segunda-feira, 25 de julho de 2011

I Want to Believe - 3 anos

Há 3 anos, milhares de fãs compareciam a um aguardado encontro com Mulder e Scully: o filme I Want to Believe (Eu Quero Acreditar). As últimas notícias que este nos trouxe, nos deram conta de acenos num barquinho e fuga da escuridão.


Enquanto nos vemos envoltos novamente da imensa saudade de novas histórias, nos agarramos ao título anteriormente citado e alimentamos a esperança de termos em breve um novo filme.

Se por um lado confiamos apenas em rumores, por outro, ancoramos nossas expectativas no fato de não haver uma negação formal ou encerramento definitivo da franquia. Além disso, cada novo fã que ingressa em nosso mundo X, e não são poucos, torna mais vívida a ideia de que "maybe there's hope".

Aliás, é extremamente gratificante saber que, mesmo depois de tantos anos de finalizada, esta série atrai tantos fãs, alguns deles sequer eram nascidos quando AX estreava cerca de 19 anos atrás. Pensando talvez nestes fãs ou mesmo em alguns menos atentos a tantas particularidades de nossa série ou até mesmo para aumentar ainda mais a curiosidade de todos nós, Chris Carter resolveu lançar, na época de IWTB, uma coletânea com alguns episódios que dariam dicas de como seria o filme. A essa coletânea ele chamou de X-Files Revelations: The Essential Guide to the X-Files Movie.

Antes do lançamento do filme, esta coleção gerou muita especulação da parte dos fãs principalmente por conta de todo o segredo que rondava as gravações de IWTB. Nós víamos e revíamos os episódios na tentativa (ansiógena, mas muito divertida!) de estabelecer relações entre o que já sabíamos (pouco, muito pouco) com as dicas que cada episódio selecionado nos oferecia. Com o filme nos cinemas, o mistério se dissolveu e pudemos saber no que havíamos acertado ou não.

Mas agora, tendo todo esse conhecimento em mãos, resolvemos comemorar os três anos da estréia mundial de I Want to Believe fazendo um traçado do que realmente esses episódios têm a ver com o filme. Vamos lá?


>>Pilot (Piloto) - Primeira Temporada














Esse episódio é clássico e obrigatório em qualquer lista que se refira à história de Arquivo X. Além de ser perfeito (Sim, é. Não discutam, ouxe), ainda mostra o primeiro encontro de Mulder e Scully, seu primeiro caso, suas convicções pessoais e motivos que os levaram a estar ali... além de deixar implícita uma conspiração dentro do FBI. Eles conseguem mostrar tudo e nada ao mesmo tempo, apresentando os personagens já maduros e seguros de si mesmos, ainda que jovens e inocentes diante de tudo o que ainda havia para acontecer. Eles não sabiam, mas esse encontro mudaria suas vidas, assim como as nossas.

A magia de se ver o Piloto e logo depois IWTB é quase divina. Não enxergamos simplesmente dois personagens, mas reencontramos dois velhos amigos, com aquele misto de saudade extrema e frio na barriga. Remontamos à época em que eles iniciaram essa jornada, de tudo o que passaram ao longo dos anos, todos os sofrimentos, perdas, alegrias, descobertas, derrotas e vitórias.


>>Beyond the Sea (O Vidente) - Primeira Temporada








Um dos motivos da inclusão deste episódio parece claro e fica ainda mais transparente a partir do título brasileiro. Há um vidente nele, há um vidente no filme. Mas não é apenas isso. Ao assistir esse episódio, você vê Scully e Mulder num dos (maravilhosos e raros) momentos em que eles "trocam de lugar": ela passa a ser uma crente hesitante e Mulder um cético ferrenho.

Aqui é mostrado o constante paradoxo da vida de Mulder e Scully. Para o primeiro, a vontade de acreditar é imensa, mas ainda assim, ele tem que ficar em alerta para os falsários que tentam usar das crenças alheias em seu próprio benefício. Para a Scully, o problema é ter seu bem fundamentado mundo científico e prático confrontado com uma realidade representada por alguém ou algo que a ciência moderna não aceita como verdade plausível.

No filme, revemos Scully diante de semelhante confronto. Suas convicções religiosas sendo colocadas em xeque diante de um padre que ainda mantém sua fé apesar de seus hediondos pecados e o qual se diz abençoado por Deus com uma chance de se redimir ao receber visões que podem salvar a vida de muitas pessoas. Como acreditar em alguém assim? Mas como não acreditar quando tudo aponta para isso?


>>The Host (O Hospedeiro) - Segunda Temporada

"Talvez eu possa requerer uma autópsia"

"Sabe, Mulder, eu me preocupo com você..."

Este é outro clássico. Incrível como Chris Carter e cia conseguiu reunir em tão poucos episódios a essência básica da série. A volta aos Arquivos X que Skinner conseguiu forjar para Mulder vinha com um corpo encontrado nos esgotos de DC. A revolta inicial de Mulder deu lugar ao seu costumeiro brilho nos olhos quando um caso fascinante se apresentava diante dele. Além do caso esdrúxulo (não para os padrões de AX, vamos deixar claro), ainda temos Mulder e Scully separados depois do primeiro fechamento do setor desde que eles se tornaram parceiros. E o que vemos é algo que se repete sempre: eles vão sempre buscar trabalhar juntos. São mentes que se completam como peças de lego. O que era nossos queridos agentes se encontrando pelas salas do FBI e num banquinho de parque para discutirem suas vidas? Sem Scully ele não teria seguido com o caso sugerido pelo diretor assistente e perderia até mesmo sua vontade de continuar na agência.

Em IWTB, vimos algo semelhante. Bem semelhante até, quando a Scully o convence até onde pode a ajudar a encontrar a agente morta e assim retirar seu antigo parceiro de FBI do ambiente depressivo em que ele se encontrava e devolver a ele sua paixão e brilho nos olhos que tanto o caracteriza. Fora que, apesar de meio relutante ao longo da história, ela o ajuda e muito na resolução do caso.


>>Clyde Bruckmans Final Repose (O Repouso Final de Clyde Bruckmans) - Terceira Temporada


Mais um episódio de vidente? Mas esta característica do filme já não foi colocada em BTS? Não, queridos. Aqui é diferente. Primeiro que Clyde não é um vilão, mas simplesmente um dos personagens mais adoráveis de Arquivo X.

Aqui ainda temos mais um tipo de vidente. Além do Clyde, o notório Sr Yappi. Vidente de TV que faz Mulder e Scully concordarem prontamente num ponto: ambos não gostam dele. Se ele tem alguma capacidade psíquica ou não (como assim "ou não"? Claro que não tem), não é exatamente importante. O fato é que ele não o usa da forma como deveria.

Então, temos este vidente vigarista (esta palavra ganhou uma conotação totalmente nova para mim depois de começar a ver White Collar. *suspiros*) e Clyde. Ambos dizem receber visões esporádicas do que aconteceu com as vítimas e seus assassinos. Durante o filme, nos perguntávamos: Father Joe se aproxima mais de qual dos dois?

Um ponto interessante entre este episódio e BTS é que ao fazer um "teste de vidência" com Clyde, este se sai com um "este é um pedaço de sua camisa?". E este é exatamente o teste que Mulder tinha feito antes com Boggs.

Mais duas coisas em comum que o filme teria com este episódio: Scully salvando Mulder no final e o vidente morrendo.

Como um plus temos a interação da Scully com Clyde, a ligação que ela estabelece com ele, que enquanto no episódio se mostra agradável para ambos, no filme, é doído, apesar de muito necessário.
Interessante isso em Arquivo X: mesmo Scully sendo a cética (ou talvez por isso mesmo) é ela quem mais sente algumas coisas, principalmente relativas ao mundo espiritual. Exemplos disto temos em Revelations, da terceira temporada, Serafim, da quinta e Orison, da sétima. Esta é uma das semelhanças mais importantes que há entre o filme e este episódio.


>>Memento Mori (Lembranças Finais) - Quarta Temporada


Sabemos que a história principal de I Want to Believe é o desenrolar do relacionamento de Mulder e Scully. Muitos se chocaram ao vê-los daquela forma (só Deus sabe porque) e este é um dos episódios que nos daria algumas das maiores migalhas de pão na longa trilha que Chris Carter nos ofereceu. Basta ver a forma como Mulder luta com todas as suas armas, esquecendo de si mesmo e de qualquer outra coisa apenas para manter sua parceira segura e sã. Além disso, vemos também o quanto Scully se apóia em Mulder, o quanto a convicção, a fé, o afinco dele são necessários para fazer com que ela se mantenha inteira e disposta a lutar para conquistar o que é considerado impossível, até mesmo para ela.

O diário que ela passa a escrever, como se o estivesse fazendo para ele mostra amor e confiança profundos.
Estes pontos não mudaram para nenhum dos dois. Eles ainda são capazes de fazer qualquer coisa um pelo outro.


>>Post-Modern Prometheus (Prometeu Pos-Moderno) - Quinta Temporada


A história deste episódio conta como alguém mudou para sempre a vida de muitas outras com sua obsessão em brincar de Deus. Este doutor achou que era inteligente o bastante e que poderia sair criando suas próprias criaturas e seres humanos a seu bel-prazer. Obviamente deu errado e, retirando os muitos experimentos que devem ter dado bem mais errado, um deles foi salvo por um bondoso homem que o criou como filho. Um ser quase que totalmente desprovido dos padrões estéticos condizentes com o que se chama humano.

No episódio, o final foi feliz. Já no filme foi um pouco diferente. A missão neste último era curar alguém a despeito disso custar a morte de muitas e muitas outras. Claro que havia o ganho científico por trás disso, mas era algo tão mínimo diante do custo que realmente nunca deveria ter sido sequer cogitado. Podemos dizer que o final no filme foi feliz para quem interessava: uma das vítimas.


>>Bad Blood (Vampiros) - Quinta Temporada


Não parece muito claro o motivo pelo qual este episódio foi arrolado nesta lista. Vamos tentar elucidar isso. Bad Blood, mais do que um episódio sobre vampiros, é uma ode ao relacionamento de Mulder e Scully. Toda a leveza e confiança que eles encontram um no outro. A forma como eles brincam um com o outro aqui, apesar da pretensa seriedade da situação, é no mínimo doce de se ver. Então, mostrar que o relacionamento deles também pode ser leve talvez seja uma pista do porque deste episódio estar aqui.

Ou talvez seja apenas porque é o favorito da Gillian. ;)


>>Milagro (Milagro) - Sexta Temporada








O relacionamento de Mulder e Scully neste ponto da série estava num nível em que a simples amizade não era mais o suficiente para nenhum dos dois. A tensão entre eles poderia ser cortada com uma faca (como poderia ser dito numa fic) e os outros pontos do relacionamento deles estavam começando a ser afetados. Isso podia ser facilmente visto pelos ciúmes e cobranças de ambos os lados. Padget será para sempre lembrado e agraciado pelos fãs pelo fato de ter dito na cara dos dois que a Scully estava apaixonada e definitivamente não era por ele mesmo. Será que eles finalmente se convenceram disso? Será que por isso eles ficaram mais relaxados depois?

O fato é que esta foi uma das melhores maneiras de terminar essa maravilhosa coleção (nota bem minha: mesmo porque apoia minha teoria de que daqui em diante, eles eram um casal de verdade) e a continuação, que seria o filme, veio como uma confirmação de que Padget estava sim muito correto e que hoje eles estenderam a parceria deles para outras áreas de suas vidas. Todas essas impressões são confirmadas pela forma carinhosa, ainda que hesitante da Scully em dizer que toda a teimosia de Mulder foi o que a fez se apaixonar por ele.

...

São estas as conclusões tiradas ao escrever este pequeno texto. Isso pode mudar daqui até o próximo niver do filme... ou em mais uma sessão de Arquivo X na frente de nossa tv. Afinal, isso é o que é marcante em nossa série: a cada vez que assistimos, a cada nova discussão com amigos, podemos chegar a novas conclusões ou descobertas acerca do que achávamos já fechado e selado.

Vamos continuar com nossas esperanças para que mais filmes sejam lançados e, enquanto isso, vamos manter a chama acesa. Comentem conosco! Digam o que concordam, discordam ou acrescentam às nossas conclusões...

9 comentários:

Minha Terra disse...

Este encontro mudaria suas vidas, inclusive a nossa..... muito bem dito, grande verdade. Mudou, e como,mudou, X File fez parte da minha vida na década de 90, e ainda faz através dos dvds. Não só da minha vida, mas de todos aqueles que amam a série e seus protagonistas. Arquivo X é mágico, mexe com o raciocínio, com a imaginação e com questionamentos comuns à todos que querem acreditar que o mundo não é apenas o que nossos olhos percebem, mas que tem mais coisas, coisas sutís que muitas vêzes passam despercebidas.
I want to believe... amei o filme e amei o que foi postado no blog, muito bem escrito, a relação do filme com os episódios está perfeita. And...I want to Believe too..... 3° X file.

Fritas disse...

Own. Josita!!!Parabéns pelo texto!Caramba...3 anos...aliás, é por ai tb o tempo em q nos falamos...
Mas fiquei assustaa mesmo foi com o "19 anos"...Caramba, como passa rápido!!!E realmente nem imagino pq Bad bloood bad blood bad blood entrou na coleção, mas enfim!CC quis q os "novos entrantes" conhecessem o episódio mais famoso das Wondercons da vida...hihihi

val disse...

vc resumiu muito bem e a seleção de epi bate perfeitamente, só não bad blod, mas pode deixar que é o meu fave.
vamos torcer para dia 30 de julho eles anunciarem XF3 aí eu ganho o ano.
meu twitter:@danabelieve

bjim

Val matos

misthik disse...

Eu ainda não era nascida na altura que X-files começaram e só comecei a ser fã mais ou menos há 3 anos mas desde essa altura que sou completamente viciada na série e nos filmes.
E eu quero acreditar mesmo que vai existir x-files3

Elizabeth disse...

Hoje o TCM exibiu Milagro, dublado. Sério, o trabalho dos dubladores é legal,mas o áudio original em inglês é incomparável. A coletânea obviamente foi pensada para quem não conhece bem a série e precisava de uma intro pra ver IWTB, porque quem assistiu um pouquinho de AX, sacou que a Scully estava apaixonada pela narigudo desde a 2a. temp (ou 1a talvez) e era correspondida, mesmo que o romance fosse sempre reprimido ali. Tb torço por um 3o. filme, desde que respeite tudo que foi icônico na série e não se resuma a um caça-níquel. Ia ser mara se a estória pudesse explorar a data da invasão dos aliens, revelada no final da série. Acho mais provável um filme reloaded daqui há alguns anos (não é absurdo, se pensarmos que Mulder e Scully tiveram uma vida aparentemente interessante antes de se encontrarem naquele porão, o que foi sugerido várias vezes ao longo da série, e a refilmagem demandaria atores jovens) Tomara que eu queime minha língua e possa rever os atores originais juntos novamente.

Josilene disse...

Taí uma coisa que eu não queria estar aqui para ver: outros atores fazendo Mulder e Scully.

Pode ser que queiram re-usar a ideia dos AX e refazer a série, mas tomara que o façam com outros personagens. Que consigam pensar em outros personagens tão (ou quase) interessantes qto eles... talvez trazendo William...

Elizabeth disse...

As comparações serão inevitáveis, tanto se relançarem M&S com novos atores quanto se criarem novos personagens. Eu particularmente não gosto dessa última, ainda mais depois de ter que ver Dogão e Reyes assumindo o posto, um sem aquele jeitão spooky do Mulder e a outra, sem o brilhantismo da Scully. AX é uma série curiosa mesmo, pois a entrada de novos personagens e substituição dos demais numa série não é incomum (CSI, Plantão Médico,não estou me lembrando de outras), mas em AX não funcionou bem. Mérito de GA e DD? Enfim, o que espero é que não manchem a série com um filme ruim, como tb acontece de vez em qdo ao relançarem uma série antiga com filme novo(Miami Vice, Anjos da Lei, só pra citar os mais recentes estragos).

Josilene disse...

Eu acho que o problema com doggett e reyes foi que: primeiro não largaram o osso com mulder e scully, deixando os agentes novos sempre como coadjuvantes e mesmo qdo a história nao envolvia mulder e scully (MOTW), ainda assim D&R eram coadjuvantes o.O. Segundo, bom... segundo é que... errr... eles eram muito coadjuvantes... eles não tinham um envolvimento real com os AX... era sempre algo leve e distante. A pessoa tem que dar o sangue, po! kkkkkkkkkkk

Mas... enfim... não acho que CC vá fazer um filme que manche a história de AX. Mas o que é claro é que ele jamais vai conseguir deixar todos os fãs felizes... é impressionante como todo mundo tem um "ah isso TEM que acontecer". Putz... pensar assim é pedir pra se decepcionar...

Elizabeth disse...

Concordo Josi, essa coisa da indecisão sobre Dogão e Reyes serem ou não coadjuvantes foi muito ruim pra eles e pra série. A verdade é que CC nos deixou muito mal acostumados e exigentes em relação a AX. QQ coisa que pintar sobre a série não vai agradar a todos igualmente. Mas ainda dá pra contar boas estórias se tiver bons personagens interpretados de maneira competente, como DD e GA fizeram um dia. Que venha AX3!!!