domingo, 29 de maio de 2011

Introdução à Quarta Temporada de Arquivo X

Há quase um consenso entre os fãs de que a quarta temporada de Arquivo X é a melhor de toda a série. E não é por menos. Esta temporada coloca a série no caminho certo para se tornar uma das maiores séries de todos os tempos. Qualidade técnica, roteiros bem amarrados com interpretações e histórias incríveis nos mantêm presos e envolvidos cada vez mais.



Os episódios chamados "monstros da semana" são simplesmente épicos... o polêmico humor negro de Home, o amor sendo levado às últimas consequências em Kadish, Scully tendo seu pequeno momento de revolta em Never Again que lhe rendeu a não mais falada tatuagem (será que ela a retirou?), The Field Where I Died nos dando alguns vestígios das vidas passadas de Mulder e Scully e irritando alguns shippers mais ferrenhos, passamos a conhecer mais do tão misterioso Canceroso, isso sem falar do engraçadíssimo Small Potatoes (mais uma obra prima de nosso querido Darin Morgan)... E estes exemplos são apenas uma amostra dos maravilhosos episódios que recheiam esta temporada que ainda nos traz mais uma parte da mitologia revelada e o arco do câncer da Scully. Muito do que acontece aqui decidirá o rumo a ser tomado dali por diante na série.


A busca de Mulder por sua irmã, os alienígenas, a conspiração do governo por trás de tudo isso... enfim, todos os mistérios de Arquivo X prometem ser resolvidos. Mas de que forma? Será que seremos fortes o suficiente para conhecer a verdade? E, ainda mais importante: será que saberemos reconhecê-la quando nos depararmos com ela?

Nesta temporada, somos levados novamente pela paixão de Mulder por conseguir todas essas respostas e pela dignidade da Scully em seguir cada pista, mesmo quando elas, desta vez, parecem querer destruir não apenas suas convicções pessoais, mas também a ela mesma.


Como já estamos acostumados a ver, um se apóia no outro para ganhar forças e seguir em frente. E, junto com eles, entramos numa espiral de emoções que seguem num crescendo até culminarem em fatos tão surpreendentes que nos deixam absolutamente sem chão.

Como não sentir uma imensa empatia por Mulder quando, ao final, tudo que ele mais ama, e porque não dizer, toda a sua vida parece se desmoronar ao seu redor? Tudo o que ele acredita se mostra como um embuste e seu porto seguro não está nada bem...


A tragédia pessoal de Scully e, por conseguinte, também de Mulder, não é pequena. Ela está morrendo. Câncer. Incurável. Inoperável. E tal como seu parceiro, nos colocamos em negação, mesmo tendo desconfiado do que estava vindo com alguns episódios de antecedência... Mas as palavras dela mesma são pesadas demais, doem ao caírem em nossas mentes...

Sendo assim, enquanto as etapas naturais que seguem a uma notícia como essa passam rapidamente para Scully com sua negação sendo engolida pelos resultados dos exames, sua revolta se mostrando infrutífera e a depressão minada pela resolução mostrada por seu parceiro, lhe restando a aceitação do que estaria por vir, Mulder segue um processo mais lento e mais forte com sua revolta e depressão quase o levando antes dela.


Aceitação? Talvez isso não seja algo que não se enquadre na natureza de Fox Mulder. Como mais tarde ele diria ao irmão chatonildo da Scully, ele não ficaria quieto enquanto a tragédia se abate sobre sua família.

Embarquemos então junto de nossos agentes mais queridos em mais uma etapa desta surpreendente jornada lembrando que uma temporada que se inicia com uma promessa de cura não pode trazer em si o final de tudo.

7 comentários:

Paola Bracho disse...

Josi, quando a gente acha que vc alcançou o ápice em texto...vc nos surpreende e diz: eu posso mais! O encerramento da temporada 3 foi lindo....mas o início da temporada 4...foi incrível....ou melhor foi completamente à altura da 4ª temporada.

Com orgulho da minha querida amiga,

meus parabéns!

Minha Terra disse...

Lindo texto Josi, bem escrito, objetivo e claro, idéias bem colocadas, nos dá perfeitamente uma idéia do que estava por vir nesta temporada em termos de episódios e as histórias contadas. Muitas coisas começam a se esclarecerem, no que se refere a mitologia. As fotos que colocastes, aquelas que formam uma composição, e todas enfim estão ótimas. Parabéns!

Priscila disse...

Coisa linda seu post... pura e simplesmente.

Ainda não acabei de ver a série, mas fico em dúvida se até agora gostei mais da 4a ou da 5a temp... São as temporadas que tem a maior quantidade de episódios excelentes... a 4a temp só tem clássicos: os mitológicos são ótimos (especialmente o do final da temporada, início da melhor trilogia da série), e não mitológicos segue a lista: Unhure, The field where I died, Home, Paper Hearts, Never Again, Small potatoes, Elegia, Demons, nossa... todos episódios primorosos. E sim, a cereja do bolo Memento Mori dispensa comentários...

Conhecemos melhor ainda M&S, especialmente as fragilidades de ambos, nos angustiamos e sofremos junto com eles, mas tb rimos (como em Small Potatoes) e temos esperança...

Aguardamos os comentários preciosos que serão feitos sobre esta temporada tão especial.

Bjos

- Cherry and Bubbles - disse...

Uhu!! \o/
Amo o blog de vcs!! Os posts são sempre sensacionais!!

Estou com blog novo:
http://cherryandbubbles.blogspot.com/
Venham conhecer e seguirem se quiserem!

Bejins;
Freak Gril

Josilene disse...

Olá, gente!

Anos depois (hauha) venho aqui agradecer pelo carinho de vcs! Tks!

O fato é que a 4temp é boa demais, sô! É fácil escrever sobre ela! :D

Enfim... eu tb não sei se a quinta ou a quarta que é a melhor... sei lá... eu sempre fico na dúvida. :)

Bjis bjins!

Elizabeth disse...

É a temporada perfeita, na minha modesta opinião: tem eps para todos os gostos, shippers, excers, mitologia, humor de várias cores, desgraças e até o ep em que o par de protagonistas não aparece, o Musings of a cigarrete man, consegue ser tão primoroso quanto os outros. CC e sua trupe conseguiram atingir o ápice técnico, bem como DD e GA, com suas interpretações perfeitas. Eles estão tão lindos... até conseguiram, enfim, acertar o cabelo da GA. Mulder e Scully continuam workaholics incorrigíveis e cada vez mais unidos, como mostrado na segunda parte dessa temp. A série ficou tão boa que deve ter sido mesmo muito difícil CC manter esse nível. Pena.

Josilene disse...

A quarta temp é mesmo primorosa... mas eu tenho dificuldades em saber se gosto mais da quarta ou da quinta... sempre sai no empate. rs