quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

05x12 - Bad Blood (Vampiros)

Direção: Cliff Bole
Roteiro: Vince Gilligan

Resumo: Mulder mata um adolescente que ele acredita ser um vampiro quando Scully descobre que o garoto na verdade usava dentes postiços. De volta a Washington, os dois agentes terão que explicar o incidente para Skinner. Só que a história não termina por aí...



Comentários:


[Josi]
Este episódio vai ser para sempre lembrado, pelo menos pra mim e para muitos daqui, pela brincadeirinha de David Duchovny com a Gillian Anderson na WonderCon de 2008. Segundo ele, este é o episódio mais comentado por ela, ela falava dele o tempo todo: "Ah, isso me lembra BB", "Sabe aquilo de BB?"... E era o tempo todo "BAD BLOOD BAD BLOOD BAD BLOOD BAD BLOOD". A cena foi realmente muuito fofa. E isso meio que se repetiu esse ano no Paley Fest em Nova York quando Gillian escolheu cenas de Bad Blood entre suas favoritas. Para uma pessoa tão desmemoriada para fatos de Arquivo X como ela, foi tocante vê-la não apenas descrevendo o episódio como corrigindo certas coisas.



Bad Blood ficou marcado pela dinâmica inusitada de Mulder e Scully. Geralmente muito sérios, os dois agentes desta vez se mostram bem camaradas. E, apesar da situação crítica, já que os dois seriam teoricamente co-réus num processo de 446 Milhões de dólares, quando Mulder sugere que Scully deve contar pra ele como ela teria visto os fatos, ela resolve fazer isso de um jeito muito peculiar, ressaltando de um jeito todo especial as características mais... humm... exuberantes... de seu parceiro. Depois dessa, sendo Mulder como é, ele não poderia deixar por menos. Ele, então, transforma sua parceira "cética, mas adorável" em uma criatura muito chata. É engraçado como cada um mostra a si mesmo como profissional e inteligente (Scully com seu discurso médico e Mulder com seu discurso sobre o sobrenatural), além de muito generosos e injustiçados pelo outro...

David Duchovny estava incrível, mostrando que realmente a veia cômica dele é sua melhor parte como ator... E Gillian estava maravilhosa como sempre.

Cenas marcantes? humm... Todas! Mas vou ressaltar as que mais gosto (ou seja, todas):

No teaser, no finalzinho, caso alguém não tenha percebido, Mulder fala "ouxe"... Morram de inveja! Ele é nordestino!






Mas o melhor mesmo é o misto de terror e surpresa na expressão da Scully quando ela percebe o que Mulder fez...

Mulder mais que lindo 1.
"Não comece..."
Scully toda empolgada contando como era uma ruiva fatal sendo paquerada pelo super sexy xerife local... até que... "Dana? Ele nem sabia o seu nome!"
A pobre fica morta! "Você vai ficar me interrompendo?"
Mulder mais que lindo 2. 
"Continue... Dana!"
"Humm... Erótica..." A expressão de Mulder na hora é ótima! E ela deixa Mulder bem de lado mesmo enquanto ela impressiona o xerife. Oh scully...
"Humm... Pizza!" Eca! (Confissão: quando eu estava reassistindo o episódio essa semana, eu pausei nessa hora e fui jantar. Culpa da Scully, ok?)
Certo! Apesar de Mulder na cama da Scully ser uma imagem muito... humm... boa de se ver, na hora dá vontade de esganar o cara... (claro que eu acredito que ela tenha exagerado, mas abafa...)
Ela fazendo a conexão: "Pizza... cloridrato na pizza... menino da pizza... Mulder!"
Ela chegando como uma policial da pesada e salvando o mocinho.
"Quem é o cara que faz sucesso com todas as gatinhas? Shaft!..." Ok... Ele pediu por isso...
"Você está com medo de parecer uma idiota? Como eu?"
Essa cena e aquela em que Mulder destrói o lixeiro mostra bem como eles são confortáveis um com o outro. Scully sequer pisca quando ele do nada surta ou quando ele invade seu espaço pessoal com seus quase 20 cm a mais de altura...
Mulder se fingindo de humilde, mesmo porque todos sabemos que não há nenhuma minúscula célula de Mulder que tenha o mais remoto sentimento de timidez.
Por isso que eu me irrito tanto com aquela cena de Fight the Future, quando Mulder fala meio que forçadamente que aqueles fatos podem estar ligados à aliens. Gente... Mulder não tem vergonha nem receios de falar sobre alienígenas com a Scully. Em nenhum cenário. Na cabeça de Mulder, sempre é um bom momento para ALIENS ALIENS!
Mulder mais que lindo 3 (e levemente ciumento... ).
"Só estou querendo ser detalhista..."
Mulder mais que lindo 4.
Mulder: "Pula esta parte."
Scully: "Pular por quê? Mulder..."
Mulder: "Certo. Há uma coisa que talvez você não saiba... atirar em um veículo desgovernado não é tão fácil quanto parece..."
Notem que Scully já tinha descrito como tinha atirado nos pneus do carro de Rony antes...

Mulder, fazendo a carinha do gato de botas de Shrek...
... E a Scully nem um pouco comovida.
"Ah, Scully!!!"
Cara! Eu amo essa parte! Mulder é muito bobo! E, claro, que isso ficou só pra gente, né? Porque eu tenho certeza que ele não contou pra Scully!
E quando acaba o treme-treme, ele para e vai pôr mais!
A cena fica mais interessante quando você lembra o quanto que o cara é mão-de-vaca!


Scully: "Então, eu acertei nele duas vezes e ele saltou sobre mim como um esquilo voador?"
Mulder: "Bom, eu não usarei a expressão "esquilo voador" quando falar com o Skinner, mas foi isso o que aconteceu..."

Scully: "Diga que você estava drogado..."
Mulder: "Quer parar?"
Scully: "Não custa nada!"
Mulder: "Quer parar??"
*Skinner aparece*
Mulder: "Eu estava drogado!"


Ah, gosto quando ele repete "I noticed that" "I noticed that too"... Só pela beleza da linha mesmo. rs

O índio do pica-pau... (Descobri que esse tipo de estátua é bem comum em algumas partes dos EUA... se séries e filmes são confiáveis para se atestar o que é comum por aí rs)





Vejam como o Xerife era um perfeito cavalheiro... Tá que ele deu um boa noite cinderela na Scully para salvar todo o seu povo, mas ele fez questão de deixá-la com o seu casaco para que ela não pegasse uma hipotermia. Fora que a caneca em forma de bota é um charme.

Skinner estava totalmente por fora...
"E... eu estava drogada!" - Oh, Scully...
"Bom... aconteceu mais ou menos assim... na essência... exceto pela parte dos dentes!"






Eu realmente comentei todas as cenas? Quase!... Mas é irresistível comentar sobre esse episódio, o qual é um orgia de boa caracterização. Os escritores, diretores e atores estavam tão absolutamente confortáveis com os personagens que podiam se permitir um episódio assim onde eles brincam e contorcem as personalidades de cada um sem a menor hesitação. E isso é absolutamente delicioso de se ver... [/Josi]



[Nay] - achei interessante descobrir que não apenas Rony era Vampiro, mas TODAS as pessoas da cidade!
- saber que vampiros têm transtorno obsessivo compulsivo! rs eles PRECISAM amarrar cadarços e catar coisas... precisam ordenar. Fantástico!
- ver Scully desfiando seu rosário de patologias para o xerife é impagável!
- ver Mulder perguntando o porquê de tantos caixões e salientando que esta era uma pergunta fundamental!
- Mulder verificando o pescoço de Scully no final...
- Sim! Ela ajeitando a gravata dele foi fofo!
- Mulder tentando comer o pedaço de pizza que tremia por causa dos "magic fingers"! [Nay]


[Starbuck] Cenas preferidas:
- Mulder assassinando o lixeiro...
- Scully piscando o olho ao dizer que ia falar o que ela viu... (mesmo diante de um Mulder desesperado)
- As autópsias...
- Mulder com cara de cachorro que caiu da mudança na versão dele quando ele chega no quarto do hotel e a Scully começa a gritar com ele sem nem perguntar antes porque ele está todo detonado..
- A scully arrumando a gravata do Mulder e ele a afastando...
e..
- "I was drugged" (dito pelos dois)... [/Starbuck]

"Você realmente sabe o seu trabalho, Dana"
"Dana?"

Gillian: "Um de meus episódios favoritos é Bad Blood. Eu falo sobre isso o tempo inteiro, eu não sei bem por que. Deve ser porque é o único que eu lembro. Mas... eu amo...
David: "Ela ama Bad Blood. É tipo... todo dia é 'bad blood bad blood bad blood bad blood', 'lembra aquela de bad blood?' 'ah sim... eu lembro'.... Mas sim... por que?"
Gillian: "Eu acho que nós estávamos em uma época boa, acho que o roteiro era ótimo e nós estávamos muito confortáveis ​​e foi como, você sabe... a premissa era de que... cada um desse idéias sobre o que tinha acontecido, e por isso que eu ... Eu não sei, meu cérebro está morto. Mas nós dois tinha que interpretar a percepção da outra pessoa de nós, então eu estava incrivelmente chata e má, e David estava só blablablabla... Foi muito divertido!" (tradução bem solta rs) [Gillian Anderson feat David Duchovny]


"Ele tinha dentes grandes?"
"Levemente saltados..."
"Não tinha não! Por que isso é relevante?"
"Só estou querendo ser detalhista..."

[Karine] A história sobre a criação desse episódio começa da seguinte forma: ele seria gravado depois das festas de fim de ano, sendo assim Vince Gilligan deveria estar com esse episódio pronto depois do recesso, mas ele não tinha nada em mente até que pediu ajuda ao Frank Spotnitz e este se lembrou de um episódio do programa Dick Van Dyke Show onde Rob e Laura Petrie (por que esse nome soa tão familiar héin?) onde eles têm uma briga e então contam a cada um dos vizinhos sua versão dos fatos. Assim temos um dos episódios mais cômicos de toda a série.

Eu amoooooo Bad Blood! Ele é tão engraçado e inteligente. É super legal ver a forma como Mulder e Scully veem um ao outro na sua versão dos fatos. Scully vê o Mulder todo alienado, inventando mil teorias sobre tudo e se aproveitando da bondade dela. Mulder vê a Scully toda cética e arrogante, menos quando se trata do xerife Hartwell, poxa Scully, o que você viu nesse cara? Vamos comparar:


Nem preciso dizer nada né? E Mulder ao invés de fazer de tudo para separar ela do xerife, joga ela de bandeja pra ele: “Nunca diga que eu não fiz nada por você.”


Quem resiste a essas carinhas?








E quando a Scully se empolga e fala que o delegado a chamou de Dana e o Mulder super zoeiro (e com ciúmes é claro) fala: “Dana , ele nem sabia seu primeiro nome.” E a Scully toda roxa fala: “Você deixar eu continuar ou não?” Aí ele: “Continue, Dana.” Hahahahahahahahahahahaha eu choro de tanto rir.

Uma das minhas partes prediletas nesse episódio é quando o Mulder pede pra Scully ir fazer outra autopsia e ela fala: “Como assim você quer que eu faça outra autopsia? E por que eu tenho que fazer bem agora? Acabo de passar horas de pé fazendo uma autopsia, tudo por sua causa! Eu faço tudo por você Mulder! Você sabia que eu não como desde às 6 da manhã e que tudo  que comi foi a metade de um pãozinho com queijo cremoso. E nem era queijo cremoso de verdade. Agora você quer que eu saia correndo e faça outra autopsia?” E no fim ela vai, afinal não dá pra resistir a carinha do querido.

Mulder reclama com a Scully quando ela o manda enfatizar ao Skinner que estava drogado, mas quando o Skinner chega a primeira coisa que ele faz é falar: “Eu estava drogado.”

E no fim do episódio, os vampiros desaparecem e Mulder e Scully acabam concordando com a versão dos fatos um do outro alegando que estavam drogados.

Enfim, Bad Blood é um dos meus episódios prediletos e só mesmo vendo pra entender porque esse episódio é o favorito da Gillian, afinal ele é impagável e com certeza um dos melhores episódios de toda a série. [/Karine]


[Cleide] Desde o episódio “A Fraude” na segunda temporada, que os episódios cômicos se tornaram “a cereja do bolo” de Arquivo X. Neste aspecto, podemos dizer que Bad Blood é a obra prima dos episódios cômicos de Arquivo X. Assisti semana passada, imaginem, dezembro de 2013 e mesmo conhecendo as cenas, dei boas gargalhadas, David e Gillian sabem ser muito engraçados, têm um timing e um talento de humoristas, nestas horas nós vemos o quanto estavam à vontade e se divertiam com os personagens.

Como sempre durante a série, uma temática clássica como vampirismo, reincidente na série, é repaginada e revisitada de uma maneira vigorosa e ousada. O episódio não segue uma lógica linear, o que o torna único e favorito de vários fãs, e de Gillian Anderson. A construção da história é interessantíssima, partindo de um incidente problemático, que fugiu do controle dos protagonistas, e remontando a história a partir dele.

A cena inicial nos leva a acompanhar uma caçada frenética pela floresta, dois homens no escuro, correndo, um pede socorro desesperadamente e o outro apenas dá urros estranhos – tenho que fazer uma pausa aqui, das primeiras vezes que assisti Bad Blood, não tinha reparado que Mulder estava tão drogado que grunhia feito um animal... assistindo com este olhar, me diverti muito com as maluquices que David como ninguém sabe acrescentar ao personagem. De repente o homem perseguido é capturado, e uma estaca é enfiada em seu peito sem a menor hesitação... e vemos que quem matou o “vampiro” era nada mais, nada menos que Fox Mulder, um homem que sabemos impulsivo, mas nem tanto... entra em cena em seguida, Scully, assustada, confusa, que como sempre, vai diretamente examinar os dentes do vampiro, e lhe tira a dentadura... e os créditos entram após um close do desesperado agente que percebeu a mer.... que fez!

Aí entra o toque inovador do episódio: os protagonistas sendo ameaçados de processo pela família do morto, que solicitam ao governo mais de 400 milhões de dólares, temendo ser co-réus e presos, entram em discussão (Mulder novamente hilário dá um chilique com a lata de lixo do escritório – adoro!), pois não viram a história pela mesma ótica e não tiraram as mesmas conclusões. Então têm a brilhante ideia de confrontar as versões, e aí, o episódio se divide em duas linhas do tempo, o que está acontecendo naquele momento, e os flashbacks das versões de Mulder e Scully.

As versões de cada um são hilárias! Exageram as características que eles mesmos têm e na maneira que vêem o outro, sendo que na própria versão, quem está contando é vítima da personalidade do outro. A versão de Scully exagera o tanto que Mulder é abusado com ela, o quanto ele a sobrecarrega... e a faz trabalhar como se fosse empregada dele às vezes. Mas é uma visão extremista... uma das cenas mais engraçadas de toda a série,  eu não agüento segurar o riso nenhuma vez, é a que ele se deita na cama de Scully todo sujo de barro e tem uma crise de riso bobo... mesmo que eu tente, não consigo não cair na risada ao ver aquilo! Percebam que na versão dele, ele toma banho todo bonitinho e só depois se deita na cama para comer pizza...   

O interessante, é que Scully tem uma visão muito realista de si mesma: um pouco incrédula, as vezes impaciente, ela só exagera o interesse do detetive por ela, e a fala sensual dela pra ele, que possivelmente não rolou... ela não é assim tão solta! Adoro o Mulder com ciúmes... mas ao mesmo tempo, um ciúmes de brincadeira, porque parece que sabia que não rolaria nada (tanto que deixa ela sozinha com o detetive - e diz "pra você não dizer que eu nunca fiz nada por você), e por alguns momentos também, eu fico viajando, se Scully não exagerou o interesse no xerife pra despertar ciúmes no parceiro, parece bem coisa de amor platônico ... e no final das contas não tinha reais intenções de ter algo com o detetive, reparem que ela até se surpreende quando Mulder os deixam sozinhos...

Outras cenas sensacionais: As autópsias... Especialmente a segunda em que Scully está cansada e sai jogando as vísceras na balança. A cena em que Mulder joga as sementes de girassol no vampiro, por que todas as espécies destas criaturas são obsessivas compulsivas, Mulder pulando no veículo em movimento, os dois na sala de espera de Skinner, e Scully arrumando a gravata de Mulder, mandando ele dizer que estava drogado...

Ah, e por fim, quem aguenta o Mulder na versão dele mesmo? Vítima, injustiçado... coitadinho, com direito à carinha de gatinho do Shrek... me digam pessoas, quando Mulder foi submisso daquele jeito???? Eu nunca vi!!!!! Para um psicólogo, está muito, muito fraco na auto-análise (ou mais esperto que pensamos, sabendo-se bem como é, mas manipulando a ruiva).

A reviravolta do episódio, voltando para o tempo presente para ter um desfecho na história, é muito legal... após tantas reviravoltas e versões, nós telespectadores ficamos tipo o Skinner no final do episódio, com caras de “Oi, o que foi mesmo que aconteceu?” [/Cleide]


Quotes:

Scully: Mulder...
Mulder: Nem... Nem comece. Eu sei o que vi.
Scully: Skinner quer um relatório em uma hora. O que vai dizer?
Mulder: Como assim? Vou dizer exatamente o que vi. O que você vai dizer?
Scully: Vou dizer exatamente o que vi.

Mulder: E qual a diferença? Olha, Scully, sou eu que talvez acabe na cadeia. Quero saber se vai corroborar comigo.
Scully: Primeiro, se a família de Ronnie Strickland decidir processar o FBI pelos 446 milhões de dólares, então você e eu seremos de fato co-réus. E segundo... acho que nem tem segundo. 446 milhões de dólares. Estou tão enrolada quanto você e nem fui eu quem exagerou. Não fiz... aquilo.

Mulder: Não exagerei. Strickland era um vampiro.
Scully: Cadê a prova?
Mulder: Você é a minha prova! Você estava lá! Agora me assustou. O que vai dizer ao Skinner?
Scully: Quer que as estórias batam.
Mulder: Não, não... eu não disse isso. Só quero saber sua versão.
Scully: Não estou confortável com isso.

Mulder: Cadeia, Scully. O apelido da sua colega de cela será Mariazona. E ela lê Gertrude Stein.
Scully: Certo.
Mulder: Certo, comece pelo começo.
Scully: Bem do começo?

Scully: Ok. Ontem pela manhã, quando eu cheguei ao trabalho, você estava... uh... caracteristicamente exuberante.







Outras Imagens de Bad Blood:

Ele estava mesmo drogado...

Scully, em sua versão dela mesma

Mulder, na versão da Scully

O Xerife na visão da Scully.

"O que devo procurar?"
"Eu... não sei"

É como se eles tivessem ficado muito bêbados juntos na noite
anterior e Scully está acordando com uma ressaca terrível!

Mulder, segundo ele mesmo

Scully, segundo Mulder

O Xerife, ao olhar de Mulder...
Ronnie.

A mão do além ajudando Mulder.

Lindinhos...

Todos nós ficamos assim, Skinman

Fonte dos GIFs: (1)(2)(3)(4)(5)(6)(7)

8 comentários:

Raiane Mytthow disse...

Eu adoro esse episodio eu rio muito,a analise de vcs foi perfeita amei.

Anônimo disse...

Episódio perfeito,comentários idem.Nada como sorri das caricaturas de nossos lindinhos, tem tudo pra que se tornasse inesquecível, até pra GA que diz não lembrar muito ,o que eu não acredito,isso faz parte do charme dela.

Enumerar as fotos de Mulder lindo.Perfeito Josi!

Não sei se é impressão minha,mas parece que a Gillian está menor nesse episódio.

Mulder é nordestino, oxente..rssrsrs

Yanne

nice disse...

Este episódio, é um dos meus favoritos, é engraçado, mas terno tbm, é só ver a Sculy arrumando a gravata do nosso lindo, amo.

danimm13 disse...

Amo esse episódio!!! Posso ver quantas vezes for que não me canso nunca. Eles estão simplesmente lindos. A história é muito bem contada, muito bem amarrada. Maravilhosa!!! O post ficou incrível, falou de todos os detalhes primorosos. Uma das cenas que eu mais gosto é quando Mulder da aquele piti com a lixeira, a cara que a Scully faz é ótima. Quem podia imaginar que uma série que tem como tema principal alienígenas e conspirações governamentais podia ter episódios cômicos que na verdade estão na medida absolutamente certa, em nenhum momento qualquer episódio mais light do Arquivo caiu naquela tipo de comédia ridícula ou mal amarrada. Os episódios estão sempre na medida absolutamente certa.

danimm13

Josilene disse...

Sei não, yanne... acho que ela esquece mesmo. kkkkkk

Obrigada pelos comentários e apoio de vcs, pessoas! Beijos!

Anônimo disse...

Amooo esse episodiooo!! é o que sempre repito ahahah!!

Elaine

Anônimo disse...

E o Mulder tomou banho no quarto da Scully???? rsrsrsrs

XFILES disse...

Não sei se ele realmente tomou banho ou apenas se limpou, maaas... acho que ele não viu o pq de alugar um quarto só pra ele já que scully ia passar a noite fora rs

Josi.