segunda-feira, 17 de agosto de 2009

02x06 - Ascension (A Ascenção)

Roteiro: Paul Brown
Direção: Michael Lange

Resumo: Mulder descobre que Scully foi sequestrada e segue numa busca desesperada para tentar resgatá-la a tempo.



Tema de Duane Barry - Red Right Hand. Podem ouvi-la aqui.

Comentários:

[Josi]
Mulder, ao ouvir os gritos de Scully por socorro, corre para o apartamento dela. Eu só posso imaginar o desespero que ele sente ao chegar lá e encontrar aquele alvoroço todo...


No meio daquilo tudo, chaga a D. Maggie e pergunta "Onde ela está?". Minha filha, você acha que se ele soubesse ainda estaria aí parado?

A mãe da Scully fala, então, que teve um sonho com a filha sendo levada... Vem cá, todas as mulheres da família da Scully são sensitivas? rsrs



Tadinho do Mulder vai para a reunião do FBI e o pessoal não dá a mínima pra ele. Talvez seja porque ele sempre vai direto ao ponto. Ele quase sempre tem uma idéia bem clara do que acontece.

Mulder: "O que importa é como ele chegou até ela". - Mais correto, impossível! O pior é ver o cança lá no fundo sabendo de tudo...

Ei... só uma coisinha... Os guardas em AX sempre dançam, né? aff................... Lembram do carinha de Millenium?




Ah, eu acho muito fofa a forma como Mulder corre para pegar a impressão da imagem da Scully no carro. Acho que depois disso, ele não se separa mais dessa imagem... Seria a última vez que ele veria a Scully por um bom tempo.

Tadinho... tão abatido.






Krycek: "Você dormiu?" - Até parece que ele está interessando! Hunf!
Mulder já não dorme muito normalmente... imagina num perrengue desses? Tadinho...

Ah, gente... Tem alguns detalhes em Arquivo X que eu gosto muito. Um deles é ver Mulder e/ou Scully concentrados no trabalho. Adoro vê-los assim... mostrando porque são tão bons profissionais. Amo quando mostram como ele chegou àquela conclusão surpreendente.

Então, eles chegam ao tal bondinho, Mulder obriga o condutor a deixá-lo subir e o cara fala "Ainda não o testamos com passageiros". Isso me fez pensar em como eles fariam esse teste se não fosse colocando passageiros lá dentro. :/ Aff... Será testado agora, fio... e no extremo, viu?

Daí o cara ainda fala "Quando quiser diminuir...". Mulder não dá a mínima e vai embora... Quem quer diminuir, criatura?




E o sem vergonha do abominável é grosso, viu? Precisava matar o carinha? Inventava algo e pronto. Adoooooooro a cara de susto que ele faz quando Mulder não se abala porque a coisa parou e sobe no teto pra tentar seguir em frente. Mulder está bem longe da palavra "covardia", principalmente quando a vida de uma certa ruiva está em jogo.

Enfim, quando Mulder finalmente alcança o carro de Duane, ele está vazio e só resta uma coisa da Scully: uma correntinha. Objeto que ele sequer sabia que ela usava... uma de muitas surpresas que ele teria com sua parceira. Taí outra característica que não se aplica aos dois: eles não são rasos. E no meio da agonia dele de não encontrar a Scully, ele ouve as risadas do Duane. Gente... dói demais quando você está muito desesperado, ver outra pessoa às gargalhadas.

Notem que quando Mulder leva Duane para o interrogatório, a relação dos dois já muda completamente... a empatia inicial some, mesmo porque Mulder está totalmente apático. Esta cena é muito bem construída... Eles colocam os paramédicos para cuidar do rapaz e logo depois ainda passa um tempo com Mulder olhando pro nada, obviamente tentando se acalmar. E enquanto essa cena passa, a gente quase pode apalpar o medo e a ansiedade de Mulder na hora...

Duane, então, encontra um outro Mulder. Um Mulder que não dá ouvidos a suas histórias de abduções. Tudo o que ele quer é saber de sua parceira e quando ele vê o sangue misturado a alguns fios dos cabelos dela, ele fica surdo, cego e mudo de raiva.

Mulder, enfim, se acalma, afinal, ele não é um assassino... A sequencia dele imaginando como ele está e onde me lembra muito dos sonhos que a Scully tinha quando ele mesmo foi abduzido. Eles sempre estão conectados, não é? Own...

humm.... Esta é a cena daquele blooper onde um tapa a boca, outro os olhos e outro os ouvidos, né? hauhauahau Bobos!




A única ligação dele com a Scully no momento, morre. E ao procurar o X, Mulder (e nós) ouve outra frase clássica de AX: "Eles só têm uma política: Negar tudo".

Depois, quando ele vai entregar o relatório ao Skinner com todas as acusações, ele chega a outra conclusão certeira: "Talvez eles não queriam que ela se envolvesse ainda mais com o meu trabalho".

E, no final, ele volta à montanha e olha para as estrelas parecendo tão sozinho e perdido...




Eu disse a minha irmã: "você está presenciando o acontecimento que fez de AX o que ela é". Imagina nossa série querida sem este drama da Scully? Nada de chip, nada de arco do câncer, nada de Emily, nada de William... [/Josi]

[Cleide] Vi muitas vezes este episódio na época que acompanhava a série, mas nunca me canso. Pra mim, fica patente que Mulder era totalmente dependente de Scully já naquela época... fica claro que Scully é a credencial humana de Mulder (como diria DD).

Logo de início dá pra perceber... aquela mensagem de Scully na secretária eletrônica do parceiro é perturbadora... e a expressão de susto do Mulder quando ouve o som de uma luta e Scully gritando "Mulder, I need your help".

CC sabe mesmo como apavorar a gente... eu fiquei desolada a primeira vez que assisti. Ele já chega no apartamento dela com uma cara de perdido, coitado... não precisa dizer nada, dá pra ver o pânico contido na expressão dele imaginando o que acontecera com Scully, nos mínimos detalhes... e como sabemos, se sentindo culpado por não estar lá e salvá-la, por não ter ouvido a mensagem em tempo. Imagino que os gritos de Scully ecoaram durante semanas em sua cabeça, assim como na nossa quando vemos o episódio.

Dá pra perceber a obsessão que toma conta de Mulder, em seu rosto sem barbear, sua cara de insônia, sua face quase inexpressiva, hipnotizada... dá pra adivinhar que seu único pensamento é o que fazer para ter Scully de volta...

Realmente, depois de ter começado a trabalhar com Scully, ele não funciona muito bem sem sua ruiva... (tipo aquela música do Claudinho e Buchecha - "avião sem asa, fogueira sem brasa, sou eu assim sem vc..."), tadinho, fica totalmente sem disciplina, sem rumo, explosivo e quase auto-destrutivo... é de cortar o coração vê-lo desse jeito.

Então vem a busca desesperada para chegar à montanha antes de Duane Barry, a quase morte no bondinho... e a frustração de não conseguir salvá-la.

A cena em que ele confronta Duane Barry e perde o controle ao ver sangue de Scully também é fortíssima... ele quase coloca tudo a perder e desconta todo seu desespero no detido. É sufocante de assistir, acho que é por isso que ele fica tão apavorado quando Scully fica doente, esse período da abdução foi traumático demais pra ele. É de doer vê-lo imaginando Scully sendo testada pelos ets. Até a mãe de Scully parece perceber o desespero do moço, ela até deixa a correntinha da filha com ele.

De Ascenção, uma das minhas cenas favoritas, é o finalzinho, quando Mulder, quase sem esperanças, sobe de novo ao monte onde a parceira desapareceu...



[/Cleide]

[Ariana] O episódio começa com Mulder ouvindo o recado da Scully em sua secretária eletrônica e se desesperando ao ouvir seu grito de socorro. Ele fica transtornado e sai em disparada, sem sequer terminar de ouvir o recado. Mas... pra quê, né? Rsrs...

E ele conhece a sogrona!
Ela o questiona onde Scully está e ele só tem o silêncio como resposta...

E a sogrona deve ter ficado orgulhosa da filhona, que fisgou um peixão...
Ô lá em casa! (Não é por nada, mas que cabeleira, heim, Maggie?).

Adoro a forma como eles se deram bem logo de cara... A Magie é mesmo fofa!

A aparência abatida do Mulder me lembra LGM. No entanto, desta vez o peso da perda tem uma intensidade muito maior, por isso, a desolação é tão grande. Coincidência ou não, estou ouvindo uma música do Arnaldo (tá, isso não é coincidência... rs) que coube perfeitamente a este contexto: “Pra onde eu vou agora, livre, mas sem você? Pra onde ir, o que fazer, como eu vou viver? Eu gosto de ficar só, mas gosto mais de você...” Ohwww... *-*

A única ocasião na qual vemos um brilho em seu olhar, acompanhado de um singelo sorriso, se dá no momento em que ele assiste à gravação feita pelo carro do policial morto, aonde o Duane abre o porta-malas do carro e podemos ver Scully presa, mas viva. É clara a sua alegria e alívio, por mais breve que tenha sido.

Já na seqüência o vemos novamente com a expressão carregada enquanto segura a fotografia e a olha de forma tão intensa, como se esta pudesse lhe dizer algo.

Krycek: “Como dormiu?”
Mulder: “Não dormi”.
É... a cara de panda não desmente




Afff... Mulder e essa mania de arrancar folhas de livros! Rebelde! Não se contenta em obter a informação. Deixa a Ka te ver fazendo isso...

Por que ao longo de todo o episódio, o Mulder pede o carro do Krycek? Tava sem? E pior, ainda faz com que o cara lhe dê a direção! Mas tu é folgado, heim, querido?

Krycek: “Você sabe, Chernobyl, Exxon Valdez, Thee Mile Island, todos ocorreram devido à falta de sono. O departamento de transportes estima que mais de 190.000 acidentes fatais anuais são causados por sonolência”.
Mulder: “Também estimam quantas pessoas adormecem ouvindo estatísticas?”

Não, o Krycek, depois de dar uma cacetada no cara do bondinho, se preocupa em ajeitar o cabelinho...? (Ai me leva total!).




A fisionomia de incredulidade e assombro do Mulder ao ver o sangue no volante do carro do Duane e depois o crucifixo da Scully no porta-malas é de fazer sofrer. Mas quando me recordo da agonia de não saber o que iria acontecer e ter de aguardar uma semana até a próxima noite de sexta-feira na Record, compreendo e me identifico. Acho que a minha cara era essa. De “NÃÃÃÃOOOOOO!”.

Assim como os melhores momentos do episódio anterior se dá na agência de viagens, em Ascensão nada supera o interrogatório do Duane. Fatão-blaster! *medo desse dialeto que estou usando*

O semblante do Mulder, desolado e desamparado na poltrona, olhando para o nada, meio ausente dali, sempre me dá a sensação de um desespero e uma falta de forças imensa. *-*


Até que ele se vê sozinho com o Duane. Por alguns segundos permanece olhando para ele e então se levanta lentamente, pára em sua frente e o questiona: “O que aconteceu depois de tirá-la do porta-malas?”
Duane: “Caminhamos um pouco mais até o topo onde você me achou”.
Mulder: “E então para onde a levou?”
Duane: “Não a levei. Eles a levaram. Esta era a idéia. Ela em vez de mim”.
Essa hora é de cortar o coração... Como ele fecha os olhos e suspira baixinho... antes de fazer a pergunta fatídica: “Você a matou?”
Duane: “Não. Juro”.
Mas ele vê os ferimentos no Duane e indaga: “Como isto aconteceu?”
Ao que Duane responde serem resultado da aeronave, que Mulder retruca ser um helicóptero.
Duane: “Eles estavam nele! Não estou mentindo para você! Eles estavam lá! Pergunte a eles. Sabem do que aconteceu”.
Mulder: “Sente-se Duane”.
Duane: “Não. Precisa detê-los! Rápido! Mexa-se! Eles estavam ali! Ali fora! Eles...”.
Mulder: “Duane, acalme-se!”
Duane: “Não! Eles lhe dirão onde ela está! Os militares estavam lá. Pergunte a eles!”

Até que ele vê os fios de cabelo dela sujos de sangue e se descontrola totalmente: “Você a machucou? Você a machucou?”
Duane: “Não!”
Mulder: “Então o que é isto?”


E nem espera pela resposta...






E quando ele se dá conta de quão fora de si está, o desespero se torna maior ainda.
E ele sai meio desnorteado da sala...




Oiêêê... Piper! (Por esta foto dá pra ter uma noção do tamanho que ela ficou).





Mulder quase derruba a vidraça o ver Krycek falando com o Duane e ainda dá um chamão nele.

Para mim, um dos momentos mais tristes deste episódio é quando o Mulder está no necrotério olhando o cadáver do Duane, no escuro... Pelo que ele representava.

Adoro quando o querido joga o saquinho com o cigarro, que ele achou no carro do Krycek (que não fuma) no meio de outros cigarros que estão no cinzeiro do Skinner (que também não fuma).

Outro momento mara é quando o Skinner lhe pergunta porque Krycek estaria envolvido no caso Duane Barry/Scully, ao que ele responde: “Porque Scully chegou muito perto do que eles estão tentando esconder. Porque ela obteve prova conclusiva – aquele implante metálico. Ou porque sua eliminação evitaria que se envolvesse mais comigo ou meu trabalho”. *-*

Nem mesmo a mais desejada notícia o fez sentir melhor ou dar o mais leve sorriso... Os Arquivos X serão reabertos. Mas que importa agora o porão, se ele estará vazio?



E o lindo final, com o queridão e a sogrona... Nada é mais fofo neste episódio que este final... ela lhe colocando o crucifixo na mão dele e a fechando, para que ele possa devolver a ela quando a encontrar...
Até a Maggie já sabia que nenhuma outra pessoa poderia...
Já se ligou na habilidade deles em se encontrarem... rsrs... [/Ariana]

Quotes:

Mulder: Eu sinto muito. Não tenho boas notícias.
Margaret Scully: Você sabe de algo? Dana está bem?
Mulder: Nós não sabemos nada mais dela.


Margaret Scully: Eu sei que você está fazendo tudo que pode. Eu tive aquele sonho com ela novamente ontem a noite. Sobre Dana sendo levada... Não posso dizer o quanto isso é assustador.
Mulder: É provavelmente mais assustador quando você para de sonhar. Não acha?

Mulder: Eu achei isto. É algo que eu... que eu nunca pensei sobre ela. Se ela era tão cética, por que ela usava isso?
Margaret Scully: Eu dei a ela quando ela fez quinze anos.


Mulder: Não quer guardar?
Margaret Scully: Quando você a encontrar, dê a ela.





Outras Imagens de Ascension:

Vendo a cena do crime e imaginando o que teria acontecido

Encontrando a cruzinha da Scully

Descobrindo quem é Krycek

À espera...

12 comentários:

Yanne Celly disse...

Que susto quando não vi o post no domingo, achei que tinham esquecidos de nós...ufaaaahhh!!!que alívio quando hoje abri a internet e vi.
Bem! falando sobre o episódio,jamais vou esquecer a cara de Mulder quando escuta a fita da gravação em que ela pede socorro é uma angústia só,pra falar a verdade a maioria das cenas é de cortar coração..
Vê aquela carinha de perdido dele pedindo colo, é demais não?

Apartir desse momento CC nos dá o tamanho e a intensidade do relacionamento deles...

Muito Bom! depois de algum tempo vê vocês três comentando juntas.

Josilene disse...

Own, Yanne... I'm a guilty woman. Não consegui postar no findi. *lágrimas nos olhos* E o motivo não é muito nobre, mas... enfim...

Vlw pelo comentário! ;) Sim, este episódio é muito bom! Tadinha da Scully e do Mulder tb que ficou alone por um tempo...

Bjos!

Ariana disse...

"Imagina nossa série querida sem este drama da Scully? Nada de chip, nada de arco do câncer, nada de Emily, nada de William..." *-*

Como assim??????

Nada de chip??? (Quase escrevi "nada de chop" :D)
Nada de câncer???????????????????
Ou seja, nada de MM!!!!!!!! *.*
NÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOOO

O resto não importa, mas o meu mundo, definitivamente não seria o mesmo sem MM... :)

Josilene disse...

"O resto não importa" [2]

Puxa, Nana... com isso, eu tenho que concordar... rsrsrs

Podem até me matar, mas eu só ligo pra Mulder e Scully... Scully e Mulder... os outros personagens... err... bem... assim... não são vitais pra minha existência! hihihi

Isabella disse...

Amo esse epi,mas tadinho do Mulder quando ouve Scully!!!

ADRIANE disse...

Pessoal, que bacana entrar aqui todos os dias e me ver cercada pelo mundo de arquivo x, nossa as lembranças vão e vem, adoro esta série, eu me sinto muito feliz por ser fã deles, arquivo x esta para nossa geração, como star trek também está para a geração passada, eu amo de montão. foi um trabalho inovador na televisão, e como eles cresceram ao longo do tempo, melhoraram ainda mais em suas carreiras e espero sinceramente que ambos sejam muitos felizes, DD e GA, tem filhos lindos, bacana pessoal, to adorando este blog meeeeeeeeeeeeeeesmo de montão.

Elizabeth disse...

Esse foi o primeiro episódio de AX que assiti, ainda na Record. Qdo liguei a tv já estava na metade, mas entendi que se tratava de alguém sendo sequestrado (juro que nem sabia quem eram os personagens). Adorei o ritmo do episódio e fiquei curiosa pra ver o que acontecia na semana seguinte. Virei fã.

XFILES disse...

É ótimo qdo a gente tenta uma série nova e o ep é logo duplo, né? kkkkkkkkkk te obriga a ver mais um. hauhauah Aconteceu isso comigo com House... ai, que saudades dele...

Enfim, obrigada, meninas! vcs que sao muito fofas!

Josi.

janaX disse...

Táh e agora o que eu vou dizer???Que esse ep é tão igualmente bom quanto o outro por isso esse é a continuacão do outro?Mais é bem isso que eu vou dizer...se bem que ficou meio confuso...mais deu pra entender né Josi?...acho que deu...sei lá.E o post?MARAVILHOSO!!!Gente vocês não brincam heim?!Poxa eu continuei sofrendo e sofrendo até mais na época que vi esse ep,porque ele não se resolveu como a gente esperava.Me lembro quando o Mulder chegou na no...lá na montanha onde o Duane tava, e viu o carro sozinho,eu ainda tinha esperanca que ele chegaria a tempo de resgatar a Scully!Foi tão angustiante aconpanhar toda a história de Ascension que quase tive um chilique!!!Eu também achei que a mamãe da Scully simpatizou de cara com Mulder e sentiu uma energia positiva em relacão aos dois,e nada mais animador, tipo "Eu sei que você vai encontrá-la!Que só você poderia!", em deixar com ele a correntinha pra quando esse momento chegasse ele mesmo devolver à ela(que sogra fofinha!).E finalmente o Rato em forma de cordeiro se revela pra galera!!!Krycek a mala que nos acompanhará praticamente até o fim finalmente é descoberta como capacho do Canceroso(adorei o comentario sobre a ajetada do cabelinho!Me lembro que minha irmã teceu o seguinte comentário quando a gente tava olhando "que bixa!",KKKKKKKK bem coisa de gaúcho KKKKKKKKKKKKK).E ainda tem aquele final de cortar o coracão,Mulder sozinho na montanha olhando para o céu como se tentasse adivinhar em que estrela sua estrela estava...
Bem Josita,prometo que quando terminar de reler os coments das primeiras temporadas vou fazer das tripas coracào para assistir o resto da Sexta e toda a Sétima Temporadas!Farei com o coracão e mente abertos e tentarei não ser tão dura com as histórias e o período Californiano da série!Vou TENTAR...he he he...boa semana amiga e até...

Josilene disse...

Mas, Jana... a gente já sabia quem era o Krycek desde... sleepless? :) Eu gosto de odiar esse rato... não gostei qdo ele morreu. kkkkkkkkk ele é o saco de pancadas predileto de mulder! :D kkkkkkkkkk

E, sim! Vaja o resto! Queria ser forte como vcs e não ver tuuuudo que tenha disponível sobre algum personagem que eu amo... cara... queria ser forte... rs

Vixen disse...

"Então, eles chegam ao tal bondinho, Mulder obriga o condutor a deixá-lo subir e o cara fala "Ainda não o testamos com passageiros". Isso me fez pensar em como eles fariam esse teste se não fosse colocando passageiros lá dentro. :/ Aff... Será testado agora, fio... e no extremo, viu?"

Mulder conhecendo a sogrona kkkkk

Apenas rindo eternamente uhuahuahuhauahuahuha! Vcs são demais, mal posso esperar pelas próximas temporadas

Josilene disse...

Valeu, Vixen! De pouquinho e pouquinho, já estamos na quarta! yay! :D