segunda-feira, 20 de maio de 2013

05x05 - The Post Modern Prometheus (Prometeu Pós-Moderno)

Direção: Chris Carter
Roteiro: Chris Carter

Resumo: Num vilarejo rural de Indiana um caso bizarro acontece... E se há algo bizarro nos EUA, há Mulder e Scully investigando. Pois bem, casas são cobertas em um dado momento, mulheres são "abusadas" (ou não) e depois ficam grávidas de uma estranha criatura. Enquanto isso, um cientista maluco tenta obter o poder da criação e eis a premissa para a história de Frankstein reconstruída em XF.



Comentários:

[Josi] As pessoas se perguntam o porquê de AX ter se tornado um ícone dos anos 90 e ainda levantar esse mundo de fãs depois de tantos anos de seu término. O que eu acho: é um programa rico. Tem de um tudo, não só visualmente como emocionalmente. Todo o tipo de pessoas e situações. E também há algo ótimo e que eu pessoalmente adoro: eles não abusam dos clichês, começando pelos protagonistas. Cada personagem é único e incomparável.

Outra coisa muito interessante é como os episódios de AX não são como os de outras séries. Normalmente, numa série, eles seguem um padrão. O clima é sempre o mesmo, os cenários parecidos e tal. Você já sabe mais ou menos o que esperar...

Em AX... não! Quem esperaria um episódio cômico como A Fraude em plena segunda temporada? E foi um sucesso.

Agora, eles vão e passam um episódio em preto e branco... como numa revistinha em quadrinhos antiga! E o que acontece? Um episódio muito bonito.

E eu acho que isso tudo é culpa de M&S. Eles são tão verídicos que em qualquer situação que os roteiristas os colocarem, eles vão agir como o que são.... pessoas normais (ou não) reagindo a uma situação diferente, mas continuando a ser eles mesmos...

*viajando aqui* rs

Antes de qualquer coisa, apesar de ter sido tudo colocado de forma bem poética, o Mutato e o pai estavam violentando aquelas mulheres. Sim, ele teve uma vida solitária e tudo o mais, mas isso não dá a ele o direito de tirar a escolha delas e usá-las como parte de um experimento. Não sei exatamente como eles as engravidava... Mas... ele positivamente as drogava e assim as inseminava contra a vontade delas. Eu também não sei até onde ele tinha consciência do que estava fazendo vivendo tão longe da sociedade como eles viviam, mas eles definitivamente não estavam considerando os sentimentos alheios para fazer algo para eles mesmo. Mas você desenvolve uma compaixão grande pelo Mutato por... bom... todo o resto. O fato do rosto dele ser tão deformado numa sociedade como a nossa que valoriza tanto os aspectos físicos das pessoas e a forma como ele era tão completamente solitário justamente por isso... sim, é muito triste. E mais triste ainda é ele recorrer a essas experiências como um último recurso para não ficar para sempre solitário e sem esperanças...

Ok, vamos ao episódio em si.

Enfim, apesar de todas as minhas considerações anteriores, não pode ser negado que o Mutato fazia de sua violência algo extremamente artístico. O ar esfumaçado, Cher como trilha sonora... Tal qual, Ed de Small Potatoes, se ele mesmo (e as pessoas) esquecessem de sua aparência física, ele não precisaria recorrer a isso para ter uma namorada/amigo. rs

Scully, você acha que está na hora de eu ter meu telefone num catálogo?






Ok, mas... O telefone de Mulder estava na tv relacionado ao bebê lobo. Mulder foi lá ver a mulher. Lidem com essa realidade. Agora me digam se vocês iam ter isso todos os dias... cada história mais sem noção que a outra... e teriam mais paciência do que a Scully. Gente, nós só vemos na série a ponta do iceberg... a pobre da Scully tinha que filtrar muito os casos deles. kkkkkkk

Hummm... a pobre da mulher tinha feito até mesmo uma ligadura de trompas para não engravidar de novo. O que é compreensível com aquele filho maluquete que ela teve contra a vontade não dá pra pensar em ter mais. rs

Mulder: "Eu nem sei se ainda acredito nessas coisas" (sobre alienígenas) - Tadinho...

Fosse eu a Scully, eu esperaria pra saber se o experimento daria certo antes de começar a falar desenfreadamente. Ela devia saber melhor do que isso. rs

Se eu entendi bem, Jerry Springer Show é o nosso Caso de Família, não é? Errr...

Adooooooro como Mulder fica irado com o que o Dr fez com uma simples mosca.

Mulder: "Por que você fez isso?"
Dr: "Porque eu posso."

Ugh. Esse cara é um imbecil!

E, Mulder... entendendo como algo é feito, você pode consertá-lo quando algo sai errado. Por isso é legal desvendar os mistérios da genética. Pena que os humanos são sim uns idiotas que pensam que só porque podem, eles devem fazer.

Mulder: "Imagine você ter o poder de criar uma pessoa a sua imagem?"
Scully: "O ser humano já tem esse poder, Mulder. Se chama procriação..."

Mas o Mutato dançando pela casa ao som de Cher é muito adorável. kkkkkk Quem nunca, não é?

Gente... eles entraram na casa cheia de fumaça sem nenhuma proteção. Isso foi muuuuito idiota.

Adoro quando ele levanta e fica caindo. rs

"Este não é um bom lugar pra se queimar um cara..."







Daí quando Mulder já tá entregando os pontos e achando que realmente não tem "monstro"... lá vem Scully com evidências de que não é bem assim.

Então segue a muito triste cena do Mutato encontrando o pai morto e o enterrando. Mas gente... pensem... o pai era a única coisa que ele tinha. :(

Eu admito que eu sou chata... mas... ENTRAR EM UM CELEIRO COM UM MONTE DE TOCHAS ACESAS????? SÉRIO???

O grande Mutato! Adoro a forma como eles dois o protegem...







Scully: "Você acha que ele entende?"
Mulder: "Eu espero que não."

:((((((((((((((((

Carinha: "O celeiro está em chamas!!!" - OH SURPRESA! COOOOOOMO ISSO ACONTECEU??? :P
Adooooooro como Mulder fica extremamente irritado e com aquela expressão perigosa quando o cientista fala contra o Mutato.

Ai, meu deus... então, segundo as palavras do Mutato... eles usavam as mulheres apenas como barrigas de aluguel. E as pessoas geradas, que apesar de saírem com características dos animais da fazenda, não eram consideradas nada nem perto de satisfatório porque o que eles queriam era que o "erro" se repetisse e elas fossem tais quais o próprio Mutato.

Oooooooook. Eu também tenho pena e tal... mas... errr... isso é tãaaao errado. E se as pessoas criadas, mesmo sendo como o Mutato, não exatamente gostassem dele ou vice versa. Pode acontecer, gente!

"Mas quem é o pai?" - Err... eu acho que nem você é a mãe biológica, fia. Melhor deixar esse assunto de pai quieto. rs

"O que nós fizemos foi errado" - Ao menos ele reconhece, né? ah, gente, tadinho... ele falando como ele aprendeu sobre música e cinema e literatura... sobre o mundo fora dos confins da fazenda dentro da casa dessas pessoas... é muito tocante. Sim... eles erraram... mas não são monstros.

Então, eles o iam prender realmente (e não deixam claro se o fizeram depois. Provavelmente sim), mas Mulder acha que eles devem dar um final mais feliz para o Mutato. E ele teve mesmo um baita final feliz na história. Além de conhecer sua cantora mais do que favorita, os dois últimos experimentos do pai dele se mostraram um sucesso. E... a cidade finalmente teve sua cota dentro do Jerry Springer Show. rs

E.............. a dança de Scully e Mulder... a forma como ele a chama pra dançar... super sexy e confidente... Scully tomando a mão dele sem hesitar toda feliz... os segundos que eles passam olhando profundamente nos olhos um do outro................. ai ai....

Eu ficaria com uma cara mais batida que a da Scully numa hora dessas...

*suspiro*

Bom, houve uma época em que eu achava que isso não poderia ser montagem... mas já vi tantas montagens melhores que... bom... pode ser. kkkkkk Aliás... é provável que seja. De qualquer forma, né, DD tinham mencionado anos e anos de beijos, não foi? Então, talvez esse é um dos que a gente não viu... rs




Talvez haja esperança. [/Josi]

[Fagner] A cena da dança era maior né? Percebam que no "episódio especial" (o tão comentado que mostra os bastidores) termina com a dança deles e Mulder "roda" Scully e depois dança com ela! Confiram!

Esse episódio é sem dúvida um dos mais bacanas!!! É engraçado e dramático, principalmente na última sequência em que eles estão indo embora ao som de "Walking to the Memphis" todos os carros na estrada nublada, Mutato batendo o pé no carro com Scully e Mulder, a felicidade do fã com seu ídolo, a aceitação do monstro e a dança final!!! Uma fábula bizarra.... Hehehe! [/Fagner]

[Ariana] Amo muito este episódio!!! É um dos mais queridos de toda a série, amo o fato dele ter sido feito em preto e branco (não por acaso, tenho paixão por filmes antigos). É impossível não se encantar com o Mutato e não querer protegê-lo, é um dos personagens que eu mais gostei. Este é um dos melhores finais de episódio, afinal, como disse Mulder, aquele não era o final que o Mutato merecia, ser preso e tal. Adoro a cena em que eles o levam de carro para o show e ele ali, batendo o pé, no ritmo da música. Em relação à dancinha entre Mulder e Scully nem preciso comentar... Mas também acho uma pena terem cortado parte da cena e sequer terem colocado nos extras. 

Aliás, este episódio me lembra aquele filme O Homem Elefante. Não sei se vocês já viram, mas é emocionante. Conta a história real de um homem da Inglaterra vitoriana que era portador do caso mais grave de neurofibromatose múltipla registrado, tendo 90% do seu corpo deformado. Esta situação fez com que ele passasse toda a sua existência se exibindo em circos como um monstro. Era considerado um débil mental pela sua dificuldade de falar, até que um médico o descobriu e o levou para um hospital. Lá ele se liberou emocionalmente e intelectualmente, além de se mostrar uma pessoa sensível ao extremo, que conseguiu recuperar sua dignidade. A direção é do David Lynch.

Quem não viu, vale a pena, é muito lindo! Quem gostou do Mutato, com ceteza irá gostar do homem elefante. [/Ariana]

[Rafaelly] Eu vi Prometeu pós moderno. E devo dizer que dessa vez o legal foi ver o entusiasmo de CC falando desse episódio (vi pelo Essential)... Tão fofo!!!

Bem...esse episódio é magnífico...sempre volto mil vezes aquele final...Adoro quando o traveco da Cher(será que era a Katy???) tira o Mutato pra dançar...ele faz um jeitinho tão fofo...E lógico adoro Mulder tirando Scully pra dançar e a cara dela surpresa por ele ter feito isso...sei q já comentei isso, mas parece a menina que é tirada pra dançar pelo menino mais bonito da sala...fica toda boba!

E também aaaaaaammmmoooo a parte em que Scully lê a carta da Sra. Berkowitch (ou algo assim...)...as expressões que ela faz enquanto lê são ótimas! E também Mulder perguntando se deve arranjar um tel... hauhauahauhauahahaua

Mas o episódio em si é muito lindo. O discurso do Mutato pro pessoal que quer linchar ele sempre me emociona... O Mutato é fofo! Fatão! E pensar que depois ele vira aquela lombriga chata do Spender...hunf... [/Rafaelly]

[Starbuck] Muitos episódios de XF me surpreenderam... Mas nada.. nada se comparou a Prometeu Pós-Moderno. Fiquei, literalmente, de queixo caído. Pensei: como... como o CC consegue me surpreender dessa forma? A fotografia do episódio é belíssima... nem consigo dizer qual cena é a mais linda, tenho a minha cena preferida, mas deixarei para o final. Enfim, com PPM eu compreendi, finalmente, que o CC não era apenas um bom escritor, era um ótimo diretor, o cara soube criar uma poesia visual. Pois, PPM - para mim - é pura poesia. 

Eu lembro da época... nossa... coloquei meus amigos todos no quarto (sem pensamentos pervs... por favor) e falei: vocês vão assistir a uma obra-prima he he he... Eu era ... bom... meio Mulder na época .... Enfim... mas, todos eles amaram também.

Colocarei uma parte de Gênesis para iniciar minhas divagações sobre o episódio:

"Então Deus disse: "Façamos o homem à nossa imagem e semelhança. Que ele reine sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos e sobre toda a terra, e sobre todos os répteis que se arrastem sobre a terra."
E Deus criou o homem à sua imagem; criou-o à imagem de Deus, criou o homem e a mulher." (Gênesis, 1)

E eis que estava estabelecida a grande questão universal. Fomos criados. Podemos criar? Segundo a Scully, sim... e isso se chama PROCRIAÇÃO. Mas, o cientista do episódio, como o Dr. Frankstein, deseja criar de forma mais, digamos assim, independente. É como se ele reinventasse o processo de criação. Para quê??? Vá saber... somos 6 bilhões (ohhh..lembrei do Mulder em Loucura Coletiva, mas na época éramos 5 bilhões e ele só confiava na ruiva... ai ai).. e quem precisa aumentar esse número?? afff.. é cada uma viu.

Mas.... tudo isso porque algo nasceu de maneira estranha, mas... apesar de tanta deformidade, esse algo é a criatura mais doce do episódio, o monstro na verdade é o cientista das moscas, o cara que vive num parque de diversão particular e que nem percebe que a mulher está definhando ao seu lado. 

As cenas que amo:

Todas.

Mas... as que mais amo são:

- a cara de "me mata agora" da Scully lá no laboratório do "cientista"

- Mulder e Scully na cozinha da mulher depois de terem sido drogados lá no quarto.

- A cena que mostra as pessoas da cidade e os animais.... nossa isso ficou muito bom. A mulher-galinha (ok..isso ficou estranho) é a melhor de todas.

- o grande mutato... claro... uma das criaturas mais doces que já apareceu em XF.

- E os três sorrindo... enquanto a Cher-Fake canta... nunca tinha visto a scully sorrir desta forma em XF...

- a cena preferida do David (e de muita gente)

- e a imagem que sempre vou guardar de XF... Mulder e Scully.. e um monstro (que não é monstro) entre eles... Sempre haverá um monstro entre eles e... por isso... que XF é especial...para mim.




Vi no dvd dos bastidores da nona temporada pessoas famosas falando porque gostam e suas cenas preferidas em XF... Daí tem um produtor e/ou diretor (nem lembro o nome) que diz que a cena preferida dele, de todas de XF, é aquela que Mulder estende a mão convidando a Scully para dançar em Prometeu Pós Moderno... E ele acrescenta que aquilo só tinha tanto significado porque Mulder e Scully não faziam essas coisas com frequência, a beleza estava na própria raridade do acontecimento e isso ele não viu em série alguma.

Digo o mesmo.

Relação com o filme XF2:
Acho que mostra que arquivo X não se encaixa em um único gênero. A série foi maior que a ideia da ficção científica, mas também não é um drama eterno, tem comédia, tem romance e muita poesia.
Acho que o Grande Mutato é a nossa esperança de que os monstros que residem em nós não sejam tão cruéis como às vezes tememos. É um momento de paz no mundo de Mulder e Scully, ainda que uma paz advinda de um passeio com um monstro...

"Eu não quero mais caçar monstros no escuro, Mulder" by Scully em XF2..

Será? [/Starbuck]

Quotes:

Mutato: 25 anos atrás, meu pai tendo apenas um filho - um cientista ignóbil, odioso e insensível - descobriu que esse filho fazia experiências secretas, das quais eu fui o infeliz resultado. Um homem simples, meu pai me acolheu e me amou apesar das minhas deformidades. Mas com o passar do tempo, eu sentia falta de amigos. Porque não podia ir à escola ou praticar esportes, ou mesmo mostrar minha cara fora da fazenda, meu pai decidiu aprender a ciência de seu filho, assim antes de morrer ele criaria uma companheira para mim. Apesar de ser um homem simples, ele amava o solo que arava, os animais que criava. Suas experiências também progrediram. A ciência era porém muito complexa para sua compreensão. E os resultados de suas experiências foram insatisfatórios.

Shaineh: Eu ainda... Quer dizer lzzy...? Mas quem é o pai?
Mutato: Basta dizer que suas experiências falharam. Meu pai está morto. E eu estou sozinho e triste. Mas alguém deformada como eu se entregaria a mim. Se este ser pode ser criado, então assumirei a culpa de assassino.
Pollidori: Não sei como recriá-lo. Você foi um engano.

Mutato: O que fizemos estava errado. Mas em nossos pecados, nós lhe demos um filho amado. E em seus lares viajei a lugares que nunca sonhei. Com seus livros, discos e televisores eu aprendi sobre o mundo, e do amor de mãe que jamais conhecerei. A Cher amava tanto aquele rapaz.
Izzy: Ei! Ele não é nenhum monstro.




Outras Imagens de The Post Modern Prometheus:

A única imagem colorida do episódio

Izzy e o... bom... e o pai. rs

Por mim, poderia ter um filme com Mulder e Scully apenas sentados
(ou passeando como em Before Sunrise/Sunset/Midnight)
conversando que eu o acharia perfeito.
Ah, gente... as conversas deles são perfeitas!
Eles realmente não foram com a cara daquele cientista.

Mas não parece que a mosca tá fazendo "cadê o bebê??". :P

Primeiro: ooownnn.... Segundo: Gente, mas se ninguém sabia
do Mutato, quem tirava as fotos? E nem vamos entrar no problema
de que o cara devia ter um estúdio em casa para revelar as fotos
se queria manter o segredo. rs

Belos sorrisos! :)

As felizes mamães

Final perfeito.

12 comentários:

Priscila disse...

Que saudades de AX e deste episódio, que é um dos mais lindos de toda a série! Preciso voltar a assistir sem falta... Amo este monstro que tinha muito mais inteligência, sentimentos e humanidade do que muitos que se diziam humanos... amo o clima do episódio em P&B... e a dança no final, acho que é a minha segunda cena favorita (só perde pro final de "Existência"). Obrigada por trazerem boas coisas com esta leitura no meu final de dia :)

mada disse...

eu também amo muito esse episodio,já assisti umas 10 vezes,e a cena da dança então é tão linda,tão poetica,tão shipper,amo,amo,amo

Anônimo disse...

Obrigadaaaa

danimm13 disse...

O post esta incrível. Parabéns! Me identifiquei muito com o que você colocou na legenda da foto, por mim podia ter um filme inteiro só com Mulder e Scully conversando que eu ia amar. È simplesmente perfeito! O episódio todo é uma verdadeira poesia. Por isso que o arquivo x é atemporal, ele é mais que um seriado, ele é complexo, é tenso, é suave, é romântico sem ser piegas, é fora do convencional. O que é Mulder tirando Scully para dançar? E aquele olho no olho que diz tanto, que diz tudo. É a coisa mais linda! Uma cena de segundos que faz todo sentindo pra gente que acompanha a trajetória desse casal incrível. Eles tem muita química, eles falam com os olhos, o sorriso. Gosto muitos dessa coisa do arquivo x que faz agente sempre pensar sobre diversos assuntos, tirando a cabeça da gente daquela zona de conforto.É maravilhoso!!!

Sheila disse...

Também amo muito esse episodio e acho que só faltou comentar que o Mutato foi interpretado pelo Chris Owens! Que tbm fez o Jeffrey Spender e o smoking man novo. Versátil o rapaz! Rs

Nice disse...

Amo tanto esse episódio, o final é maravilhoso, só faltou o beijo, será que nunca vamos ver um AX-3, morro de saudades dos dois.............

Josilene disse...

Olá, pessoas!

"Gosto muitos dessa coisa do arquivo x que faz agente sempre pensar sobre diversos assuntos, tirando a cabeça da gente daquela zona de conforto." [2]

"Obrigadaaaa" - *abraços* Ah, gente... eu sinto tanto não poder postar algo toda semana como antigamente... realmente não dá. Mas o entusiasmo de vcs pelos posts me deixa muito feliz.

Obrigada a vcs que vem aqui ler nossos comentários sobre essa série maravilhosa e ainda param pra comentar tb.

Beijos! (Já estou trabalhando no próximo post. ;))

Elizabeth disse...

Uma graça essa homenagem que o CC fez ao romance Frankestein! A fotografia em P&B é animal, inspirada em um antigo filme sobre o livro, segundo o próprio CC. Tudo nesse ep é fantástico, com roteiro que questiona o que é ser um monstro, todas as referências ao livro da Mary Shelley, ao filme em que a Cher faz a mãe de um garoto com deformidades ósseas (esse filme batia ponto na Sessão da Tarde antigamente, qual é o nome dele mesmo?), a trilha sonora homenageando a Cher (como pode ela não ter topado participar, que tapada!!!)e claro, M&S lindos de morrer. A cena da dupla dançando coladinhos dispensa comentários. Fico pensando se a série teria ficado melhor ou pior com mais cenas como essa, de intimidade entre M&S, são tão lindas... (quem sofre é meu controle remoto, pois eu fico voltando e voltando toda vez que as vejo rs). Como vc bem disse, Josi, AX é fora de série porque conseguia sair do mesmo com roteiros e situações surpreendentes, que saudades tenho de ser surpreendida com essa série qdo ela ainda exibia eps inéditos na Record... Parabéns pelo post, belo e divertido como sempre!

PS: Antes de vir aqui, fui rever o ep e achei que ele lembra muito os eps do Darin Morgan, especialmente Humbug, pelo estilo. CC certamente não ignorou o sucesso que os eps daquele roteirista fizeram e tb ousou (e arrasou) em PPM, já que mitológicos eram sua especialidade (e nesse caso, o cara era o melhor).

Josilene disse...

Sabe, eu sou muito fã da forma como CC conduziu Mulder e Scully ao longo da série, mas acho que ele exagerou na sétima... ele poderia ter usado pelo menos a segunda metade da temporada para dar uma explorada neles dentro do FBI como um casal. Não digo abrindo o romance para o bureaux pois isso seria impossível de manter com eles ainda como parceiros, mas ele poderia ter mostrado esse perrengue deles pra gente... seria bom demais!

Julia Aline disse...

Sou apaixonada por esse episodio, e perfeito tem todos os elementos para ser um episodio epico, amo demais, cara a cena que a Scully, o Mulder e o monstro estao rindo é sensacional, mais a cena perfeita e eles dançando, e muito linda!

Fernanda Nakamura disse...

Um dos meus episódios preferidos...
A cena deles dançando no final é uma das mais lindas ever!!!!

Ruth Aparecida disse...

A dança no final <3