domingo, 16 de maio de 2010

03x01 - The Blessing Way (O Caminho da Cura)

Direção: R.W. Goodwin
Roteiro: Chris Carter






"Há um antigo ditado índio que diz que algo vive tanto quanto a última pessoa que se lembra dele. Meu povo costuma confiar na memória acima da história. Memória, como o fogo, é radiante e imutável, enquanto a história só serve àqueles que procuram controlá-la, que apagam a chama da memória a fim de acabar com o perigoso fogo da verdade. Cuidado com estes homens porque eles são perigosos e imprudentes. Sua história falsa é escrita com o sangue daqueles que se lembram e daqueles que buscam a verdade." - Albert Hosteen.


Comentários:

[Ariana] É impossível amar Anasazi e não amar igualmente O Caminho da Cura! Mulder dado como morto, depois lutando pela vida; a primeira vez em que vemos o Sindicato e tomamos consciência de sua pérfida, porém, fascinante existência; temos a melhor cena excluída de todas as nove temporadas, quando Scully irrompe em prantos na casa da mamis; cenas funestas, dramáticas, suspense, tensão, morte, choro e ranger de dentes... AAAHHHH!!! Amo o mundo X! :D

Neste início de O Caminho da Cura retornamos ao explosivo momento em que fomos deixados por Anasazi. E enquanto vemos as chamas destruírem o vagão frigorífico e tudo o que ele encerrava, ouvimos a voz de Albert Hosteen narrar um antigo ditado Navajo que diz que “algo vive tanto tempo quanto a última pessoa que se lembra dele”. Ele conta que para os Navajos a memória é como o fogo, radiante e imutável, ao passo que a história é escrita por homens que se servem dela com a finalidade de dominar, homens que não hesitam em destruir aqueles que carregam a chama da memória, de forma a impedir que a verdade seja desvelada. Agora... não sei quanto aos Navajos, mas minha memória não é nadica imutável. Tá mais pra volúvel.

Em seguida vemos o Canceroso invadir brutalmente a casa de Albert à procura de Mulder e dos arquivos, e deixar atrás de si um cenário de destruição [safado!]. A expressão atônita de Scully ao se deparar com tamanha selvageria é a de quem sabe que algo muito grave aconteceu. E sua primeira pergunta é: "onde está o Mulder???"

Não sei quanto a vocês, mas para mim é impossível ver essa cena e não me sentir transportada a Without, quando Scully chama por Mulder no deserto... Credo, como choro vendo aquilo. É um dos momentos no qual me brota ainda uma leve raivinha do DD. T.T

Pois é, não basta perder o querido, ser apalpada por um boçal numa estrada no meio do nada, perder os arquivos, passar por uma comissão e terminar suspensa de suas atividades no FBI sob a alegação de insubordinação e desobediência a seus superiores (ou seja, rebeldia), ela ainda tem de ouvir do Skinner que “isto” (se referindo à morte do queridão) não foi fácil para todos... É, a cara de “todos” ali é realmente de extremo pesar... Tá bom ou quer mais?

Mais!!! Imaginem a cena: uma ruiva vagando a esmo pelas ruas, feito uma assombração, culpada e cantarolando “meu mundo caiu...” [ok, a trilha é por minha conta, mas cabe aqui]. Poxa, não me conformarei jamais por terem cortado a cena da Scully na casa da Magie! Tudo bem que já a vimos passar por momentos de crise anteriormente, mas nada comparado a isso. É como se o chão tivesse se desfeito sob seus pés e, ao invés daquela Scully forte, o que vemos é alguém claramente vulnerável e desbussolada, perambulando descalça por quilômetros a fio, no meio da noite, em busca do último porto seguro que lhe resta. O único lugar que pode lhe fornecer o apoio e conforto necessários para que não se precipite no abismo.

Também adoro a Melissa, principalmente seu feeling no que diz respeito à relação M&S. Mas convenhamos, quem é que, diante da dor de perder alguém, suportaria ouvir esse blábláblá... exotérico sobre vibrações e pressentimentos e tals? Eu a mandaria pentear macaco, no mínimo. No entanto, por ter peito [bem, não muito] para falar o que a Scully não tem coragem de admitir em voz alta - que sua ligação com Mulder é algo muito poderoso e que não morreria tão facilmente - nós a perdoamos.

Se há uma coisa que nunca imaginei ouvir sobre o querido é esta frase do Albert: “... o cheiro da morte estava sobre aquilo”. – Não duvido, afinal, foram os abutres que o encontraram. Imaginem o bodum. :P


Não é por nada, mas eu, no lugar do querido, acharia muito difícil querer viver tendo de ouvir os cânticos rituais dos Navajos por três dias seguidos. É pra querer morrer, isso sim!

Não é quem eu gostaria de encontrar à minha porta em plena madrugada.





Assim como Scully, quando se encontrava à beira da morte teve seu “encontro” sobrenatural em Por Um Fio, chegou a vez de Mulder... O primeiro a se apresentar, em uma espécie de sonho, é nosso saudoso GP, que o encoraja a continuar vivendo: “Acorde o sono da razão, e lute contra os monstros internos e externos”. Seguido de seu nada saudoso pai que, reproduzindo as palavras de Albert lhe diz: ”Você é a memória, Fox. Ela vive em você. Se morresse agora, toda a verdade morreria, e só as mentiras sobreviveriam a nós”. [Mulder não é nada modesto, hã?]

Aposto que o Skinner estava aguardando ansiosamente pela oportunidade de devolver o PLÁH! que a Scully lhe deu no dia anterior, ao dizer que ele estava subestimando sua posição na cadeia de comando, e melhor, usando as mesmas palavras que ela lhe dirigiu.

E Scully descobre o chip... Não deixe ele tirar!!!!!!!! Ah, se arrependimento matasse...




Scully morreria de inveja do Albert se soubesse que ele deu banho no querido. [E quem não? :D]




Quer coisa mais bizarra que a Scully em uma sessão de hipnose regressiva? Se bem que ó o naipe do psicoterapeuta que ela arranjou! Tem a maior pinta de feirante! E daqueles que coçam o saco e pegam na verdura (uiiiii... :D).

Cara de quem teve um sonho bom... rsrs...






Afff... é até clichê dizer que amo a cena em que o querido aparece num sonho para Scully, mas como não? Penso que no fundo ela não acreditava realmente na morte dele, como bem disse Melissa. Eu entendo o sonho da Scully não sob uma perspectiva paranormal, como se o Mulder estivesse transmitindo uma mensagem para ela efetivamente, mas como uma revelação de seus próprios sentimentos, de si mesma, de que em seu íntimo, ela sentia que ele estava vivo. Notamos isso, sobretudo na mensagem que ele lhe traz, de que ambos estiveram nesta ponte que liga os dois mundos e que ele retornaria deste lugar para seguir junto a ela. [ownnn... *-*]

Sei não, mas toda vez que vejo a mãe do Mulder no enterro do Bill me pego matutando se ela na verdade não está lá pra se certificar que ele finalmente bateu as botas.

“Aê, Dona Mulder, tenho que lhe parabenizar por ter gerado aquela gost... ops! quero dizer, tamanha fofura em forma de homem”.



Adoraria saber quem é o indivíduo que inventa esses codinomes em XF. De onde fulano me tira o nome “Homem das unhas bem feitas”? Que nem aquele do cabelo à escovinha, que ainda não sei o que é... *cara de bolinho*. Pô, nem pra mostrar se ele tem mesmo as unhas bem feitas! Mas, voltando ao assunto... Eu adoro esses membros do sindicato com seus discursos enigmáticos e dissimulados, principalmente quando o HDUBF [até a sigla fica grande] ao alertar Scully de que sua vida corria riscos, diz: “Motivos raramente não são egoístas”. [Devo concordar] E quando ela questiona o tipo de seus negócios, ele responde: “Nós prevemos o futuro. E a melhor forma de predizer o futuro é inventá-lo”. [Lembrarei disso quando for imperadora do mundo! :D]

Quanto à morte da Melissa, tenho que dizer que a culpa é toda dela. Por 2 motivos:

1 – Por não ter um celular. Se tivesse, Scully a teria avisado para não ir até ela.

2 – Por ir adentrando a casa dos outros sem bater. Pô, todo mundo tem a chave do apê de todo mundo nessa bodega? Virou a festa do caqui, ouxe!

Não é por nada, mas Skinner e Scully não tinham outro lugar para conversarem, além do apê do Mulder? [Não disse que esse povo não tem modos?] Ou é só pra dar uma tensão a mais na hora do clímax mesmo? Quando, em meio às vozes alteradas e armas apontadas, ouvimos o som de passos atrás da porta e...? Continua... afff... [/Ariana]

[Josi]
O que faz alguém bater num sr de idade assim? o.O Bom... fazem coisas piores, né? Por isso mesmo que muitas vezes a gente tem mais medo de quem detém alguma autoridade do que dos que chamamos "marginais".

Scully fica muito irada durante a audiência no FBI! É hilário ver a forma como ela se contém por muito pouco! E o que Skinner fala querendo acalmá-la só faz piorar a situação. rsrs Mesmo por que todo mundo sabe que aquilo definitivamente não está sendo tão difícil para eles como está sendo pra ela... parece aquela gente que bate e fala "dói mais em mim do que em você"... oi?

Skinner todo solícito (do jeito dele, claro... sem querer cruzar a linha do conforto) e Scully só patada: "Com todo respeito, acho que o sr superestima sua posição na linha de comando". Toma! Adoro a carinha que ele faz depois... parece o Seu Madruga depois de apanhar da D. Florinda. hahahaha

E Skinner retribuindo a "gentileza" da Scully??? Lindo. :P O Bom é que ela não pode fazer nada... praticamente pediu por isso. rsrs

Então, vem a terrível sequência dela tirando o bendito chip! Quem não tem vontade de gritar "Nooooooooooooooooooooooo! Don't touch it!!!". Pois é... Mas ela toca e ainda destrói a coisa ao tentar analisá-la. Aff... Essa semana eu tava pensando (ô falta do que fazer...): imagine se a Scully sofre um acidente qualquer, fazem um raio-X e o médico "eita, vou retirar isso aqui". Tadinho... Mulder acabaria com ele...

Outra é que eu só entendo a resistência da Scully em fazer hipnose porque eu acho que naquela época não era tão difundido, não é? Bom, eu não sei realmente. Hoje em dia parece ser mais comum. Sei lá. Enfim, o que eu sei é que hoje em dia, Melissa estaria orgulhosa de sua irmãzinha. Rigidez científica? Onde? Seguir os instintos? Oh, sim... mesmo que ela ainda resista um pouco como vimos em IWTB.

Ah... Eu tenho medo desse psicólogo que a Scully arrumou. Ele é incompetente, gente! Viram como ele ficava pegando nela? Ouxe. Scully fez mais do que certo em ter fugido dali. Medão.

Albert diz pra Mulder não trabalhar nem tomar banho nem trocar de roupas por 4 dias... ok, os dois últimos eu não duvido que ele cumprisse, mas 4 dias sem trabalhar? hahahhahahaha

Own... morro de pena quando ele apaga o desenho...

O que é a mãe do Mulder chegando toda triste em casa e de repente se deparando com o filhão todo bonito sorrindo pra ela? Ooooooown... Daí depois ele vai e a assusta com suas perguntas perigosas... Po, fia... perdeu, maluca! Quem mandou ter um filho tão compromissado com a verdade assim?

Mas tadinha da Scully. Vem um cara sinistro e lhe diz que alguém a matará. Ou será um assassino profissional ou alguém que fosse de sua confiança. o.O Então, o Skinner fica com aquele jeito suspeito dele! kkkkkkkkkk Sempre sobra pro Skinner...

E o final... nossa! [/Josi]

[Cleide]
É muito triste ver Scully gritando por Mulder no meio do deserto, mas nem se compara ao desespero da oitava temporada...
Tadinha da Scully...


Scully, intuitiva, aborda mãe de Mulder no enterro do pai dele e diz que acredita que Mulder está vivo. Adoro o sonho de Scully! Confesso que meu coração Shipper bateu mais forte ao ouvir "I return from the dead to continue with you"... Que lindo! Hum... se eu tivesse um sonho desses, ficaria feliz por semanas!

Curiosidades:

- É nesse episódio que baleiam Melissa (isso todo mundo sabe), mas vocês sabiam que Melinda e Nicholas Lea namoravam nessa época??? hum...

- Nesse episódio o 'homem das unhas bem feitas' aparece pela primeira vez... (Gente, ele tem as unhas bem feitas mesmo? Eu nunca reparei!) [/Cleide]

[Starbuck] The Blessing Way (o caminho da cura) é a parte do meio perfeira para a trilogia que me fez ficar inevitavelmente presa a XF até hoje. Momentos marcantes do episódio:

- Mulder sem camisa em muitas e muitas cenas;

- Scully, descalça, chegando na casa da mãe dela, pois só na oitava e nona temporadas a veremos de novo tão perdida,cansada, só e triste. Por isso, não concordo quando dizem que o personagem mudou nessas temporadas, pois toda vez que a Scully pensa na possibilidade de perder o Mulder, ela desmorona, então a fragilidade dela vir à tona nessas temporadas me pareceu um caminho natural.

- Adoro a visita do Fohike....

- O Deep aparecer nos sonhos do Mulder achei legal, mas o pai dele, para mim, seria dispensável.

- A descoberta da Scully que tem o chip e a consequente retirada deste desencadeando toda a doença dela na próxima temporada nos mostra que por mais louco que o cC pareça ele (no limite do possível, claro) soube bem levar a mitologia, em especial, no que tange aos personagens M e S.

- Mulder falando com a Scully num sonho (me lembrei da história de José - da Bíblia)





- Notem a expressão da Scully deixando a intuição falar mais alto, abandonando (mesmo que temporariamente) o medo de acreditar... e, mesmo que todos já dessem Mulder como morto, ela sabendo que ele vivia.

- Scully toda intuitiva falando para a mãe do Mulder não se preocupar.

- Tem a morte da melissa... (e depois tive que aguentá-la reencarnada na oitava e nona temporada..afff)

- E a Scully apontando a arma para o careca... e ouvindo os passos do Mulder... (um dos to be continued mais eletrizantes de toda a série).



[/Starbuck]

Quotes:

Garganta Profunda: Eu primeiro fui atingido pela falta de tempo, tendo dependido disso tão completamente como uma medida de mim mesmo e minha vida. Movendo-se dentro da noite perpétua que consome propósito e ação, toda a paixão e vontade. Eu venho a você, velho amigo, com a clareza dos mortos não para acenar para você, mas para sentir o fogo e a intensidade que ainda vive em você... e o peso do seu fardo que eu já foi meu. Há uma verdade aqui, velho amigo, se isso é tudo o que você procura, mas não há justiça ou julgamento sem os quais a verdade é um grande, morto buraco. Volte. Não olhe para o abismo ou deixe que o abismo olhe para você. Desperte do sono da razão e lute contra os monstros de dentro e de fora.

----

Albert Hosteen: Você deve ter cuidado agora para terminar a cerimônia da forma apropriada. Se você se for, não deve fazer nenhum trabalho, mudar de roupas ou tomar banho por quatro dias.
Mulder: Isso vai realmente atrapalhar a minha vida social.
Albert Hosteen: Os garotos têm um presente pra você. Você pedia por elas durante suas piores febres.

Mulder: Durante a minha febre, eu... eu saí daqui e viajei para um lugar.
Albert Hosteen: Este lugar você carrega com você. Ele está dentro de você. É o lugar de origem.
Mulder: Não foi um sonho?
Albert Hosteen: Sim.

Outras Imagens de The Blessing Way:

Scully: "Eu cometi um erro terrível"

Um oásis no deserto

Mulder "no outro lado"

O registro de um absurdo

E Mellissa é assassinada no lugar da Scully

11 comentários:

Yanne Celly disse...

- É impossível amar Anasazi e não amar igualmente o Caminho da Cura(02)!

Vê-la caminhando no deserto ou chegando descalça na casa da mãe sentido-se perdida e vazia com a possibilidade de tê-lo perdido nos dá uma idéia do que ela sentiu quando na 8ª temporada o encontra morto.......

...só apenas eu ou alguém mais tem horror a Srª Mulder...vê como ela é fria ao falar com Scully?!!!

Sempre que me pergunto porque continuar presa a ax....asssito um epi como esse e tenho as minhas respostas...e comentários como os de vcs ajudam a ver que não sou única!!!!!!!!kkkkkkkk

helena disse...

ainda vejo ax é um pouco da minha vida,anos e anos. então adoro episode guide humor que nunca tenho.parabens

Cleide disse...

Helena!

Tudo bem?

Que bom ver comentários dos leitores!

Se você estiver no orkut, nós temos uma comunidade que se chama Arquivo X Episode Guide. Nós comentamos os episódios lá, e aproveitamos tudo aqui. Participe conosco, para que suas opiniões também façam parte do blog!

Abraços!

Lívia Ribeiro disse...

Gente....The Blessing Way é maravilhoso!! Amo de paixão! Confesso que levei um susto danado com a cena do vagão....pensei: "pronto...Mulder evaporou-se!" Mas cmo uma boa fênix, ele ressurge das cinzas...
Amei o fato de Scully sonhar com ele...e a cena do elevador, dele perguntando como ela sabia....fófis
Mas fiquei triste com a morte de Melissa....coitada da ruivinha...era gente boa até....e imagino o que ela não faria por Scully se estivesse viva...acho que daria era um empurrãozão na relação dela e de Mulder...bem, isso baseando-se nas boas verdades que ela disse ao querido na trilogia da abdução da scully...rsrsrs
Excelente post, como sempre...vcs são como vinho....quanto mais tempo, melhor!

Josilene disse...

"só apenas eu ou alguém mais tem horror a Srª Mulder...vê como ela é fria ao falar com Scully?!!!" - by Yanne.

É, fia... esse rapaz tem uma família muito desajustada. Oremos!

Olá, Helena! Seja bem-vinda! Aqui é o lugar onde a gente entra e esquece que existe vida real. :D

"Excelente post, como sempre...vcs são como vinho....quanto mais tempo, melhor!" - Own... imagine uma pessoa ficando vermelha. Sou eu. rsrs Thanks! *.*

Sim... tadinha da Melissa... não merecia e para a Scully perder a única irmã não deve ter sido fácil... :/

Beijos, meninas!

ADRIANE disse...

AMO DE MONTÃO SEUS COMENTÁRIOS, ESTOU REVENDO X FILES NO CANAL TCM, MINHA NOSSSA EU AMO ESTA SÉRIE, PÔXA NÃO DÁ PRA VC COMENTAR COMO SÓ VC MESMO SABE O EPISÓDIO DEMON, ACREDITO QUE SERIA HILÁRIA A SUA POSTAGEM, POIS NESTE EPISÓDIO NOSSO GOSTASÃO NARIGUDO É ENCONTRADO NU NA BANHEIRA POR UMA SCULLY PREOCUPADA E TODA PÚDICA.

Josilene disse...

Olá, Adriane! Obrigada pelo seu comentário! :*

A ideia é comentar todos os episódios... estamos indo na ordem. O próximo agora é Elegia e logo depois Demons. ;)

Ah... tadinhos deles... scully tinha que ser pudica mesmo naquele momento... o pobre tava doente e todo desorientado... kkkkkk

Beijos!

ADRIANE disse...

È muito legal, estou anciosa pelos próximos comentários, estou todos os dias em seu blog, lendo oque vc ja postou, adoro a maneira como vc narra aobre as desventuiras do narigudo mais sexi da tv. vida longa aos x-files, e que venha o X3. to aguardando Elegy

Josilene disse...

"estou todos os dias em seu blog"

*.*

Fofa! Obg!

Elizabeth disse...

É mesmo uma pena terem cortado a cena da conversa entre Scully e Melissa na casa da dona Scully: é uma cena longa, cheia de diálogos entre as três,com uma Scully se martirizando por ter abandonado sua habitual sensatez e estimulado Mulder a embarcar naquela roubada pela tradução da fita. Eu realmente gosto da personagem da Melissa. Ela apareceu pouco na série, apenas pra ajudar tanto Mulder quanto Scully a compreender melhor seus sentimentos (aqui, encorajando a ruiva a acreditar na própria intuição e, em One Breath, convencendo o agente a sair das "trevas"). No mais, o ótimo post lá em cima já disse tudo sobre esse ep sensacional. Pra mim, essa trinca de eps que pontuou o fim da 2a. e início da 3a. só perde pra trilogia Gethsemane/ Redux I e II. AX estava mesmo tinindo naquela época!

Josilene disse...

Muita pena mesmo que mataram melissa... tb gostava dela... mas ax é assim mesmo... até agora só a ruiva e skinner escaparam de uma morte. rs