domingo, 18 de abril de 2010

02x25 - Anasazi (Anasazi)

Roteiro: David Duchovny & Chris Carter
Direção: R.W. Goodwin

Resumo: Mulder recebe arquivos roubados que podem revelar experiências secretas do governo.



Comentários:

[Ariana] Definitivamente, Anasazi representa um marco na história de AX, tanto que figura na lista dos preferidos de quase todo excer que se preze. Mas o que ele tem de tão especial? Hmmm... É mitológico. A teoria conspiratória é alçada a um novo patamar. Antigas ligações são desveladas. Conhecemos Albert Hosteen. Vemos um Mulder perder o resto de juízo que lhe resta. Crise no relacionamento de M&S. Mulder de samba-canção (uiaaa). Krycek apanhando (êêê). Scully atirando em Muder. CC fazendo uma ponta como ator (kkkkk). E muitas outras coisas que são especiais de um modo um tanto particular para cada um de nós... Bem, vamos ao que interessa...

O dia está amanhecendo em uma reserva indígena do Novo México, quando um intenso tremor de terra desperta o jovem primo da Star, quase o lançando fora de sua cama. Logo depois o vemos sair de casa, enquanto o velho índio profere misteriosamente que “A terra tem um segredo que precisa ser revelado”. O jovem índio segue pela região montanhosa do deserto, até que avista, em meio ao vermelho da paisagem, uma estrutura metálica se destacar ao longe. E xereta que é, vai bisbilhotar.

No entanto, o que lá encontra só é exprimível por meio da mais pura perplexidade.




Num outro lugar, vemos um hacker obter acesso a documentos governamentais ultra-secretos e desencadear com isso uma série de telefonemas preocupados entre as lideranças de alguns países, culminando naquele a quem carinhosamente chamamos de “Cança”. Pela primeira vez temos a confirmação do caráter internacional da conspiração.

Em seguida os Pistoleiros procuram Mulder a pedido do hacker de codinome “O Pensador”, pois este deseja encontrá-lo, aparentemente, para lhe dar acesso aos documentos secretos. É claro que Mulder atende à solicitação e os recebe. Por mais que tenhamos um Mulder irritadiço neste episódio, não deixa de ser o Mulder... Quando “O Pensador” diz não achar importante que ele saiba seu verdadeiro nome, lá vem o querido com esta pérola: “Soa como um recurso que usei num bar uma vez.” – Ok, mesmo encarnando a própria fofura, não deixa de ser homem e possuir um ladinho cretino.

Já na sede do FBI, Mulder se prepara para ler os arquivos quando Scully chega e ele a manda entrar e trancar a porta. Claro que ela logo percebeu não ser pelo motivo desejado... (ownn) O que ela vê é um Mumu extasiado, quase saltitante, o que não é para menos, afinal, ele estava diante do seu “cálice sagrado”. Na verdade foi engraçado ele se expressar assim, pois muitas vezes o Mulder me parece um verdadeiro paladino, seguindo sempre o caminho da verdade nesta saga insana e desvairada em busca do Santo Graal, que para o nosso, quer dizer, para o meu querido, não é um cálice, mas homenzinhos verdes. Ou cinzas, como ele faz questão de esclarecer (como se os tivesse visto... rsrs).

Mas logo a alegria explode em raiva e frustração ao ver que as informações estão escritas em uma linguagem desconhecida. É quando a super ruiva vem em seu auxílio e o acalma, esclarecendo que os documentos estão codificados em idioma navajo. Uma coisa que fica evidente aqui é o quanto Scully conhece Mulder, pois ela percebe que a sua reação, por mais compreensível que fosse, frente à possibilidade de ter sido enganado, excedeu todos os limites do considerado normal, até mesmo para ele. O que se confirma quando, ao topar com Skinner, Mulder o ataca.

Uma visita agradável a Bill Mulder... Se não, ao menos surpreendente. Através deste diálogo, descobrimos que Bill e o Cança se conhecem há longa data e que o pai do querido está metido até os pentelhos na trama conspiratória. Safado!

Enquanto isso, Bill, ante a possibilidade de que seu filho venha a desvendar o teor dos documentos secretos e, assim, descobrir seu papel naqueles eventos, é tomado por uma crise de consciência e decide lhe falar. É... basta que a verdade ameace ser revelada para que aqueles que até então estavam muito serenos se descontrolem. E o que ele tinha a dizer, só bebendo muito pra colocar pra fora.

Vendo esta cena, me lembro como em “A Colônia” Mulder e o pai se cumprimentam tão desajeitadamente, o que naturalmente faz com que este abraço comovido do papis soe tão estranho para o querido (bem coisa de gente culpada). Como muita gente, eu nunca gostei do Bill, mas neste momento sinto certa peninha dele. Até porque, imagino que uma das coisas mais difíceis para um pai é expor seus erros e fraquezas diante de um filho. E a culpa era tanta que suas últimas palavras ao filhão foram: “Me perdoe”.

O que este episódio nos ensina é: nunca esqueça de fechar a janela do banheiro. Ou você morre!!




Ok... Não posso deixar de rir quando Mulder, ao chegar à casa da Scully, desaba em seu colo, quase a levando ao chão.




Mas o que percebemos é que, mesmo atordoada, ela não perde tempo pensando e logo decide levá-lo para sua cama e despi-lo. Até porquê, vai saber quando teria outra chance, hã? Só queria saber o que passou pela cabeça dele ao acordar e se ver naquela situação. Agora, sei o que passou ao descobrir que Scully e sua arma foram passear juntas... Esta cena em que Mulder acusa Scully de tramar contra ele mostra que ainda há um oculto resquício de desconfiança com relação a ela, mesmo que tenha sido potencializado pelo seu delírio, assim como ocorreu com ela em Grampeados.

Mas não há desaforo que faça a ruiva desistir do narigudo! Assim, ela descobre que a bala que quase arrancou um tufo de seu cabelo provém da mesma arma que matou o pai do querido e que sua insanidade resulta da adição de uma substância psicótica na encanação hidráulica de seu edifício.

A cena que provoca comichões na Josi. :D






Ei, Scully fechou os olhos ao atirar no querido? *.* Futuramente ele pode usar esse fato contra ela numa briguinha de casal. :D



Mesmo num episódio em que o querido esteve delicado feito um jumento, há sempre um instante de fofura (não esqueci da campanha), como quando ele a agradece por ter cuidado dele [oh, que difícil!], após ter admitido que ela estava correndo um grande risco. Mas é claro que quando se trata dele nenhum preço é alto demais... No entanto, a busca pela verdade também passa a ser uma busca da Scully, quando Albert identifica seu nome e o de Duane Barry nos arquivos codificados. Hmmm... Quem tem dúvidas de que foi a ruiva quem despiu o querido novamente? Ai de quem tentasse fazer isso em seu lugar.

Adoro este tom de mistério na conversa entre Mulder e Albert, quando este o questiona se é capaz de se arriscar em nome da verdade, relatando em seguida a lenda dos Anasazi e seu inexplicável destino, afirmando, contudo, que nada desaparece sem deixar vestígios, dando a entender que foram levados por visitantes que continuam vindo aqui... uiii...

Mulder é então levado por Eric ao vagão frigorífico que encontrou enterrado no deserto e o que lá encontra o deixa atônito: pilhas de cadáveres do que parecem ser alienígenas. Ele relata à Scully, que também revela ter descoberto o registro de experiências realizadas por cientistas do Eixo após a 2ª Guerra e que as vítimas desses experimentos são chamadas de “mercadoria”. Tudo começa a fazer sentido quando ele vê a marca da vacina contra varíola em um dos cadáveres e chega a uma conclusão assustadora.

Neste momento chega o Cança e seu exército para limpar as provas e à procura do querido. E como não o encontra, toca fogo em tudo. Pois como Albert mesmo disse: nada desaparece sem deixar vestígios.

Afff... nem gosto de lembrar da agonia que senti na época ao ver isso e pensar: “mas cadê o mulder?????” e todo o medo de que ele tivesse morrido (tolinha eu, mas quem não teve medo?).

Uma das coisas que mais amo neste episódio e que fica evidente, do início ao fim, mais do que qualquer outra coisa, é a lealdade extrema da Scully por seu narigudo. E que, sem ela, ele seria facilmente destruído. Vemos isso na forma como ela assume a responsabilidade por ele, correndo riscos, somente para ajudá-lo... Mesmo diante de um Mulder ensandecido, destrutivo, ela não desiste e o salva... Quem tem isso? [/Ariana]

[Lu] Hoje eu vi Anasazi e como fazia tempos que não via, tinha esquecido do Mulder drogadão... pobre Mulder, ele fica tão "you sexy thing" todo suado e desorientado daquele jeito, uff... Pelo visto Scully também percebeu isso, ainda mais na cena em que ele tá dormindo ("dormindo") e ela vem de mansinho pra junto dele... ela aproveitou o momento pra dar uma espiadinha no Mulder adormecido, claro...

Aliás, nesse apisódio todinho, Scully (GA?) se aproveitou de Mulder doente pra dar umas olhadelazinhas pelo body do rapaz. Quando ele chega na casa dela todo desorientado e cai nos braços dela... nossa, pensei que ela fosse cair pra trás... DD se jogou mesmo ali né? (nota: nessa hora dei um grito, minha gata que estava no meu colo dormindo calmamente arregalou os olhos e saiu toda arrepiada correndo...¬¬...quem manda ter uma dona eXcer shipper doida?)

Já quando ela dá o tiro nele e ele acorda no hotel lá no Novo México com ela e Hosteen, ele levanta e ela primeiro dá uma "checada" nele....eita, Scully (GA?), você não perde tempo! E, claro, quem tirou as roupas dele enquanto ele tava deitado na cama dela? Scully, sua aproveitadora! tsc tsc...

Alguém sabe quantas vezes Mulder foi drogado em AX? Ja perdi as contas!

Agora, fiquei pensando em Mulder... Po, o cara acorda, na cama da outra... no quarto da outra... recebeu cuidados dela (feitos com muito carinho, muuuuito carinho... e mais um pouco) e tem a capacidade de pegar o tel e ligar pra ela, nem um bom dia e "vc pegou minha arma"... Mulder, você é de uma finésse....

*MEDO*
Por que ele tem que ser tão pálido, tão... tão cavernoso, tenebroso... Cara, te juro, o canceroso não me mete medo nenhum, mas ele... O.o


Gosto de uma cena em particular, a cena em que o pai de Mulder tá no banheiro e olha no espelho, abre a portinha e qd fecha lá está nosso belíssimo personal serial killer... Adoro essas cenas em filmes de terror, em AX ficou ótimo!

Tem também as cenas angst. Mulder não confiava tanto assim em Scully, mas depois do tiro (só em AX mesmo, você confia na pessoa depois que ela te dá um tiro), ele passa a ver que ela só pensa no bem dele, e tals...

O jeito que Mulder fica desnorteado, tanto com a droga quanto com a morte do pai dele... O episódio é todo bom, todo bom....gostcho mutcho! [/Lu]

[Starbuck] Anasazi eu assisti fora da ordem, comprei a fita com os três episódios e fiquei "abismada"... Daí pensei: pronto, to perdidaça agora... vício total!

A Fox lançou fitas de video com a trilogia (SIM.. FITAS DE VÍDEO.. aos mais jovens, abaixo de 20 anos, existia uma caixinha - geralmente preta, mas essa da FOX era verde, com uma fita dentro que servia para gravar episódios e outras coisas, como os DVDs) e eu consegui comprá-las para a minha coleção.. .. A de Anasazi tinha o seguinte nome: "Arquivo 1: sigilo Absoluto".

Meu mundo EXCER pode ser dividido em Antes e Depois de ANASAZI...

O pai do Mulder é a versão sem cortes do capeta e o Mulder drogadão só não é pior que a Scully, pois ela drogada sempre quer matar ele, coitado... e sempre pensa que ele a está traindo (a analista da ruiva deve sofrer).

O Mulder fodástico... Só o celular dele (naquele tempo) funcionava em qualquer lugar

E só para lembrar: quem escreveu esse episódio foi o Chris e o David... Adoro os episódios que o David dá pitaco na mitologia... [/Starbuck]

[Cleide] É chocante no final do episódio, quando o Cança manda explodir o vagão com Mulder dentro, fora que ele estava no telefone com Scully... na época eu vi tudo de uma vez no vídeo, mas imaginem, ter que esperar meses pra saber o fim do nosso lindão... deve ter sido traumático para quem acompanhou...

Aqui, Scully viajou 36 horas com Mulder drogado... me contem... e ele limpinho e barbeado desse jeito?! Como é que pode??? [/Cleide]

[Fagner] Neste episódio acontece tudo. Tá na minha lista dos melhores finais de temporada!

- Mulder bate em Skinner
- O pai de Mulder, Bill, morre pelas mãos de Krycek
- Mulder desconfia de Scully
- Mulder bate em Krycek e tenta matá-lo
- Scully atira em Mulder
- Mulder vê vários Alienígenas mortos em um vagão no deserto
- E o final "tchantcharan-tchan:" o vagão subterrâneo onde Mulder está explode por ordens de Canceroso, aí vem o "TO BE CONTINUED..."

Quando eu vi a segunda e ainda não tinha a terceira fiquei super curioso para saber como ele sairia. Claro, eu já sabia que ele não morreria ali, sabia que morreria só na oitava e depois ressucitaria... hehe!!! [/Fagner]

[Josi] Primeiro, eu queria saber que espécie de codificação fajuta usaram para proteger os arquivos do sistema do governo para que o cara tenha entrado sem ao menos esperar por isso... Aff...

Olha a leitura edificante do rapaz...






E olha como Mulder dá crédito aos Pistoleiros!
Mulder: "E quem iria seguir vocês?"




Ok... eu tenho muita pena quando vejo Mulder todo doentinho neste episódio. Dá uma angústia na gente...

Bom, a Scully não só sabe falar línguas que não é todo mundo que sabe (alemão e grego antigo) como também conhece quem fala outras menos populares ainda (navajo). Que orgulho dessa ruiva!

Tadinho de Mulder... Ele é um cara de usar o cérebro mesmo e não aquele corpo que Deus lhe deu (e que corpo!) pra ganhar uma briga... Me passou uma coisa pela cabeça agora... Alguém imagina Mulder, nosso Mulder, tendo aulas de luta? Rapaz! O menino é desajeitado demais pra essas coisas!!!

Momento em que a Scully realmente ficou preocupada com a sanidade de Mulder:
Scully: "Por que você bateu no Skinner?"
Mulder: "Eu andei pensando sobre isso... Não sei..." - Scully faz uma expressão muito chocada...

Depois do surto de Mulder no corredor, sua parceira é chamada para esclarecimentos sobre o comportamento dele... Ela poderia ter dito "How the hell should I know" (Espaço Sideral feelings... rsrs)! Como ela não pode ser mal educada ali e como ela realmente está preocupada com o rapaz, ela apenas responde o que sabe de uma forma que justifique o "estresse" de Mulder.

Quem aqui disse que tem medo do pai do Mulder, mesmo? Melhor... quem é o herói que não tem? o.O




Quando Mulder chega lá e vai cumprimentar o pai, podem notar que ele já vai prevenido... Da última vez que eles se viram foi com o cara sendo muito amigo com ele (not!) quando Mulder lhe diz que perdeu Samantha. Fora que quando eles se encontram na varanda no início de A Colônia, Mulder vai com a intenção de um abraço, mas o pai lhe frustra ao lhe estender apenas a mão. Com isso, eu só posso imaginar a surpresa e o medo de um Mulder muito drogado e hiper sensível ao ser recebido com um abraço de um pai meio bêbado...

DD chorando (sempre um espetáculo à parte).





É a primeira vez depois do Piloto que Mulder acusa a Scully de o estar traindo (foi a última também? Nooooooo): "Você está com minha arma, com meus arquivos, não me peça para confiar em você".

Depois disso, vem uma de minhas cenas favoritas: Krycek apanhando! Se não fosse pela Scully, eu teria perdido outros momentos futuros de diversão. E Mulder bate com força e sem pena! (As brigam com o Krycek, ele geralmente ganha! \o/)

Estranhamente, Mulder desconfia de Scully antes dela atirar nele... depois, ele entende tudo! Esses dois são o máximo! Claro que Mulder só desconfia de Scully porque tá drogado. A fé deste homem nela é incrível! E vice-versa!

Só uma coisa: eu nunca, jamais, em tempo algum subiria naquela motoca para passar pertinho de um desfiladeiro! Aliás, já notaram que o pessoal sempre escolhe passar o mais perto possível do precipício mesmo quando tem muito espaço ao redor? (Vejam Without da oitava temporada...)

Então, o episódio acaba com a Scully descobrindo o conteúdo dos arquivos roubados pelo Pensador e Mulder vendo o que achar serem corpos de alienígenas, apesar das marcas de vacinação contra varíola tornar isso ainda mais estranho... [/Josi]

Quotes:

Scully: Seu ombro vai ficar bom. A bala entrou sem fazer estragos.
Mulder: Você atirou em mim.
Scully: Sim, atirei. Você não me deixou muita escolha. Estava prestes a matar Krycek.
Mulder: Por que atirar em mim? Ele é a pessoa.
Scully: Se for, a arma dele é a que matou seu pai.
Mulder: O que você quer dizer?

Scully: Se matasse Krycek com aquela arma, não haveria como provar que você não matou seu pai. Sinto muito pelo seu pai, Mulder. Não tive oportunidade de te dizer isso.
Mulder: Como você soube que era Krycek?
Scully: Não sabia. Voltei ao seu apartamento para extrair a bala da parede. Mas notei uma camionete sem identificação entregando água. E aí achei isto em um dos tanques que servem o seu prédio.

Mulder: O que é isso?
Scully: É um filtro de diálise. Um aparelho usado para a transferência de substâncias para soluções. Considerando o nível psicótico vivenciado por você, provalvelmente era LSD, anfetamina ou algum outro tipo exótico de psicotrópico.
Mulder: Oh, meu Deus. Ouve um assassinato no meu prédio.

Scully: Bem, não foi um exemplo de sutileza. Esses homens são provavelmente os mesmos que mataram seu pai e sistematicamente tentam te destruir e virar todos de sua confiança contra você. Acho que não preciso te dizer porque.
Mulder: Cheguei muito perto da verdade. Onde estamos?
Scully: Em Farmington, Novo México.
Mulder: Novo México?
Scully: Passamos dois dias atravessando o país. Sedei você para deixar que os efeitos dos psicotrópicos passassem. Esse é Albert Hosteen. Ele está traduzindo seus arquivos.

Albert: Você tem sorte por ela ser boa de tiro.
Mulder: Ou ruim.
Scully: Albert era codificador durante a Segunda Guerra. Ele ajudou a codificar os documentos originais.
Mulder: Como você o encontrou?
Scully: Através de uma mulher em Washington. Mas ele diz que sabia que você viria.
Albert: Semana passada tivemos um presságio.

Scully: Os arquivos estão em jargão, e houve um pacto internacional de silêncio desde os anos 40. Albert diz que evidências sobre estes segredos estão enterradas perto daqui. Diz que te leva lá assim que você estiver em condições.
Mulder: E você?
Scully: Acho que você está nessa sozinho. Não apareci para um encontro com Skinner anteontem. Não sei quais serão as repercussões.
Mulder: Você resolveu correr um grande risco.

Scully: Estava certa de que te matariam, Mulder.
Mulder: Obrigado. Obrigado por cuidar de mim.
Scully: Tem mais uma coisa. Meu nome está naqueles arquivos. Nas últimas citações com Duane Barry.
Mulder: Em que contexto?
Scully: Não é muito claro, mas tem algo que ver com um teste. Quero que você descubra, Mulder. Eu preciso.

Outras Imagens de Anasazi:

A imagem que fez Mulder ter um tremendo piti

Nosso querido Cabeça de Parafina fazendo uma participação especial (na época, ele ainda não tinha todos os fios brancos... own...)

Inspiração para se ver este episódio muitas e muitas vezes.

O conteúdo do vagão frigorífico

10 comentários:

Yanne Celly disse...

É certo que Anasazi é um episodio que não cansamos de ver!É um ponto e percurso de tudo o que faz ax ser um vicio:
- temos uma mitologia bem apresentada;
- um Mulder insano (amooooo isso!)
- uma Scully fiel e preocupada;
- kricek levando uns safanões do nosso fofo;
- a morte de Bill Mulder(oh! familia!af!

Mas, melhor ele se torna nesses comentários.kkkkkkkkkkk

DD chorando sempre um espetáculo a parte(02)
DD fazendo qualquer cena ...é uma espetáculo....

bjim!

Vanna disse...

A 1ª vez que assisti Anasazi eu fiquei excitada, em 45 minutos de episódio aconteceu de T.U.D.O, claro que os demais episódios da mitologia não sejam instigantes,mas esse foi demais...a erdade vindo a tona, a conspiração mundial, Mulder desesperado devido a morte de seu pai...enfim, episódio show de bola...
só acho sacanagem o episódio terminar com o fundo preto e maldita frase "to be continued"...acho que qdo passava na TV [aberta principalmente] ver essa frase no último episódio da temporada deveria deixar muita gente com os nervos em frangalhos se perguntando: Ai meu Deus, e agora ?" Como se sua vida dependesse única e exclusivamente disso...deveria ser horrível...ei..aliás, eu passei por isso, em Biogenesis e em Requiem...quase surtei.

Josilene disse...

"É certo que Anasazi é um episodio que não cansamos de ver!" - by Yanne.

Sim! Sim! Sim! Eu fiquei emocionada qdo o revi dia desses! Lindo!

Err... a parte do DD chorando ser um espetáculo foi maldade de minha parte, gente... rsrs sorry. É q... err... errr... eu não consigo levar a sério. rsrsrs

Gente... eu ia ver, mas esqueci. =/ mas... requiem termina mesmo com TBC? Mas isso de TBC é maldade mesmo. hauhaua a gente tem que passar uma semana antes de ver o final... aff... oremos.

Bjos!

Elizabeth disse...

Esse ep é incrível, confesso que depois que assisti, corri pro espelho pra ver minha marca de vacina no braço, credo! Fico pensando de onde CC tirou tanta "viajada" como essa de usarem a vacinação como etiqueta pra catalogar gente e aliens. Concordo com a Josi sobre as cenas de choro do DD, ele ficava muito careteiro, parecia o Jim Carey rsrsrs Mas mesmo se esse ep fosse fraco de enredo, as cenas de DD sem camisa são motivo pra rever sempre Anasazi.

Josilene disse...

Acho que são poucas as cenas de Mulder chorando que DD conseguiu com que eu me sentisse tocada... e essas são as que ele tem um choro mais moderado... como em Gethsemane... ali eu me acabo. fato. No ep antes de Closure, que a mae dele morre e tal... mas qdo ele faz careta... nao dá. simplesmente nao dá...
Acho que ele melhorou nesse quesito, pois eu não tenho reclamações com relação a Hank (lindo... saudades dele... ai ai)...

Elizabeth disse...

É mesmo, Josi, DD evolui demais como ator ao longo da série e ele jamais poderá deixar de reconhecer que AX foi um presentão pra ele como ator, mas as cenas de choro... Lá nos extras da 7a. temp., se não me engano, o Kim Manners fala sobre o ep Closure e revela que foi uma sugestão do DD aquela cena em que Mulder encontra Samantha e, ao invés de ajoelhar-se e chorar copiosamente (como estava no roteiro do ep), o agente a abraça, com um sorriso sereno de alívio. A cena ficou muito linda assim. Acho que o próprio DD deve ter reconhecido que chorar não era sua praia. Mas de resto, é legal ver a nítida evolução do desempenho dele como ator enquanto esteve em AX.

Josilene disse...

Com relaçao a essa cena de Closure, eu acho que li alguém dizendo que DD sugeriu a mudança na cena pq ele queria que Mulder tivesse algum alívio com o "fechamento" da história da irmã de Mulder, não ainda mais sofrimento... :)

Ruth Aparecida disse...

Quando Scully passa pelo detector de matais, algo apita e o homem revista ele. Nada foi achado. Aconteceu duas vezes. Scully foi ao médico e ele disse que é uma espécie que chip ou (sei lá) rastreador...Será que esse chip foi implantado pelos aliens quando Scully foi abduzida??? Fiquei em dúvida nisso... Episódio épico! Krycek mereceu aquela surra! hahahaha lol

XFILES disse...

Vc terá sua resposta qto ao chip ao longo da série, Ruth!

"Krycek mereceu aquela surra!" - FATO. SEMPRE! Ele sempre merece! kkkkkkkkkkkk Adorei! Vc é das minhas! hihihi

Josi.

Ruth Aparecida disse...

LOL. Mulder bateu com gosto no Krycek KKKKKKKKKK