quarta-feira, 2 de março de 2016

10x06 - My Struggle II (Minha Luta II) Reviews



Direção: Chris Carter
Roteiro: Chris Carter

Resumo: A epidemia da qual Tad O'Malley vinha avisando começa a se tornar realidade. As agentes Scully e Einstein buscam uma cura, enquanto Miller procura por Mulder que saiu para encontrar com seu pior inimigo.




Comentários

[Josi] Último episódio da décima temporada. E, pelo menos para mim, este season finale fica no mesmo nível de qualidade de qualquer outro de Arquivo X. Nos deixa loucos enquanto assistimos e boquiabertos no final.

Seguindo com a mitologia, os eventos deste episódio se passam cerca de seis semanas depois de My Struggle. Tad O’Malley voltou ao ar e eu ando muito curiosa pra saber onde ele consegue tantas informações. Ele aparece com a novidade de que todo o plano ia ser posto em ação, mas antes que ele pudesse falar com Mulder, este já havia sido encontrado por alguém mais impactante.

Vinte e três se passaram e Mulder ainda some para fazer maluquices que ele sabe que Scully desaprovaria. Lembro dele em “Redux II”:
Scully: “Se você já tinha tomado sua decisão, por que veio até aqui?”
Mulder: “Porque eu sabia que você me faria mudar de ideia se eu estivesse errado”

Fofos. Desta vez, Mulder sabia bem que estava errado mas ele não estava interessado em ouvir o julgamento de Scully. Ele tinha que olhar na cara do Canceroso e fingir que teria coragem de matar alguém a sangue frio. Scully, por sua vez, fica louca de preocupação. Não apenas com Mulder mas também com as alegações perigosas de O’Malley.

Sei que muitos não gostam da adição dos novos agentes e repetindo o que eu disse no meu review passado, eu também estava mais do que pronta para odiá-los com a força de mil sóis. Mas o fato é que eles são uma bela mão na roda. Com Mulder e Scully cada um ocupado com suas próprias cruzadas, outras funções podem ser ocupadas por esses dois jovens agentes. Especialmente agora que não temos mais os Pistoleiros para ajudá-los. E deixa eu dizer uma coisa... acho fofo que Skinner tenha arrumado outros Mulder e Scully para chamar de seus. Kkkkkk

Particularmente não vejo muita diferença em Einstein e em Scully em seus momentos mais céticos. Einstein perde por não ter mais desenvolvimento e ganha no fato de não termos tempo para perder com seu ceticismo ou nela de fato. Gosto do freio que Skinner põe nela, nos salva um tempo precioso. Também gosto que ela para de duvidar quando é preciso e passa a realmente ajudar Scully. E foi realmente uma boa ajuda pois Scully precisava de um pouco de ceticismo e um desafio para colocar suas ideias em ordem também.

Quando elas estão no hospital, o tal vírus que O’Malley fala começa a dar suas caras e a coisa só piora. Segundo o que eu pude entender, algumas pessoas foram marcadas para sobreviver a este apocalipse e talvez não tenha muito a ver com quem foi abduzido ou não ou quem foi exposto ao tal vírus. Afinal, todos receberam a tal vacina contra varíola. Enfim... não sei. Espero respostas. Mesmo porque Tad fala que também tem o vírus alien e lá estava ele no final do episódio todo ferrado.

Quando Scully e Einstein estão mais perdidas do que nunca, cheias de dúvidas e os casos de pessoas infectadas só aumenta, alguém do passado liga para Scully: Monica Reyes. E com ela, vem uma grande decepção.  Pelo menos esta é a primeira impressão que temos e, honestamente, só nosso carinho pelo passado nos faz queimar os neurônios pensando numa boa desculpa para ela ter ido trabalhar para aquele monstro. A desculpa que eu arrumei é: ela não ir não faria bem algum e só resultaria em sua morte. Ela estando ali perto, poderia ser alguém de olho nos planos do Canceroso e no momento oportuno, ela poderia ajudar a desmascará-lo. Talvez ela tenha esperado tempo demais. Talvez ela não tenha tido outra oportunidade até aquele momento.

De qualquer forma, as informações de Monica são de grande valia para Scully. Ela volta para o hospital e com a ajuda de Einstein, consegue desenvolver uma cura para o tal vírus Spartan (Notaram que o nome da cidade onde o Cança está tem um nome parecido com o do vírus? Kkkk).

Enquanto elas trabalham com isso, Miller sai em busca de Mulder. Algo que não lhe deu tanto trabalho assim pois ele rapidinho achou um aplicativo de rastreio de celular configurado para encontrar o de Mulder.

Vamos então ao encontro de Mulder com o papai Cança. Sempre que Mulder se encontra com esse homem é tipo ele morto de raiva com uma arma na cara do outro... mas nunca dá em nada além de frustração para Mulder. Pô, amor! Pelo menos sai na maior como Skinner fez. Dá um sustão na cara daquele babacão. Bom, pelo menos ele riu da cara dele. Ele se tornou um monstro bem antes de sua deformação, o que por si só não depõe contra o caráter de ninguém. Rs

Será que o Canceroso ia deixar Mulder morrer ali e depois despachar o corpo pra Scully pelos correios? Tudo é possível com esse aí. O fato é que Miller chega e leva nosso querido ainda vivo para Scully.

Ei, acho que a FOX já entendeu que não dá pra fazer mais Arquivo X com outros agentes que não sejam Mulder e Scully, né? Posso parar de fingir que odeio os novos agentes? Eles são fofos. Rs

Nesse ponto, Scully já desenvolveu uma vacina com seu DNA. Para quem está duvidando da ciência disso tudo: vocês por acaso já lidaram com DNA desse tipo específico de alien? Sabem de sua eficiência? Então pronto. Shiu.

Miller, então, leva Mulder até Scully e a cura, a qual ele também precisa. Rapidamente Scully percebe que a doença de Mulder está num estado mais avançado que ela imaginava e a cura que ela tem em mãos pode não ser o suficiente para ele. A solução: usar células-tronco de seu filho. Agora achar William é mais do que necessário.

Bem nesse momento, uma nave semelhante a que Mulder viu no primeiro episódio aparece sobre a ponte onde eles estavam e uma luz brilha bem acima de Scully. Isso é algo sem precedentes em Arquivo X: uma nave a vista de uma multidão de pessoas que podem e devem estar gravando tudo.

Assim termina o episódio nos deixando cheios de perguntas: Por que Scully está imune e Mulder não? Como eles vão encontrar William a tempo? Como fica Mulder até lá? Como vai ser o futuro com a população inteira possuindo DNA alien? Será que este DNA não será prejudicial às pessoas ao ponto de torná-las exatamente o que os colonizadores esperavam? Será que Mulder e O’Malley estão certos e os aliens não estão mesmo envolvidos nisso tudo? Como vamos sobreviver até a próxima temporada? ONDE ESTÁ NOSSA CONFIRMAÇÃO PARA UMA NOVA TEMPORADA??? [/Josi]


[Cleide] Bom, chegamos ao season finale dessa aventura louca que pra falar a verdade, vou ter de assistir tudo devagar para captar os detalhes perfeitamente. Foi um presente, há muita gente azeda que se diz fã fazendo críticas tão azedas quanto eles. Mas se me permitem, com a autoridade de quem ama a série clássica e tem acompanhado (e escrito sobre ela, né Josi, mesmo quando ninguém mais importava), para mim a temporada nova reviveu SIM o clima do passado, e melhor, soube inteligentemente repaginar as histórias em consonância com a contemporaneidade. Foi criativa, original, e nos trouxe situações que só são possíveis no universo da série e só são verossímeis em Arquivo X, nenhuma série conseguiu recriar ou copiar esse clima, devido aos elementos criados neste universo próprio e bem escrito.

Dito isto, vamos ao Season Finale, o pessoal se chocou, horrorizou com o episódio sem fim – a série vai acabar assim? Mas até nisto Chris Carter nos fez reviver o passado... quem não roeu todas as unhas no final de “Gethsemane”. Com Scully entrando em estado terminal de câncer e Mulder supostamente se suicidando??? Meses e meses no vácuo esperando como seria o desfecho.

O teaser no mesmo modelo do episódio com foco no Mulder ficou lindíssimo, culminando com aquela cena sensascional de Scully virando um et que quase nos matou de susto esperando o episódio chegar...

Achei que foi bem amarrada a história apocalíptica na lógica desta temporada, apesar de concordar com quem diga que mudar a mitologia negando alguns elementos da antiga deixou um certo furo em algumas partes da história.

O reaparecimento do Cança e de Reyes foi um pouco frustrante... não haveria como reconstruir o rosto daquele traste, pois não só o rosto, mas o corpo foi desmaterializado por um míssil... seria mais crível se dissessem que usaram uma tecnologia alienígena séculos à frente, mas vá lá, quiseram ressuscitar o “Darth Vader” de Mulder, e é sempre bom ver os dois interagindo, ele provocando e Mulder teimando. Sobre a Mônica, eu gostava dela, achava que a vida seria boa para ela, era uma moça idealista, leve, terminou bem arranjada com Dogget... em que planeta ela largaria tudo para ser empregada daquela besta?

Eu gostei um pouquinho mais da duplinha M&S mirim neste episódio, Einstein convencida pela credibilidade, maturidade e calma de Scully acabou sendo útil, e Miller não esperou um segundo nem titubeou em ir buscar Mulder que estava desaparecido.  Achei a ideia de finalmente um final apocalíptico na série, de todo mundo correndo, caos nas ruas, carros para todo lado, muito boa, afinal, isto sempre foi profetizado na série. Mas foi muito louco tudo começar por um capricho fútil do Cança.

A solução que deram ao DNA alien na Scully foi muito significativa, por mais louco que seja o Canceroso, ele preservou o que o filho dele mais amava no mundo, como uma esperança, mesmo pálida, de assim finalmente conseguir que ele lutasse do seu lado. Então, a abdução de Scully, o câncer, o chip, tudo mais tinha um sentido... eu me lembro de “One Breath” quando confrontado por Mulder ele responde que gostava de Scully, por isto a devolveu. Mulder, lógico, teimoso como uma mula, nunca aceitaria aliança ou ajuda dele, e assim se coloca no abismo perante a morte certa... o que é muito coerente com a trajetória do personagem.

O final da temporada nos deixou com todos elementos para pirarmos até seu desfecho: Scully tem a cura, mas Mulder está pior do que esperava, precisam achar William. Ela tem o antídoto, mas como curar o mundo todo em colapso? E finalmente, que nave é aquela que estaciona sobre eles? Final de deixar qualquer fã com adrenalina correndo solta no sangue, seja por raiva de Chis Carter, seja por ansiedade, desejando por mais! [/Cleide]


[Helena] Neste episódio que encerra a S.10, teremos a perspectiva da Scully.

O teaser remete aos acontecimentos do 1º episódio e passa para a narrativa da Scully de toda a trajetória dela nos AX até este momento, que eu chamo de início do fim e explicarei depois, detalhadamente, porque acredito nisto.

O episódio:

A Scully chega ao trabalho e não encontra o Mulder. Na mesa está um computador passando o programa do Mala, alarmista e paranóico como sempre e, o próprio liga para o escritório e chama-aela para a casa do Mulder, o qual desapareceu. Os dois discutem e a Scully chama a polícia para que, eu não sei.

No escritório, o Skinner e a Einstein também estão procurando o Mulder e a Scully solta “tenho medo que ele tema meu julgamento” sobre se ele está louco ou não. Estranho, há muito tempo pensei que já era irrefutável que meio pirado na batatinha, o Mulder é mesmo.

Quando a Scully fala das alegações do Mala, a Einstein deixa bem claro, sem qualquer comedimento, que pensa que a Scully também está louca, mas vai junto investigar no hospital onde a Scully trabalhava.

Muito antes das duas começarem a fazer os testes, já aparece gente com problemas sérios de saúde...

O Fofo, todo arrebentado, aparece dirigindo, e não atendendo o celular.

No hospital, a Scully, sem querer alarmar a Einstein, vai explicando como ela e mais milhares de pessoas foram inoculadas com DNA alienígena em procedimento rotineiro de vacinação. Por que alguém ficaria assustado com isso linda?

O Miller chega para reforçar as buscas pelo Mulder e mostra que em matéria de criar pânico, o Mala possui PhD. O médico que ele entrevista também colabora para “acalmar” as coisas: todo mundo vai morrer de alguma doença.

Tudo isto foi previsto em outras temporadas. Primeiro pessoas dos sistemas de saúde e segurança vão adoecer e morrer, depois outros responsáveis pelo funcionamento da sociedade, como fornecimento de água, luz, imprensa etc. Concordo com a Scully que é tudo plausível, mas não sei se noticiar isto na internet não pode agravar uma situação que já piora geometricamente.

Acabo entendendo o ceticismo da Einstein. Acreditar que o fim está tão próximo e não há nada que possa ser feito para impedir pode ser desesperador e paralisante.

O Miller localiza o Mulder pelo celular. Perguntinha básica: nem a Scully ou Skinner pensaram nisto?

No hospital, o cenário continua assustador.

Vou explicar agora o que escrevi anteriormente sobre este ser o início do fim.

Eu assisti a série Millennium e lembro como CC prenunciou o fim do mundo com pragas. Centenas de pessoas doentes, nenhuma resposta ou cura a vista e a esposa do protagonista Frank Black morre. Aquilo praticamente acabou com a série, só tivemos o Frank buscando vingança e destruir o grupo responsável por toda a catástrofe, inclusive a morte da esposa e a série acabou.

Acredito que em outra temporada, que a julgar pelo final, acredito que vai ter, vai ser retomada a procura por William e, agora tenho até medo do que vou escrever, Mulder ou Scully morre. CC não gosta de finais felizes. Se não houver tristeza e desalento, ele não encerra a série.

Voltando ao hospital, a Einstein tenta racionalizar tudo que está acontecendo e faz a Scully pensar. Neste momento, um telefonema inesperado leva a Scully a se encontrar com Monica Reyes. É revelado quem é a mulher misteriosa que cuidava do canceroso e estou com vontade de jogar alguma coisa na TV.

Que diabos CC estava pensando de mostrar a Monica passando para o lado do canceroso somente para se salvar? O cérebro dele foi abduzido! Só pode ser isto! A Monica foi sempre íntegra e combativa! Ela lutou pelos AX, encarou toda a cúpula do governo no julgamento do Mulder, arriscou a vida e... ficou com medinho?!?!

Certo, ela avisa a Scully que ambas estão entre os escolhidos para se salvarem. Não sei como a Scully não bateu nela com o guarda-chuva. Eu quero bater no CC! E ainda melhores notícias. O Canceroso ama o Mulder e mandou um homem oferecer um acordo.

Não sei se o cara entendeu as ordens errado ou se ficou com raiva do Mulder atacá-lo (quem manda ir entrando na casa dos outros daquele jeito?), mas eu achei que ele queria era matar o Fofo. Aliás, o Fofo aprendeu um pouquinho a lutar. Apanhou bastante, mas ganhou a briga com golpes dignos da Diva e foi encarar papai.

Papai Canceroso tenta convencer o Mulder que está certo. Bem, de certo modo, até concordo com ele, nós estamos fazendo um péssimo trabalho neste planeta. Só que não é o Canceroso que vai nos “salvar”. O Mulder faz exatamente aquilo que a verdadeira Monica Reyes, não a alucinação aberrante de CC, faria. Prefere enfrentar as conseqüências a fazer um acordo com alguém tão repulsivo.

O Mala continua dando as notícias alegres e no hospital a Scully e a Einstein tentam sintetizar uma vacina para o sistema imunológico das pessoas afetadas. Mas a amostra do DNA da Scully é insuficiente e a espiral dos contágios vai se tornando um furacão.

O Mala e a equipe continuam transmitindo notícias, embora todos já estejam gravemente doentes.

No hospital a Einstein vai ficando doente também, até que a Scully consegue sintetizar a medicação necessária e vai encontrar com o Mulder e o Miller. No caminho ela consegue conter a multidão que já estava pirando e manda todos irem para o hospital, onde receberiam ajuda.

Uma observação: ela é Diva, mas conter uma multidão assim? Forçaram a barra.

Quando finalmente encontra o Mulder e o Miller, ela percebe que o Mulder está bem pior do que ela imaginava e para animar as coisas chega uma nave espacial.

Não tivemos o To be continue, mas isto não me preocupa. CC adorava fazer isto vez ou outra no passado.

Por outro lado, me preocupa como CC gostava de encerrar uma série.

Agora pessoal dedos cruzados, muita calma, reviews do passado, comentários, troca de opiniões, debates e tudo mais, é o que vai nos ajudar a esperar pela S.11. [/Helena]


[Fernanda] Particularmente sofri mais por antecedência com Babylon do que com o season finale, tanto que perdi os 10 minutos iniciais na primeira vez (culpa da mudança de horário também). Não sabia exatamente o que esperar, e talvez fosse até uma espécie de autodefesa contra decepções que meu organismo desenvolveu a fim de evitar sofrimentos e lamúrias...rs

Dessa forma, assisti tranquilamente ao derradeiro episódio. Isso, até conferir no relógio que faltavam 5 minutos para terminar e que Scully ainda estava tentando chegar até Miller e Mulder  (que bela dupla sertaneja que daria heim?). Então, soou um alarme em minha cabeça que fez rápidas conexões sinápticas me levando até uma conclusão óbvia: Esse episódio vai terminar sem um fim! (oi?)

CC não apenas deixou pontas soltas que poderiam levar a uma nova temporada. Não! Ele deixou tudo aberto e arreganhado mesmo, não havendo outra possibilidade, em minha humilde visão, senão mais uma temporada.

Claro que, em se tratando de Carter e sua característica e sádica satisfação com o sofrimento do fandom, isso gerou pânico em uma cacetada de fãs e revolta em outra. Em outros tempos cansamos de testemunhar finais de temporadas exatamente assim, encerradas no meio do fuzuê e nem sempre tivemos um “to be continued”, lembram de The End (5ª temporada)? Na época não se sabia como seria dali em diante, havia o filme para estrear, o encerramento das gravações em Vancouver e nenhuma certeza sobre uma renovação para a 6ª temporada. E no fim, lá veio a sexta temporada, após uma grande mudança (de set, de atmosfera, de dinâmica etc), mas o fato é que veio.

Para mim, não restam dúvidas de que haverá a 11ª temporada. Tudo ruma para isso, as dicas (palavras de consolo) de DD nas redes sociais, o fim por si, as entrevistas de CC. Como sempre há muito mais acontecendo do que sabemos de fato, mesmo com a facilidade da vazão de informações que temos hoje. Como já disse em algum comentário, não me surpreenderia se nas próximas semanas houvesse alguma declaração oficial a respeito.

Sobre o episódio em si, não foi meu favorito, mas achei que a forma como terminou foi fantástica. As proporções que a coisa toda tomou, acho que nunca tivemos um cenário daquele tipo em AX, com as ruas abarrotadas de gente, as estradas paradas, o caos generalizado e a nave chegando de repente e pairando sobre uma ponte lotada de testemunhas. Fico um pouco receosa e ansiosa para saber como CC vai dar continuidade a isso, porque não é fácil não.

O desenrolar de My Struggle II que deixou um pouco a desejar para mim. Não me vi especialmente conectada aos fatos e não consegui me sentir emocionalmente ligada a toda aquela gente ficando doente e correndo contra o tempo, sei lá talvez tudo tenha ido um pouco rápido demais e muita conversa sobre DNA alienígena (algumas linhas em constante repetição), pequenas falhas aqui e ali. Gostei de ver a Monica, mas não nas circunstâncias que a reapresentaram. Para mim é como se ela tivesse sido rebaixada à uma Diana Fowley da vida. E poderiam ao menos ter citado o Doggão, afinal eles simplesmente se desligaram depois de tanta coisa? Um pouco triste.

Quanto à elite, da qual Scully (e Monica, por ocasião do acordo) faria parte por ser imune ao Spartan Virus, pensei em uma coisa ao assistir. Ela falou com a Agente Einstein sobre seu histórico – abdução, testes, câncer, cura miraculosa – que explicaria sua imunidade, mas lembrei de algo que aconteceu um pouco mais à frente. Lembrei de En Ami. Pode ser viagem minha, mas até hoje a gente não sabe ao certo o que o Cança queria levando Scully naquela roubada (ela era contato do tal Cobra mas ele nem a conhecia pessoalmente, o fumacinha podia ter levado qualquer mulher pra servir de bode), dopando-a e falando sobre a cura para todas as doenças do mundo. Pois Mulder passou por todo o ciclo também, fora uns extras e saiu de tudo mais humano que o zé da esquina. Enfim...divagações.

Sobre Einstein e Miller: simpatizo mais, fato! Inclusive com a Einstein. Não me importaria de revê-los em uma próxima temporada (até porque, eles estão no meio da coisa toda), só não me agrada a ideia de dedicarem um episódio só para eles. Com todo esse falatório e possibilidades, é bom deixar claro. Vai que o CC está lendo...

Adorei os efeitos com a fuça do Cança também. Uhhh, bizarro. Mas ainda não me convenceram de como ele sobreviveu a um míssil bem no meio cara.

E sobre Mulder e Scully, só tenho uma coisa a dizer: chora e sofre gente, porque além do CC ter, provavelmente deletado ou recusado a ideia deles se beijarem quando Scully reencontra Mulder doente (sim, há relatos dessa cena), ele também sumiu com a cena de Mulder dando um singelo beijo na bochecha (na bochecha gente) dela, quando eles se encontram no primeiro episódio. Pode isso produção? Pode tamanha maldade com a classe shipper?

Claro que pode...é Carter né! Às vezes acho que ele criou o Cança inspirado em si mesmo...tsc tsc.
Mas o amamos...no matter what (falando por mim né...rs). E, como vivemos de migalhas, ao menos tivemos as considerações entre Cança e Mulder sobre Scully e ele agradecendo pelo fato do fumacinha ter feito Scully realmente imune e a salvado. Own. Só a gente mesmo para viver com isso. O casal que a gente acompanha há 23 anos, que já têm um filho juntos, e mesmo assim a gente suspira com uma frase dessas. Onde mais você encontra um casal pra shippar assim?

E agora, é esperar e reassistir incansáveis vezes esse carinhoso presente que chamamos de 10ª temporada. Tenho certeza que em breve teremos boas notícias, acreditem!

Eu quero acreditar! ;) [/Fernanda]



[Ana Paula] Sério. Quando o episódio terminou, eu não sabia se queria dar um beijo ou bater no Chris Carter... Como é que ele me termina um season finale desse jeito? Sem certeza de uma nova temporada. Sem um ‘to be continued’. Sem uma cena pós-créditos!

A genialidade dele me assusta às vezes... Se for uma jogada de marketing, foi linda! Porque agora, todo mundo no mundo todo pre-ci-sa de uma continuação. Mas se por algum acaso do destino (que não acontecerá) uma 11ª temporada não vier, ele conseguiu reafirmar a série como um mito. Enfim, ainda é muita emoção envolvida.

O episódio foi corrido? Foi. Deu agonia com todas aquelas teses sobre DNA e vírus sendo recitadas às pressas? Deu. Ficou muito ilógico um paranoico como Mulder ter um rastreador de celular em sua área de trabalho?Ficou. Toda aquela catástrofe mundial pareceu acontecer muito rapidamente? Sim, pareceu.

Fora que a vacina foi elaborada tão facilmente que deu vontade de contratar Scully e Einstein para integrar uma pesquisa contra o Zika Vírus... Mas enfim, estamos falando da super Scully que vai salvar o mundo com seu DNA. E só pelo fato de ser ela, nós já perdoamos todos os furos.

Seis episódios são poucos para todas as questões que Arquivo X deixou em aberto. Fora que eles reinventaram a mitologia e ainda tiveram episódios que nada tinham a ver com ela.

Não que esse novo aspecto da conspiração não faça sentido. Na verdade toda a trama do Canceroso querendo dominar o mundo, dando uma de messias, encaixa com a mitologia e o conceito da série, onde mentiras encobrem mentiras. Só que talvez, um episódio duplo seria mais adequado para esse finale.

Isso quer dizer que eu não gostei do episódio? Pelo contrário... Eu amei!

CC muito safadamente aproveitou uma piada interna dos fãs da série para estruturar a nova mitologia. Sim, Scully é imortal! Ou pelo menos, imune ao vírus. Imaginem o peso da responsabilidade que caiu nos ombros da ruiva, ao perceber que ela poderia salvar todos os seres humanos da face da Terra!

E lá, na 9ª temporada, quando todo mundo achava que Mulder era especial e tinha passado o gene spooky para o William (que demonstrava poderes telecinéticos)? Pois é, quebramos a cara... O gene spooky era da Scully. Foi muito bonita a abertura do episódio, com o monólogo dela terminando em seu maior medo ao descobrir ter DNA alien... Algo que ela já tinha demonstrado em relação a William em “Founder’s mutation”.

Também foi muito legal ver a parceria entre ela e Einstein funcionando bem. Scully se vê na agente mais nova e não se intimida diante de sua descrença. Mesmo sendo suave, nossa ruiva é firme e segura de seu conhecimento. Por isso a nova ruiva a ouve e se disponibiliza a ajudar.

Já Mulder, continua sendo Mulder e simplesmente some sem dar notícias. O Canceroso queria propor um acordo a ele. Monica Reyes (dela, falaremos um pouco mais adiante) diz que Spender ama Mulder. Eu sempre acreditei nisso, afinal estamos falando de pai e filho (e como isso me lembra Star Wars!). Se o Canceroso quisesse Mulder morto, já o teria feito há anos! Mas não... Será que ele quer a aprovação do filho de alguma maneira? Vai ficar sonhando com isso.

Mesmo que a sobrevivência dele àquele míssil tenha parecido forçada, foi tão legal vê-lo de novo! Muito nojentamente fumando pela traqueostomia... Desfigurado devido ao acidente, mas ainda muito certo de suas ações. A satisfação na sua voz ao contar ao Mulder sobre seus planos “maravilhosos” para a humanidade... Nossa! É muita psicopatia.

Engraçado é que Mulder nunca rejeitou completamente a possibilidade de fazer um acordo com o Canceroso... Quando a vida “de sua amada” Scully estava em risco. Mas quando ele mesmo está em perigo, nega. Mesmo morrendo continua na defensiva, por ela.

A questão é que, apesar de ser a única imune (aparentemente) naquele hospital e estar em plenas condições para fabricar e administrar a vacina, Scully não pensa duas vezes em deixar isso ao encargo de uma pessoa doente (Einstein) e simplesmente corre para salvar Mulder (e se der tempo, o agente Miller, que ainda não conseguiu fazer com que eu realmente me importe com o personagem).

Como (depois de ter sido abduzido, morrido, “ressuscitado”) Mulder não é imune ao vírus ainda é uma questão em aberto. E por se tratar de um finale confesso que temi por ele (ainda temo)... Será que CC teria coragem de matar (de verdade) Mulder? Quem sabe uma pequena vingança pelo Duchovny ter deixado a série original (risadinha maldosa).

A presença do Tad O’Malley no episódio foi legal, pois ele meio que dialogava com o público, dando explicações e fazendo as questões que também nos fazíamos. Além do quê, ele foi o motivador para Mulder e Scully retomarem a busca pela Verdade.

Ah... E, finalmente, Monica Reyes... Que conquistou os fãs por estar ao lado de Scully quando ela mais precisava... Aquela que conhece a mitologia original e sabe exatamente do que o Canceroso é capaz... Como conseguiu se vender para o Canceroso, gente? Tudo nela me lembrou Diana Fowley... E eu fiquei triste por isso.  Bom, pelo menos ela não é um caso perdido e ainda conseguiu alertar Scully (saudades Doggett).

Agora, William não é apenas mais um desejo de Scully... Ele é imprescindível para salvar Mulder (e agora não resta mais nenhuma dúvida sobre a paternidade porque sim, suas células tronco podem salvar o pai). E todos nós sabemos que, quando se trata da vida de Mulder, Scully vai até as últimas consequências.

E aquele final? Como assim, aquele final?

CC e Glen Morgan disseram algumas vezes que Arquivo X só acabaria em duas hipóteses:
1. Mulder e Scully se beijassem... Bom, isso aconteceu e estamos aí até hoje.
2. Scully visse um óvni. Sim, ela viu um óvni. Cortar o episódio nesse ponto foi lindo e maléfico. CC é um gênio do mal.

Enfim, pelo menos, uma nova temporada é imprescindível para fechar essa série... Que as agendas desse povo todo consigam bater e que isso não demore. Vamos aproveitar que o ‘sangue tá quente’ (como diz minha mãe) e começar a negociar já! Os fãs agradecem. [/Ana Paula]





Vídeos
















Bastidores







Fonte dos GIFs: x x x x

6 comentários:

Paula disse...

Louca para vê-los de novo, tomara que tenha, urgentemente outra temporada!!!!

Janaina disse...

Como assim cena de beijo da scully quando reencontra o Mulder??? Onde apareceu esse spoiler que não aconteceu gente??? Pelo amor! Eu quero saber... onde???

Ai! Chris Carter! Ele mata a gente do coração viu?

Juliana disse...

Ana Paula traduziu todos os meus sentimentos!

Achei ótimo Josi sendo realista, como sempre: a gente tá procurando desculpa pra Reyes, quando ela só não queria morrer.

Karine Corso disse...

confesso que não assisti, nem pretendo ver até que confirmem outra. e fiquei meio decepcionada. como sempre CC fazendo sempre novas perguntas ao invés de responder as que já tem.

Andreia Izidoro disse...

Tudo maravilhoso volta de Arquivo x que deixou mais perguntas que resposta, são tantas q a cabeça fica a mil tantas alternativas o que deu pra perceber q AX é eterno não tem fim sempre terá um reconheço vamos torce para q seja logo David e Gillian estão lindos Boa forma esse é o momento como diz o Mulder em um dos espsodios por sinal meu preferido :essa é nossa época Scully!!

Livia Mello disse...

Gente, amei td, sério! Não sei como alguém pode assistir essa série e falar q alguma coisa é ruim!! Eu gostei mt de rever a Reyes mas nso gostei como, nso é nen um pouco a cara dela fazer uma coisa dessas! Espero q seja um tipo de trabalho infiltrado, um plano pq essa nao é a Mônica q eu amava! A decepção da Scully era a minha na hora! E kd o Doggão? Nem uma mençãozinha? Eles tavam no caminho pra partners/secret lovers,caramba!!!!
Agora q final foi aquele? Nao sei se cabia um bj naquela hora, nao é mt a cara da Scully fazer isso naquela situação desesperadora, acho por isso CC tirou! Mas podiam lançar como bônus extras/cena deletada neh, pra nossa alegria!! Ai q saudade já!! Agora, fiquei preocupada com essa teoria de morte hein! Se CC matou s edposa do Millenium e os Lone gunmen, pra desfechar as séries deles,fico aflita! Espero msm q isso esteja errado pq quero ver Mulder e Scully velhinhos de bengala quem sabe vendo os netos brincarem! Rs
#IWantToBelieve num Happy End!!!!