desse episódio... dos sempre maravilhosos epis de ax, esse é um dos menos maravilhosos pra mim.

mas ainda assim é bom (só ax consegue isso)!

e me deu uma saudaaaaaaaade agora!

Gisele disse...

Gente, sei que não é o lugar pra postar isso, mas pedi pra voces me adicionarem na comunidade do orkut! Me add lá!!!

Ah...mas um off: GA está em Los Angeles, fazendo sabe-se lá Deus o quê! Linda e poderosa, como sempre!

Quem sabe aconteça alguma discussão sobre o (possível) filme XF3???

Maybe there´s hope!

Josilene disse...

Cristiana... Que bom que vc gosta deste ep... pra mim, é quase como se ele valesse apenas pela frase que a Gisele postou... rrs

Apesar de que... como disse a Ka, mesmo sendo ruim, é bom! hahahhaha

Giovana! Sei que estou um pouco atrasada aqui, mas seja bem-vinda! Vc tem 11 aninhos e já ama AX??? Fofo blaster!!!! Já se vê que seu bom gosto veio do berço! ;-) Comente conosco!

Elizabeth disse...

Acho esse ep muito legal, sombrio e macabro, como um AX deve ser, mas tb pelo caráter pouco comum da estória para os padrões da série: não há nada sobrenatural no caso, uma trama sórdida de mafiosos chineses para explorar o desespero de imigrantes pobres e lucrar com a venda de órgãos. Os fantasmas que perseguem e matam dissidentes do jogo, logo fica claro, estão a serviço dos mafiosos, não do além (nada mais mundano). É horrível o modo como matam, jogando as vítimas vivas em câmaras de crematórios (e o pior é que isso tb é bem mundano, recentemente fizeram isso com um cachorro lá na aprazível São Vicente). E o det. Chao fez jogo duplo e teve esse fim. Por fim, gosto muito desses eps em que a dupla M&S deixa de lado seu talento pra se meter em encrencas e vai investigar o caso com um trabalho de formiguinha, coletando pistas e ligando os pontos, como bons detetives que são, o que mostra a versatilidade da série em tratar de ficção científica, investigação criminal e fenômenos sobrenaturais, sem ficar descaracterizada.

Josilene disse...

Confesso que esse ep não entra na minha lista de eps legais. kkkkkkkkk sei lá... acho q ele é chatinho mesmo...