quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

04x13 - Never Again (Nunca mais)

Direção: Rob Bowman
Roteiro: Glen Morgan & James Wong

Resumo: Scully tem uma crise existencial, faz uma tatuagem, dorme na casa de um estranho e deixa o Mulder (pela primeira vez) sem palavras. (by Star)



Comentários:

[Starbuck] "Tudo isso por que eu não te dei uma escrivaninha?" - É por essas e outras que AMOOOO o Mulder... o cara consegue, né??? ele consegue se superar!!!!

Never Again é um episódio corajoso (tentei encontrar outra palavra, mas..). Já no teaser fica claro que algo estranho acontece, Scully está entediada e ausente. E nunca a tínhamos visto assim. Ela pode não concordar com as teorias do Mulder, pode ficar irritada com ele, mas NUNCA fica ausente (e nunca escrevi tanto "nunca").

Por que não tenho uma escrivaninha???






M:Sempre achei que aquela área era a sua.
S: Lá no fundo...

ok. Teremos outra escrivaninha e não sobrará lugar para andar, mas ficaremos cara a cara. Dá para jogar batalha naval.




Nesse episódio acredito que pela primeira vez a Scully se permitiu pensar sobre a sua relação com o Mulder. E diria até que ela compreendeu mais do que poderia compreender naquela fase do relacionamento deles (ainda não estamos em ALL THINGS). Então, o entendimento de que havia algo mais (bem mais) e a angústia de que não existia uma forma de tornar isso realidade sem se perder muita coisa (tinha o lance da amizade, da forma como o Mulder leva a vida, dele viver num mundo à parte ownnn) fez com que a ruiva surtasse. O comportamento do Mulder nesse episódio continua da mesma forma: ele é mandão, ele entra num universo paralelo quando está num caso, ele quer resultados, ele a quer por perto, ele quer estar ciente de cada passo dela... Enfim, isso é ser Mulder. Mas a raiva da Scully (que Freud não volte dos mortos para me matar) é justamente ela ter entendido antes dele que a amizade colorida há tempos tinha virado algo bem maior... E como ela não podia falar nada, ela fez o que geralmente as pessoas fazem: BESTEIRA rs rs .

"Eu não vou.."






M: Como assim? *tadinho... acho que NUNCA (olha a palavra novamente) ele pensou que ela diria NÃO para ele!*.
S: Seu contato, apesar de interessante num contexto de ficção científica, estava, que eu me lembre, narrando um resumo malfeito de um episódio do desenho Alceu e Dentinho. * ai... essa doeu... *
S: Até parece que você é meu superior... (ok.. e alguém ainda pensava que o relacionamento deles era de amigos? Essa discussão foi... sei lá.. foi... HOT!)

Olha só... agora vem a explicação do motivo de colocar o adjetivo "corajoso" para esse episódio. Pois bem, a Scully era vista como o personagem feminino mais forte que já havia existido na TV, era independente, não ficava se lamentando como algumas mulheres e homens, nem resumia todo romantismo da vida a um buquê de flores e a um "I love you". E... Glen Morgan e James Wong colocaram-na como uma pessoa forte, mas também como uma pessoa de verdade. Porque pessoas de verdade se sentem perdidas, incompletas e fazem merda... e isso é o que mais gosto nesse episódio: ver essa nova nuance da Scully.

M: Talvez seja bom nos separarmos um pouco. (se ele soubesse como iria se arrepender de ter falado isso rs rs ).

Agora vejam o olhar da Scully ao final dessa cena... e ele a olhando antes de partir... sim.. o Mulder pode viver a procura de homenzinhos verdes (que, na verdade, são cinzas), mas ele saca as coisas...

*ah..f-se o amor intelectual.. um homem com esse cabelo e esse olhar merece ser perdoado... coloca uma música de novela mexicana aí e deixa a Scully correr para o abraço afff... *

O Ed Jerse é um LOOSER... um grandíssimo PERDEDOR, que usa até a personificação da Tatuagem (com a voz da Jodie Foster) para ser capaz de cometer seus crimes medíocres. "Mesmo uma testemunha-de-Jeová não quer perder tempo com você." he he he... Nesse momento, fiquei fã da tatuagem... (só nesse momento).

Eu acredito (outra palavra q estou usando muito aff) que a Scully só foi se encontrar com o Ed depois da provocação do Mulder ao telefone ("Y-you’re kidding")... E aquela conversa dela lá na boate com o Ed foi meio ... estranha. Primeiro ela diz aquilo que mesmo não sendo Freud, nem o Cança, a gente já tinha sacado, ou seja, ela adora lidar com uma figura controladora (e isso diz muito, muito mesmo rs rs). Depois fala que sente como se vivesse em círculos. Agora a pergunta que não quer calar: E QUEM NÃO VIVE EM CÍRCULOS??

* atende.. atende...*






*bom... cadê a música da novela mexicana de novo..quem resiste a essa carinha do Mulder?? ruivaaaaaaaaaaaaaaa.. cadê você???*



Não vou colocar nenhuma imagem do momento da tatuagem porque fico constrangida. rs rs... Não entendo aquelas cara da Gil... ops... Scully.

Uma pergunta: se ela "ficou" com o cara, por que ele dormiu no sofá?

Eu acho que o CC não permitiu ao Wong&Morgan insinuar muita coisa... Então, ele pensou... deixa assim. Pode ser, pode não ser... bem XF... Mas, uma coisa é certa: o Mulder achou que aconteceu...YEAHHHHHHHHHH... (Tadinho)

Eu acredito que não aconteceu nada, mesmo ela estando sob o efeito do alucinógeno, pois como o Mulder fala na cena final, a quantidade de alucinógeno que foi detectado no sangue do Ed, por exemplo, não era suficiente para ele cometer tais crimes, havia algo mais... Logo, a Scully tava pirada e com muita raiva (o que é uma "paixão" recolhida, hein?)... mas, talvez tenha só enchido a cara e caído na cama do doido...

Não gosto desse personagem Ed Jerse, nem desse ator, acho-o... sei lá... meio bobão.

A Gillian e o David estão lindos nesse episódio...

Entendendo que fez uma grande burrada.






Ligando para o Mulder, mas se arrependendo... Imagina ter que admitir que fez uma grande burrada e ainda ter que falar os motivos que a levaram a fazer?



*Scully se preparando para a sequência scully-fu*





Ok.. Depois de toda essa jornada rumo a tatuagem da cobra-engolindo-a-cobra, temos um dos silêncios mais significativos de XF:
M:Tudo isso porque eu não te dei uma escrivaninha?
S:Nem tudo é por sua causa, Mulder. Essa é a minha vida. *podia ter ficado sem essa, narigudo rs rs *

M: Sim.. mas... (e eis aquilo que parecia impossível: mulder mudo!)





[/Starbuck]

[Fagner] Nunca mais é fantástico! Scully Às vezes tem que tirar uma folga de Mulder! Putz, quando o cara quer ser chato exagera! Adoro ela fazendo a tatuagem, um orobóros, ela faz umas caras meio de prazer e dor, como se ela gostasse de um certo masoquismo; como ela revela para Ed Jerse, que sempre teve homens dando ordens à ela, ela sempre gostou disso inconscientemente.

Não fica claro se eles realmente dormiram juntos, acalmem-se shippers, mas creio que sim... um casal desimpedido... sozinhos em casa, os dois partilhando a fossa... Mas foi bom pra ruiva, ela precisava!

O que é o final?! Adoro a frase: "Nem tudo gira ao seu redor Mulder". E o alto: "Mas é... que..." Muito bom a cara de tacho de Mulder, levou um corte daqueles! Podia dormir sem essa!!! [/Fagner]

[Josi] Realmente, a Scully nunca teve um espaço físico ali. Só tinha o nome dele na porta e na mesa. Bom, não acredito que isso os preocupasse de verdade. Mas isso não faz com que ela não tenha razão. Talvez o medo dela tenha feito com que ela visse essas coisas... errr... mesquinhas? Talvez...

Sabe... Eu acho que para uma cientista não há um lugar melhor do que aquele em que a Scully estava ao lado de Mulder nos Arquivos X... talvez ficou ruim porque ela realmente não conseguiu provar nada do que queria ali... e certamente não era que o Mulder estava errado.

Imagine se ela conseguisse uma prova das coisas que eles viam? Seria uma revolução na ciência! Ou no mínimo uma descoberta muito interessante.

O papel dela ali era este mesmo... oferecer um contraponto cientifico aos casos. E certamente isso dava um novo sentido às investigações do Mulder, já que ele viajava legal nas teorias dele e só depois as ia refinando com as respostas científicas da Scully...

Eu acho q em Never Again ela e ele estavam birrentos... cada um por seu motivo, sendo o dela bem mais significante...

Entretanto, dá pra entender a melancolia da Scully... sei lá... tem dias que a gente tá assim também. Como há dias em que também estamos como o Mulder (apesar de neste dia, talvez pelas férias forçadas, ele estar excepcionalmente menos do que deslumbrante...) querendo dar foras e respostas tortas pra todo mundo.

Olha a postura do homem!
ADORO! Mas sabe quando você está daquele jeito... hipersensível? quando qualquer coisinha te irrita? pois é... e Mulder está especialmente irritante neste dia... lembrem-se, o obrigaram a tirar férias!

"M: Talvez seja bom nos separarmos um pouco." - Own... eles iam dar um tempo na relação!

Quanto a Ed Jerse... baixa autoestima ali não era pouca não. Agora vejam bem. Este homem, como a Scully, também procurava um meio de mostrar que pode mandar em algo... controlar algo... mas, diferente da Scully, até a atitude dele (violência) é tomada através de "outra pessoa". Vixe...

Bom, a gente sabe que Mulder estava ligando por causa do caso né? Sabe quando ELA tirou uma folga (Chinga)? Ele ligava pelo caso também... ;) Imagina só... o cara sai do home dele (o escritório era o home dele antes de IWTB!) e deixa a... a... a pedra fundamental dele "perdida". Tinha que ficar de olho!

Quase morri de rir quando o Mulder diz que o lugar para onde ele ia era pessoal, que ele iria a um lugar pra tentar descobrir quem ele era... ele fala isso bem sério. Depois liga pra Scully da casa do Elvis dizendo que estava naquele lugar especial!
Ok, Mulder! o.O

Claaaaaaaro que ela foi atrás do cara por causa do Mulder!!!

M: "Por que? Por acaso você tem um encontro?" - Tipo, até parece que você tem algo melhor pra fazer... A Scully tinha que tomar uma atitude, não é? (claro que não... mas ela não estava com muita disposição pra pensar. Se ela começasse a ponderar, ela poderia lembrar de... de Leonard Betts - Eu não ligo pra quando foi filmado. O fato é que este episódio foi ao ar depois de LB. Hunf!).

"Ela adora lidar com uma figura controladora" - Muitas fics devem ter nascido neste momento das mentes pervs de muitos fãs...

"Mulder, a quanto tempo você não sai com alguém" (Rain King) - Scully, a especialista.





Olha... o CC é mau mesmo... naquela altura do campeonato, colocar a Scully com outro cara e ainda por cima com suspeitas de uma doença gravíssima... é pra matar os shippers.

Gente! A Scully pode estar como for... mas ela jamais deixaria de atender a uma chamada do Mulder. A não ser que ela esteja em apuros... vide En Ami. Por isso, o pobre fica doido. Acho que ele pensou... "por que eu não a mandei pra casa? por que eu deixei que ela fosse brincar sozinha por aí?"

Ele foi buscar o café... own... ele achou mesmo que a sorte dele iria mudar tanto? Cai da cama e acorda, meu filho! A Scully já tem o narigudo dela.



Falando sério, eu não acredito que ela tenha dormido com ele... 1. Ele dorme no sofá. 2. Ela acorda vestida...

Se ela dormiu com o cara, então deve ter sido uma experiência muito ruim pra ela expulsar o cara do quarto e mandá-lo dormir no sofá! E ainda por cima na casa dele!

Que ela deu uns pegas nele é certo, afinal aquele beijo foi bem claro... Mas daí a dormir com ele... eu acho que não... Antes eu tinha certeza que sim (e eu amava taaaanto essa idéia)... mas quando assisti de novo percebi que o cara acorda no sofá e ela acorda na cama meio vestida... Ou seja...

Agora, a baixinha tem um poder de persuasão que Deus me livre... o cara preferiu meter o braço dentro de um forno a machucá-la?

"Eu vou fazer uma tatuagem do Knicks no bumbum..." - Momento "eu perco o amigo mas não perco a piada..."




Nesta hora, ele deve ter pensado... "ops, lá vem coisa". Ele não estaria errado...





O interessante mesmo não é o Mulder ter ficado calado no final... ele poderia ter ficado calado por diversas razões como ele já ficou antes muitas vezes. O fato é que ele TENTOU falar. Ele tentou dizer algo, mas não pôde... ou não achou que fosse conveniente.

Mas vamos combinar que deixar Mulder sem palavras é uma tarefa muito difícil... [/Josi]

Agora, Mulder disse que uma outra mesa deixaria o escritório apertado não foi isso?! Mas notem que na era do Xerifão (me permita, Star) ele tinha sua própria mesa não tinha?! [Iandra]

[Ariana] Este episódio é um dos meus preferidos!

Muitas vezes já discorremos a respeito da personalidade e sentimentos reprimidos da Scully e sua dificuldade em externá-los, o que muitas vezes nos faz questionar seus motivos, intenções. É o tipo de pessoa que justamente por meio daquilo que não revela, mas oculta, a percebemos. Mas neste episódio somos apresentados a um novo aspecto de sua personalidade, uma nova perspectiva que não agradou a todos que viram. Afinal, não condizia muito com a Scully a qual fomos apresentados e passamos a conhecer ao longo da série. Realmente, é uma Scully diferente daquela que nos acostumamos a ver naquelas felizes noites de sexta-feira... Mas quem de nós não possui uma personalidade diversificada, com seus segredos... as suas três faces de Eva (que geralmente não são apenas três)? Ela fugiu disso e é o que torna a personagem tão rica, tão fantástica! Adoro vê-la nesses momentos de crise, se expondo, mostrando lados que nunca imaginamos a seu respeito, suas neuroses... como qualquer outro ser humano. E se tem algo que aprendemos é que justamente nestes momentos de crise, ela se revela, como aconteceu em Irresistível, em Lembranças Finais, em Emily, em Todas as Coisas, dentre os que me lembro.

Gosto muito deste início, quando ela e o Mulder estão interrogando o suspeito (não lembro de nomes) e ela não disfarça a completa ausência em relação ao que se passa, prestando atenção a uma pétala de flor depositada no monumento aos soldados mortos, que ela pega e se detém a observar mais do que seria conveniente, como se nada mais existisse.

E de volta ao porão... ela olha tudo ao redor como se nunca tivesse visto, tudo ali denuncia o Mulder, tudo tem sua marca e ela... tem o cantinho no fundo do porão!



Eis que ele chega... Sequer a vê, segue falando sem parar, aliás, dando instruções sobre o que ela deve fazer em sua ausência. Naquela que será sua jornada de descoberta espiritual. Como se não fosse suficiente, ainda faz piadinha (sem graça) sobre ela questionar o fato de não ter sequer uma mesa! Definitivamente, o Mulder merece uma chacoalhada de vez em quando! Aqui ele está especialmente irritante. Se não fosse tão estupendamente fofíssimo, merecia um chute bem lá! Opa! Esse não é o tamanho dele não! Scully agora sabe... Rsrsrsrs...

Mas quem disse que ele consegue ficar longe dela? Mal saiu e já ta lá doidinho, fazendo malabarismos para conseguir ouvir o som da voz da ruiva-baixinha-ciumenta-que-faz-autópsias!


Querido, essa posição é perigosa!






Momento que merece ser lembrado sempre: Mulder, com saudades imensas novamente, ligando da casa do Elvis assim...




Novamente ele mereceu o fora que levou, da irada Scully, ao perguntar ironicamente se ela tinha um encontro. E o que jamais pode ser ignorado... Incorporando Elvis! De acordo com algumas pessoas, isso se chama encosto e tem até sabonetinho pra tirar de tu! KKKKKKKKKKKKKKK

Quem gosta de ler as mensagens corporais, leia... Sem língua, heim, Scully? O Ed viu suas amídalas!




Mordendo o canudinho... Pra bom entendedor... A muié tava no ponto!





Outra coisa inédita foi o enfoque dado a até então inexistente sexualidade da Scully! Infelizmente com Ed Jerse... KKKKKKKKKKKKK... Podemos ver isso claramente na cena em que ela faz a tatuagem, no misto de prazer e dor expressos por ela. Aqui esqueça o que eu disse sobre dor! KKKKKKKKKK

Mulder preocupado...






Querido mais do que preocupado!






Como se não bastasse, chegar com a cara roxa no trabalho! O que é pior, este olhar ou o comentário que se segue?
Como se fosse apenas um... Sinceramente, sinto por ela nesta hora.


Pior é minha mãe, que sempre fica com peninha do Mulder, no final. E eu digo: "Como assim??? Ele mereceu essa da Scully! Vai ser egocêntrico assim lá na casa do chapéu!!!!"
Pô, perguntar se tudo isso é porque ele não lhe deu uma escrivaninha!
PLÁH no Mulder essa hora!

Mas nada se compara à distância entre Mulder e Scully neste episódio, algo que nunca vimos com tamanha intensidade. Nunca uma mesa separou tanto duas pessoas...


Se bem que a Gilly disse que ao filmar este episódio, não sabia que ela estava com câncer, tendo em vista que ele foi escrito inicialmente para ir ao ar antes do episódio do Betts. [/Ariana]

Quotes:

Mulder: Recusa uma missão por causa das aventuras de um alce e um esquilo?
Scully: Recuso uma missão? Até parece que é meu superior!
Mulder: Como quiser. Não vá. Mas lembre-se: dei duro para reabrir estes casos! Acabou de ser designada. Este trabalho é minha vida.

Scully: Que agora virou a minha.
Mulder: E queria que não fosse?
Scully: A questão aqui não é você. Talvez seja, indiretamente. Não sei. Me sinto perdida, Mulder. É difícil ver, pior ainda achar algo na escuridão de locais sigilosos. Queria poder dizer que andamos em círculos, mas não. Andamos numa trilha infinita. Dois passos para frente, três para trás, enquanto a minha própria vida fica parada.

Mulder: Talvez seja bom nos separarmos um pouco.







Outras Imagens de Never Again:

Ed Jerse, o psicótico.

A tatuagem do Ed

Bonita ou o quê?

Criatura irritante. :P

A tatuagem da Scully

Eu também, Scully... Eu também.

14 comentários:

Nina disse...

Eu ADORO Never Again e um dos motivos é exatamente porque aqui a gente descobre que a Scully não é tão passiva-agressiva como a gente sempre achou que ela fosse e o outro motivo é porque é Never Again. Sério, tá entre um dos meus episódios preferidos da quarta temporada: a gente tem a Gillian mais maravilhosa, o Mulder um JERK e a Scully totalmente BITCH! O quê mais a gente poderia pedir do CC?! Claro também tem o fato da existência do Ed Jerse. ODEIO o Ed Jerse. Acho até que eu vou criar um grupo no facebook com esse nome: Odiamos o Ed Jerse. Gosto do fato que a Scully finalmente resolve se rebelar um pouco contra toda aquela possessividade que o Mulder tem com ela às vezes..ele tava merecendo isso. Pontos altos do episódios são, claro, as conversas e interações entre os dois. Acho que a conversa do início e a do final mostrou pra nós shippers que a Scully é um tico mais rápida do que o Mulder em perceber certas coisas sobre o relacionamento deles. vou falar: tenho vergonha alheia da Scully na hora que ela tá fazendo a tatuagem! HAHAHAHAHHA. E pra terminar, a conversa do final do episódio foi UM TAPA NA CARA DA SOCIEDADE! Já devo ter lido umas milhões de fics que começam exatamente a partir daquele momento. Enfim, adorei os comentários e amo o episódio. :)

janaX disse...

Oi gente!Acho que vão me matar mais preciso dizer:não gosto de Never Again!Poderia usar linhas e linhas me explicando do porquê de não gostar,mais não o farei.Acho que eles estão muito diferentes do que realmente são e esse é apenas um dos motivos de eu não gostar desse ep!E ainda de quebra ainda temos que aturar a Gillian namorando o carinha que fez o tal Ed Jersey,o que não faz um casamento escondido de um certo co-estar...O que me deixa feliz é que pelas minhas contas o próximo ep é Tempus Fugit...AMO!!!!UM beijão pessoal e até...

janaX disse...

Desculpe,primeiro ainda temos Memento Mori, aiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!Será que eu aguento?Eu quis dizer star,sorry!Bj Josi e cia,até...

claudia carini disse...

Concordo com a Nina que a Scully, assim como todas nós mulheres, percebeu primeiro que já havia muito mais que amizade entre eles. E do lado dos homens, temos um Mulder totalmente convencido de que ela sempre estará asua disposição, mas ao mesmo tempo não dá o braço a torcer e a agarra logo e lhe "tasca um beijo" naquele porão. kkkk Me desculpem, empolguei. Não gosto deste episódio, mas se é arquivo X, sabe como é, não perco nada.
Lembro quando passei em frente a um tipo de livraria/sebo na cidade e vi aquela única revista usada Rolling Stone com o DA & GA na cama na capa, quase pirei. Comprei na hora. Crazy Shipper é assim. Um abraço a todas e esperando a próxima postagem.

Tássia disse...

Eu adoro Never Again, acho um episódio fantástico! Adoro ver esse outro lado da Scully, ou como eu chamo: a Scully rebelde! kkkkkkkkk. E eu tb acho que a descoberta do câncer no ep anterior (sim, eu sei que foi gravado depois, mas o que importa é a ordem que foi ao ar! humpf *a la Josi*) influenciou nas atitudes dela. E o Mulder mereceu uma dessas pra ver se acoradava pra vida. E eu tb acho que não rolou entre ela e o Ed boboca por todos os motivos já citados pela Josi!:) Enfim, amo esse epi e a Gillian e o David deram um show, a cena final mexe muito comigo!

Josilene disse...

Gosto desse ep, apesar dos pesares... e sim, mulder tava precisando de um chega pra lá da scully. :)

Sabe... eu não chego a odiar o Ed não... eu acho que ele é um pobre coitado, fraco... doente... enfim... tomara que apodreça na cadeia. hihihi (mas não odeio, heim?)

E jana... antes de Tempus Fugit ainda tem outro ep além de MM. rs

Beijos, pessoas!

Elizabeth disse...

Acho esse ep muito legal, assim como todos aqueles em que a fria e cerebral Scully dá uma pirada ou chilique. Os roteiristas poderiam ter ousado mais aqui e mostrado que aquela cabeça ruiva poderosa tb tem um corpo, que sente dor, prazer e não está á disposição do Mumu o tempo todo. Afinal, se ele transou com uma vampira fake, porque a Scully não poderia fazer o mesmo com um looser que ouve tatuagem. Mais AX, impossível!!!
PS. Jodie Foster dublando a tattoo bitch do Ed é um show á parte.

Josilene disse...

Tb acho que Scully merecia uma "ficada", Elizabeth! kkkkkkkkk Por anos, antes de eu ter os boxes da série, eu me entreti com a idéia de que ela tivesse ido um pouco mais além com o Ed aí... mas... as evidências provas o contrário... :/
Enfim... gosto de pensar, que, diferente de mulder (com a historia da vampira), scully se mostrou mais precavida ao não ir tão longe com um cara apenas pra... sei lá... esquecer dos problemas... :)

Ninni disse...

Oi gente, esse blog tem mor tempo desde 2008 visse né.mas eu so começei a acompanhar-lo agora . nao agora agora mesmo a alguns tres ou dois dias antes. Pois é um estava eu fuçando atras de alguma coisa interessante e olhe só achei. Parabéns para a equipe, porq eu ja percebi que tem uma equipe ou moderadores mto bacana realmente fãs. ^.^ Ansiosíssima!!!!!! para o pxmo post. Thau.
ninni

Josilene disse...

Obrigada, Ninni!

Bom, infelizmente, agora é apenas euzinha aqui. As outras meninas tiveram que dar uma pausa, por isso a demora nas postagens nos últimos tempos... maaas... o importante é continuar. rs

Beijos!

Milene Nascimento disse...

Josinha (OLHA SÓ A INTIMIDADE RSRSRSR) vc pode até demorar a postar nós te entendemos. Mais quero que saiba que vc nos deixa muito feliz por não desistir de postar. beijos! Já conheço o Blogger faz um tempinho mais pouco posto por aqui, mais amooooo muitoooooooooo tudo isso.

Elizabeth disse...

Tô com a Milene, esperar vale a pena pq vc sempre escreve textos muito caprichados, sensíveis e que fazem com que se aprecie AX sem pressa, curtindo o ótimo trabalho que o CC e seu bando fizeram. Go go Josi!!!

Josilene disse...

oooownnn! Obrigada, meninas! Vcs são super fofas! *.*

Uzenildo Mandú disse...

Esse Blog ainda está ativo ? Gostei muito dos textos.